Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Fluxo de caixa: o que é e como aplicar na sua empresa

Saiba como o fluxo de caixa impacta os negócios e veja como realizar o seu

Escrito em 06 de Junho de 2022 por Thainara Carvalho

Atualizado em 21 de Junho de 2022

Você sabe como anda a gestão financeira do seu negócio? Ela é parte fundamental do crescimento sustentável de uma empresa. Afinal de contas, de nada adianta contar com bons produtos se não há um fluxo de caixa eficiente para manter as operações e crescer entre a concorrência.

Com ele, as empresas podem ter um maior controle sobre a entrada e saída de dinheiro,  e realizar um verdadeiro diagnóstico das finanças. 

A partir desses dados, os gestores conseguem apurar o saldo disponível no momento para as despesas fixas e planejar investimentos para o futuro.

No entanto, em muitos casos, essa gestão costuma ser falha, principalmente em pequenas e médias empresas, o que leva ao grande número de fechamento de negócios.

E é sobre isso que vamos falar hoje. Para te ajudar a entender mais sobre o assunto, preparamos um artigo para te explicar o que é fluxo de caixa e como implementá-lo de forma eficaz no seu negócio. Continue a leitura e saiba mais!

Que tal dar um play no conteúdo?

O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa nada mais é do que uma ferramenta de controle e organização das finanças de um negócio. A partir dele, é possível acompanhar todas as movimentações da empresa, como a entrada e saída de recursos.

A entrada diz respeito à venda de produtos, serviços ou ativos da companhia. Já a saída se refere às despesas fixas e custos operacionais, como, por exemplo:

  • Aluguel;
  • Impostos;
  • Contas;
  • Salários;
  • Fornecedores;
  • Estoque;
  • Entre outros.

Quando a entrada é maior do que a saída, a empresa possui um saldo positivo. Quando a saída é maior do que a entrada, podemos dizer que há um desequilíbrio nas finanças, o que, a longo prazo, pode gerar sérios prejuízos à saúde do negócio.

O fluxo de caixa também permite que os gestores tomem decisões mais assertivas em relação à empresa. Dessa forma, é possível planejar investimentos e manter tudo sob controle sem grandes surpresas no futuro.

A importância do fluxo de caixa para um negócio sustentável

De acordo com dados divulgados em fevereiro pelo Ministério da Economia, mais de 1,410 milhão de negócios formais foram fechados apenas em 2021. Entre os motivos para a falência, estão a falta de gestão financeira, operacional e comercial.

Sendo assim, podemos entender que o fluxo de caixa já não é mais uma ferramenta auxiliar, mas sim uma peça fundamental para garantir a  longevidade das empresas e os planos de expansão a longo prazo. 

Isso porque um bom fluxo de caixa também impacta outros aspectos, como:

    • Tomada de decisões: contar com um bom fluxo de caixa permite que você tenha uma análise completa sobre a situação da empresa e realize decisões assertivas baseadas em dados;
    • Planejamento financeiro: com base nos dados do fluxo de caixa, você consegue realizar o planejamento financeiro empresarial. Assim, é possível estabelecer metas de crescimento e acompanhar os resultados mês a mês;
    • Cumprimento de obrigações: o fluxo de caixa também garante que a sua empresa cumpra todas as obrigações legais, como pagamentos de colaboradores, fornecedores e aluguéis, e possa criar medidas preventivas para evitar imprevistos;
    • Redução de custos: com a análise profunda da saúde financeira do negócio, você consegue entender como otimizar o saldo disponível e cortar despesas.

Quais são os principais tipos de fluxo de caixa?

Há diferentes tipos de fluxo de caixa, e cada um deles possui características e aplicações específicas. Por isso, é importante conhecê-los para identificar qual irá se encaixar melhor na sua estratégia. Veja só.

 1.  Fluxo de caixa indireto


O fluxo de caixa indireto, por sua vez, se baseia em cálculos e dados sobre os lucros e prejuízos presentes no DRE (Demonstração do Resultado do Exercícios),  além de depreciações e amortizações.

Em outras palavras, o fluxo de caixa indireto leva em consideração todas as movimentações financeiras que podem impactar os lucros do negócio, como financiamentos e investimentos.

 2.  Fluxo de caixa projetado


Diferente das outras modalidades, o fluxo de caixa projetado leva em conta as projeções futuras. Ou seja, ele irá considerar apenas os gastos e recebimentos dos meses seguintes, sem utilizar os dados de entradas e saídas que já foram realizadas.

Dessa maneira, os gestores conseguem preparar o orçamento de forma mais profunda, uma vez que a análise projetada fornece uma visão de riscos iminentes e  pontos a melhorar.

 3.  Fluxo de caixa operacional


Como o próprio nome sugere, o fluxo de caixa operacional se concentra apenas nas operações financeiras necessárias para o funcionamento do negócio.

Sendo assim, esse cálculo não considera valores de entradas e saídas que não estão relacionadas ao operacional.

 4.  Fluxo de caixa livre


Já o fluxo de caixa livre nada mais do que o saldo livre no caixa da empresa após a realização de todos os pagamentos de despesas e contas fixas.

Além de servir para pagar eventuais dívidas da empresa, ele pode ser utilizado para o pagamento de dividendos de acionistas.

 5.  Fluxo de caixa direto


O fluxo de caixa direto considera apenas os valores brutos das atividades operacionais da empresa, como venda de produtos ou serviços e pagamentos de colaboradores e fornecedores, sem considerar os descontos.

Como é de fácil compreensão, esse é um dos métodos mais utilizados, e fornece atualizações diárias sobre a saúde do caixa.

5 dicas para ter um fluxo de caixa eficiente na sua empresa

Para ter um fluxo de caixa eficiente no seu negócio, é preciso se atentar para outros passos que vão além da entrada e saída de valores. Confira quais são.

 1.  Registre e classifique todas as informações


Todos os valores gastos ou recebidos – por menores que sejam – precisam ser registrados diariamente. Afinal, esse é o objetivo do fluxo de caixa.

Também é importante separar as informações por categorias, e não somente “ganhos” ou “gastos”. Dessa forma, você terá uma visualização completa e conseguirá identificar as origens de todas as entradas e saídas.

 2.  Defina um período para o fluxo de caixa


O fluxo de caixa não possui uma periodicidade fixa. Sendo assim, você pode realizá-lo conforme as necessidades do seu negócio. 

Ele pode ser feito diariamente, semanalmente, quinzenalmente ou mensalmente, mas lembre-se que um período muito longo pode impactar no controle das finanças.

 3.  Utilize a tecnologia


Até hoje, muitas empresas utilizam uma planilha de fluxo de caixa para registrar todas as movimentações financeiras. No entanto, essa pode não ser a melhor opção quando falamos de fluxo de caixa.

Então, a dica é abraçar a tecnologia e utilizá-la a seu favor. Com um software, você tem muito mais autonomia e consegue otimizar a análise dos dados, além de contar com segurança e controle sobre as informações.

 4.  Faça um inventário


Para facilitar o registro das entradas e saídas,  busque realizar um levantamento de todas as despesas e receitas (sejam atuais ou futuras), assim como planos de expansão e investimentos no negócio.

 5.  Gerencie o estoque


Você sabia que um estoque volumoso pode acabar prejudicando a sua empresa? Isso porque, se não utilizado, ele pode se tornar um capital imobilizado e que não gera receitas para o negócio.

Portanto, vale a pena se certificar sobre o valor do seu estoque e os limites máximos e mínimos que ele pode ter. Com essas informações, você terá mais controle e saberá quanto investir para não ter prejuízos.

Deixe o seu negócio mais eficiente com a tecnologia da iugu!

Agora que você já conhece a importância de um bom fluxo de caixa, que tal aprofundar os conhecimentos e levar a sua empresa mais longe? Baixe gratuitamente o nosso Mini Guia de Eficiência Financeira e descubra como aplicar a transformação digital no seu negócio!

eficiencia financeira