Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Golpes no Pix: atualizações importantes na segurança do Pix

Descubra quais são os golpes mais conhecidos do Pix e saiba como evitá-los!

Escrito em 24 de Janeiro de 2022 por Daniela Giglio

Atualizado em 26 de Janeiro de 2022

O Pix é novo, mas os golpes são velhos. Hoje em dia, não faltam casos de pessoas que sofreram algum tipo de fraude através deste meio de pagamento. 

Mas, o problema é realmente o Pix ou é o tipo de abordagem que é feita nestes golpes que induzem o usuário ao erro?

Quem não se lembra das antigas ligações anunciando o sequestro de um filho ou filha, pedindo dinheiro pelo resgate? Ou de boletos falsos enviados se passando por bancos? 

São tipos de situações que geram ações impensadas, nas quais a transferência de dinheiro acontece de forma apressada, porém “voluntária” e legítima, não havendo necessariamente a invasão de conta ou o roubo de dados e senhas.

E é isso que acontece na maioria dos casos de golpes no Pix, onde a própria vítima realiza a transação, sem que haja propriamente uma falha de segurança no meio de pagamento.

Hoje, vamos te mostrar por que o Pix é seguro, as atualizações nas regras do Pix e, além disso, te mostrar quais são os golpes mais comuns e como se prevenir.

Mecanismos de Segurança do Pix

Primeiro, veremos como funciona a segurança do sistema do Pix ,em termos de tecnologia, contra invasores e autenticação das transações. O criador do Pix, o Banco Central, esclarece os fundamentos da segurança do Pix:

1. Autenticação do usuário

Todas as transações pelo Pix só podem ser iniciadas em ambiente seguro da instituição de relacionamento do usuário (exemplo: aplicativo bancário), que seja acessado por meio de uma senha ou de outros dispositivos de segurança, como reconhecimento biométrico, facial ou uso de token.

2. Rastreabilidade das transações

Por seu desenho tecnológico, todas as operações com o Pix são totalmente rastreáveis, o que permite a identificação das contas recebedoras de dinheiro via fraude/golpe/crime, permitindo a ação mais incisiva da polícia e da Justiça, o que não acontece com saques em caixas eletrônicos, por exemplo.

3. Tráfego seguro de informações

O tráfego das informações das transações é feito de forma criptografada na Rede do Sistema Financeiro Nacional (RSFN), que é uma rede totalmente separada da internet e na qual acontecem as transações do Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB)

Invadir esse sistema não é a mesma coisa que invadir qualquer site da internet, o que já reduz a probabilidade desse acontecimento.

Todas as instituições participantes do Pix têm que emitir certificados de segurança para conseguir transacionar nessa rede. 

Além disso, todas as informações das transações e os dados pessoais vinculados às chaves Pix são armazenados de maneira criptografada em sistemas internos do Banco Central.

Veja também: Aprenda como aumentar a segurança em pagamento online

4. Novas regras de funcionamento do Pix

O regulamento do Pix foi atualizado no final de 2021 pelo Banco Central e hoje prevê medidas que mitigam o risco de fraudes e aumentam a segurança;

Segundo o BC, as instituições financeiras e de pagamentos devem se responsabilizar por fraudes no âmbito do Pix decorrentes de falhas nos seus mecanismos de gerenciamento de riscos.

Atualmente, também surgiu a possibilidade do usuário ou das instituições limitarem os valores máximos de transações via Pix em suas contas. Isso reduz as chances de grandes perdas financeiras por transações indesejadas.

Além disso, as instituições financeiras passaram a monitorar melhor as transações que se distanciam muito do comportamento do usuário, e podem não autorizar pagamentos via Pix que sejam suspeitas de fraude, como grandes valores fora do padrão do usuário ou em horários suspeitos. 

Já circula entre as instituições autorizadas uma lista de chaves Pix, contas e CPFs/CNPJs que se envolveram em alguma fraude, para prevenção de novas situações como essa.

Por fim, é importante ressaltar que hoje existem mecanismos que facilitam o bloqueio e eventual devolução dos valores em caso de fraude, como o bloqueio cautelar e o Mecanismo Especial de Devolução do Pix. Veja a seguir como funciona.

Como recuperar dinheiro roubado via Pix?

Segundo noticiado no site do Governo Federal, o Mecanismo Especial de Devolução (MED) do Pix pode ser acionado tanto pela instituição bancária como pela vítima do suposto golpe. 

Para ter a devolução do dinheiro, a vítima deve registrar um boletim de ocorrência (BO) e comunicar o ocorrido à sua instituição financeira pelos canais oficiais de atendimento ao cliente: SAC, ouvidoria ou chats de aplicativos.

Após a comunicação, a instituição bancária do usuário utilizará a estrutura do Pix para informar o banco do fraudador de que aquela operação pode tratar-se de fraude e que os recursos devem ser bloqueados. 

Os bancos têm até 7 dias para avaliar a reclamação, e o recebedor, que é notificado do bloqueio, não poderá sacar os recursos durante este período. Caso o golpe seja confirmado, o dinheiro volta para a conta do pagador.

Quando não dá para reverter uma transferência Pix?

O Governo informa que o Mecanismo Especial de Devolução não pode ser utilizado em caso de desacordos comerciais ou para desfazer uma compra, por exemplo. 

Caso o cliente não fique satisfeito com o produto entregue ou com o serviço realizado, deve resolver da maneira tradicional, entrando em contato com o estabelecimento para comunicar desistência de compra, de acordo com os direitos do consumidor e políticas de troca e devolução das empresas.

Os mecanismos de devolução do Pix também não servem de garantia para casos em que o pagador se confunde e transfere recursos para a chave Pix errada

Preste, então, muita atenção na hora de inserir as informações e sempre confira os dados do recebedor antes de concluir a transação.

Principais golpes do Pix

O Pix é só mais uma tecnologia que está “na mira” de fraudadores por se tratar de uma novidade que muitas pessoas ainda não dominam e podem se confundir facilmente. 

Além disso, o número de usuários é bastante alto, o que aumenta as possibilidades de fazer vítimas. Por isso, se ouviram tantos casos - em apenas um ano de funcionamento, o Pix já se tornou um dos meios de pagamento eletrônico mais utilizados pelos brasileiros, superando métodos tradicionais, como TED, DOC, boleto e cheques. 

Os “golpes do Pix” mais comuns envolvem os meios eletrônicos, como WhatsApp, mensagens de texto e e-mail. Veja a seguir!

Golpes no WhatsApp

Por meio de invasão à contas de WhatsApp, ou contas falsas, o golpista pede dinheiro via Pix para os contatos da pessoa, se passando por ela. Nesse caso, alega urgência na transferência de dinheiro para ajudar a pagar um boleto ou pagamento de uma dívida, com a promessa de devolver o dinheiro assim que possível. Os contatos que acreditam na mensagem transferem o dinheiro para o fraudador, porém ao descobrirem que foram enganadas, não conseguem mais reaver a quantia.

Como se prevenir

  • Ao transferir o dinheiro para qualquer chave Pix, analise se você reconhece o nome e os dados do dono da conta, pois dessa forma, evita transferir o dinheiro para desconhecidos que estejam se passando por outra pessoa. 
  • Não faça transferências para amigos ou parentes sem confirmar por ligação ou pessoalmente que realmente se trata de uma situação verídica.

Golpes em e-mails e mensagens de phishing

Geralmente, nesses canais, os fraudadores se passam por instituições financeiras, como bancos, para direcionar a vítima a páginas falsas de cadastro de chaves Pix. Dessa forma, eles se apropriam desses dados para usá-los indevidamente para obter dinheiro em nome da pessoa. É comum também o envio de arquivos em PDF contendo vírus que, se abertos, invadem o computador ou celular da vítima e hackeiam dados quando a pessoa acessar o internet banking ou app.

Como se prevenir

Verifique sempre se a mensagem procede de fontes/ remetentes confiáveis. As instituições financeiras não costumam pedir informações sensíveis por canais eletrônicos. 

  • Na dúvida, não clique em links ou arquivos que chegam de forma suspeita. 
  • Cadastre suas chaves Pix apenas nos canais oficiais dos bancos, como aplicativo bancário, Internet Banking ou agências. 
  • Também não forneça senhas ou códigos de acesso fora do site do banco ou do aplicativo oficial, e tenha sempre um antivírus atualizado nos seus dispositivos.

Golpe do falso comprovante

Este golpe tem como vítima comerciantes que utilizam a chave Pix como meio de recebimento. O fraudador produz um falso comprovante a partir dos dados do recebedor, e alega ter pago um valor, quando na verdade não o fez.

Veja no próximo tópico como proteger sua empresa deste tipo de golpe.

Como ter um Pix seguro para empresas?

Se a sua empresa deseja oferecer Pix como opção de pagamento aos clientes, o melhor é não utilizar uma chave Pix criada de forma comum em aplicativos bancários.

A opção mais recomendada é procurar uma empresa especializada em meios de pagamento online, como a iugu, para oferecer o Pix de forma segura na sua página de vendas.

Com recursos profissionais para empresas, o Pix se torna ainda mais confiável, pois evita erros no momento do pagamento e na conferência do recebimento.

Veja os motivos de usar o Pix para empresas:

  • O pagamento é feito por QR Code do Pix, específico para cada venda, que identifica o pagador, data e hora da transação no seu sistema de controle de pagamentos;

  • Permite checar em tempo real o recebimento do pagamento;

  • Permite realizar estornos caso o cliente deseje cancelar a compra dentro do prazo permitido;

  • Possui criptografia em todos os dados transitados, garantindo a segurança de quem paga e quem recebe.

Além disso, a solução da iugu também oferece muitos recursos que facilitam suas vendas, como a recorrência no Pix, cobranças automáticas e parcelamentos, assim como outros meios de pagamento.

Gostou destas dicas para ter mais segurança no Pix? Então baixe nosso Guia completo sobre como utilizar o Pix no e-commerce!