Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Métricas para startups: as top 8 em que você deve ficar de olho

Saiba quais são as principais métricas para startup e entenda por que você deve ficar de olho nelas. Explicação completa e descomplicada.

Escrito em 24 de Abril de 2020 por Renato Ribeiro

Atualizado em 02 de Agosto de 2021

Conhecer métricas para startups é um processo fundamental para todo gestor de sucesso. Isso porque, por meio delas, é possível acompanhar a evolução de seu modelo de negócio, saber quais setores devem ser priorizados e que medidas podem ser descartadas. 

Para saber quais são as principais métricas para startups e, assim, dar um grande passo para fazer o seu negócio decolar, basta seguir com sua leitura! 

Métricas para startups que você não pode perder de vista: top 4

Confira agora algumas das principais métricas para startups em que você deve prestar muita atenção. 

1. Receita Mensal Recorrente (MRR)

A Receita Mensal Recorrente nada mais é do que uma métrica que mede o seu faturamento mensal. Bastante recomendada para empresas que trabalham com sistema de cobrança recorrente, com essa métrica, é possível ter uma previsão do status financeiro de seu negócio em curto e médio prazo. 

A sigla MRR significa Monthly Recurring Revenue e, de forma geral, indica a soma de assinaturas de uma companhia. Por exemplo, um clube de assinaturas pode apresentar, mensalmente, 50 clientes que pagam uma mensalidade no valor de R$ 250,00. Logo, a receita mensal recorrente desse negócio é de R$ 12.500,00. 

2. Custo de Aquisição de Cliente (CAC)

O CAC é, sem dúvida, umas das principais métricas para startups. Isso porque, como o próprio nome indica, ela determina o custo de aquisição de cada cliente. Logo, por meio desse indicador, é possível saber se o seu negócio está gastando mais para trazer novos clientes do que lucrando com eles. 

Para chegar ao valor do CAC, é preciso estipular os recursos aplicados em marketing e em vendas e, assim, dividi-los pela quantidade de clientes obtida em um determinado tempo. 

Por exemplo, vamos imaginar que sua empresa invista R$ 2.000,00 na área de vendas e marketing para ganhar novos compradores. Para ter um equilíbrio nessa conta, é preciso que os clientes paguem esses R$ 2.000,00 investidos. 

3. Lifetime Value (LVT)

O Lifetime Value é um indicador que mostra o valor de um cliente, ou seja, estipula seu ciclo de vida. De forma simples, ele indica quanto um cliente gasta, em média, com sua assinatura durante todo o período em que ele se relaciona com seu negócio. 

Vamos imaginar que o CAC analisado seja de R$ 2.000,00 e que o LVT seja de R$ 1.700,00. Considerando esse cenário, é fácil presumir que a sua startup não está apresentando lucro, certo? Logo, se mantiver esses valores, dificilmente terá a sustentabilidade necessária para evoluir. 

4. Número de clientes perdidos (Churn)

O churn reflete o número de clientes que cancelou a sua assinatura. Essa é uma das principais métricas para startup, porque o seu conhecimento é fundamental para que o gestor aplique as medidas necessárias para reverter um valor negativo. 

Para chegar a esse valor, a conta é simples. Basta dividir o número total de clientes que cancelou pela soma de assinantes ativos da base e multiplicar esse valor por 100.

Por exemplo, imagine que o seu negócio tenha uma base de clientes de 100 mil e que o número de cancelamentos tenha sido de 7 mil. O churn, nesse caso, é de 7%. 

É óbvio que o ideal é que essa taxa seja a mais baixa possível. Porém, como os cancelamentos são naturais em um negócio, é importante que esse índice não ultrapasse os 7%. 

métricas para startups

Crédito: Freepik

Está começando agora o seu negócio? Então, não deixe de ler: “Como estruturar uma startup: Tire todas as suas dúvidas sobre o tema!”

Métricas para startups: + 4 essenciais para aplicar 

Confira agora mais quatro métricas para startups importantes para aplicar em seu negócio

1. Conversão de demonstrativos em assinaturas

Para promover um negócio, o oferecimento de trials (o uso gratuito de um recurso) é uma estratégia bastante usada. Nesse contexto, é claro que conversão da quantidade de demonstrativos em assinaturas nunca é de 100%. No entanto, essa porcentagem não pode ser muito baixa. 

Sendo assim, é preciso avaliar a quantidade de clientes que utilizou o trial, mas que não adquiriu o serviço. Desse modo, é recomendado estudar o perfil desses clientes para, assim, aplicar estratégias de marketing mais eficientes. 

2. CPV e CSP

Entre as principais métricas para startups, duas são fundamentais:

  • CPV (Custo do Produto Vendido): que indica a divisão entre o valor da venda com os recursos aplicados na produção do produto;
  • CSP (Custo do Serviço Prestado): que engloba os valores gastos com mão de obra, impostos, custos logísticos e de pessoal, entre outros. 

Esses indicadores são importantes porque ajudam que o empresário saiba, com precisão, o valor de seu produto. Logo, com esse dado em mãos, é possível estabelecer o seu preço justo no mercado. 

3. Burn Rate

O burn rate também é chamado de “taxa de queima de dinheiro”. Sendo assim, como o próprio nome indica, esse índice revela a velocidade de gasto de suas reservas em relação aos investimentos e custos de um determinado período. 

Para realizar  esse cálculo, é comum diminuir o balanço financeiro do fim do ano com o balanço financeiro de seu início. 

4. Break Even Point

O Break Even Point, também chamado de Ponto de Equilíbrio, é um indicador que mostra exatamente o momento em que sua startup equilibrou suas finanças. Ou seja, essa métrica indica que sua empresa já está conseguindo se bancar sozinha, pois as suas receitas e suas despesas estão equilibradas.

Quer saber um pouco mais sobre métricas de startups? Então, assista ao vídeo abaixo: 

Como aplicar essas métricas com inteligência e segurança?

Para aplicar essas métricas com inteligência e segurança, é preciso lançar mão de algumas alternativas. Uma delas é contratar uma plataforma que automatize seus processos financeiros. Isso porque, por meio desse recurso, é possível padronizar suas atividades operacionais e identificar gargalos. 

Além disso, esse tipo de ferramenta promove o seu fluxo de caixa, padroniza o seu estoque e também o ajuda a reduzir a inadimplência. 

Sabia que você pode ter tudo isso a um preço bastante acessível? Com a iugu, você otimiza os seus processos financeiros com segurança e leva o seu negócio para outro patamar! Para saber mais, acesse este link! 

Crédito da foto de capa: Freepik