O que é webhook: entenda tudo sobre o recurso

Escrito em 05 de Julho de 2022 por Maria Carolina Rosa

Atualizado em 24 de Agosto de 2023

A automatização de processos é um importante recurso para os negócios, pois além de eliminar burocracias e erros humanos, deixa a gestão muito mais eficiente. O webhook é um mecanismo que permite a integração de sistemas, ajudando na automatização de processos, inclusive financeiros.

Se você é um empreendedor, estar a par das inovações e recursos tecnológicos que facilitam a rotina pode fazer toda a diferença.

Afinal, o tempo é um recurso valioso, e cada minuto em que você não precisa executar tarefas burocráticas e repetitivas, é um ganho para que você tenha mais tempo para focar no que realmente importa: a saúde do seu negócio.

Para te ajudar a entender o que é webhook, como ele funciona e as vantagens que ele pode trazer para a sua empresa, preparamos um conteúdo com as principais informações.

Quer saber mais? Continue a leitura até o fim.

Experimente o player abaixo!

O que são webhooks, afinal?

Os webhooks, ou em português, “ganchos da web”,  são gatilhos que possibilitam o envio de dados entre dois sistemas ou aplicativos diferentes, tudo em tempo real e de forma automática.

Essa tecnologia também é conhecida como “retorno de chamada web” e consiste em um método simples para facilitar que uma API forneça as informações em tempo real.

Parece complexo? Então, imagine que o responsável pelo setor financeiro da sua empresa precisa enviar informações sobre pagamentos e fluxo de caixa constantemente. 

No processo manual, isso demandaria muito tempo e esforço, que podem ser empregados em outras frentes do negócio.

Já com o webhook, as informações chegariam de forma automática no sistema, sem a necessidade de verificação manual.

Com isso, os seus colaboradores ganham mais tempo, eficiência e eliminam a burocracia ou chances de erro humano, já que as tarefas são automatizadas.

Como funcionam os webhooks?

Agora que entendemos a definição, é hora de saber como funciona um  webhook. De forma resumida, podemos dizer que a tecnologia funciona como uma ponte. 

Através dessa ponte, os dados transitam e são entregues a uma URL de destino. Para que essa transmissão ocorra, são utilizados dois formatos:  JSON ou XML

  • XML:  sintaxe básica utilizada para o compartilhamento de informações entre aplicações, permitindo reutilizar o código com objetivos diferentes no outro sistema ou ferramenta.

  • JSON: formato de troca de informações entre sistemas mais leve do que o XML. 

A partir da escolha do formato, o provedor dirá como os dados serão entregues ou fornecerá opções. No entanto, boa parte dos frameworks facilitam a interpretação e fornecem uma solução simplificada.

API ou webhook: qual é a diferença?

Apesar de semelhantes, uma API (Application Programmin Interface) e o webhook possuem importantes diferenças.

A principal delas é que o webhook é um serviço. Já a API, por sua vez, é um conjunto de regras e métodos que permitem a utilização desse serviço.

Sendo assim, as APIs permitem o acesso aos sistemas da empresa, enquanto os webhooks permitem que a empresa envie notificações sobre o que você deseja saber.

Além disso, uma API exige o conhecimento de programação para que a integração entre sistemas aconteça de forma correta. O webhook, por sua vez, não exige conhecimentos sobre programação.

Quais são as vantagens do webhook para as empresas?

Que o webhook fornece eficiência para os processos da empresa, você já sabe. Mas as vantagens que ele oferece não param por aí. Confira todos os benefícios dessa integração para os negócios:

1. Praticidade de desenvolvimento

Como não exige o conhecimento de códigos complexos ou banco de dados, o webhook pode ser desenvolvido em poucos passos, o que deixa todo o processo muito mais ágil.

2. Atualização em tempo real

Ao utilizar o webhook, você ou outros gestores da empresa conseguem obter informações atualizadas em tempo real, sem necessidade de solicitá-las ao setor responsável.

3. Automatização financeira

Como dissemos no início do artigo, o webhook auxilia na integração de sistemas e na automatização de processos. 

E isso também pode ser implementado na automatização financeira de um negócio, como as transações financeiras ou status de nota fiscal.

Criar um webhook: o que considerar?

Antes de criar um webhook, é preciso estar atento e se certificar sobre alguns pontos importantes, como a segurança de dados. Saiba mais a seguir.

1. Segurança de dados

Os webhooks funcionam a partir da transmissão de dados. Logo, é fundamental que eles estejam protegidos e invioláveis para que não ocorram imprevistos.

Portanto, lembre-se de verificar se o webhook possui o suporte adequado para que a transmissão não seja interrompida.

2. Armazenamento de dados

O armazenamento de dados do webhook precisa ser do tipo push para que as informações sejam armazenadas corretamente.

Ao utilizar o webhook para o recebimento e repasse de informações, utilize scripts para configurar as funcionalidades.

3. Escalabilidade

Por fim, lembre-se que um webhook funcional precisa ser escalável. Isso significa que ele deve possibilitar ser manipulado para o agregamento de maiores volumes de dados e se conectar com diferentes sistemas.

Potencialize o seu negócio com a automatização da iugu

Como vimos até aqui, os webhooks auxiliam na automatização de processos, e podem ser implementados até mesmo no setor financeiro da sua empresa.

E essa não precisa ser uma tarefa complicada. Basta contar com um sistema integrado que forneça soluções financeiras completas e robustas que se adequam às necessidades do seu negócio. 

Então, que tal saber mais sobre como a iugu pode te ajudar nessa missão? Converse com nossos especialistas e conheça os nossos planos.

E se quiser saber mais sobre tecnologia voltada a desenvolvedores, é só acessar o nosso blog iugu4devs!

Planos-iugu

Posts relacionados

homem segurando um celular e um cartão de crédito fazendo um pagamento online
mão de mulher segurando celular com tela aberto do Drex