Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

O que é amortização: entenda tudo sobre o processo

Conheça os diferentes tipos de amortização e saiba como eles podem ajudar o seu negócio

Escrito em 08 de Junho de 2022 por Thainara Carvalho

Atualizado em 28 de Junho de 2022

Você sabe o que é amortização? Se você realizou algum investimento ou empréstimo nos últimos tempos, já deve ter ouvido falar sobre essa expressão, não é verdade? Mesmo sendo conhecida no universo financeiro, ela ainda gera muitas dúvidas nos consumidores.

Isso porque o termo engloba uma série de sistemas e cada um deles possui características específicas. Sendo assim, não é de espantar que muita gente ainda fique confusa quanto ao tema. 

Mas não se preocupe. Pensando em te ajudar a ficar em dia com as dívidas, preparamos um conteúdo para te explicar como funciona a amortização, os principais tipos e como você pode escolher a melhor opção para o seu negócio. 

Boa leitura!

Sem tempo para ler? Que tal dar um play?

O que é amortização?

A amortização é o processo de redução gradual do valor de uma dívida a partir de pagamentos variáveis ou fixos, que são feitos, geralmente, de mês a mês. 

Para exemplificar, imagine que você realizou um financiamento de imóvel. O valor dessa dívida é dividido em parcelas para pagamento e, em cada uma delas, já estão inclusos os juros e as taxas.

No entanto, também existe a possibilidade de realizar a amortização a partir de pagamentos maiores ou antecipação de valores. Dessa forma, é possível diminuir os juros ou a quantidade de parcelas restantes para a quitação da dívida.

Como funciona a amortização de parcelas?

Agora que você já sabe o que é amortização, é hora de saber como ela funciona na prática. Basicamente, a amortização  de parcelas dependerá do tipo de débito que foi adquirido e de qual sistema será utilizado para o cálculo.

Com as dívidas de financiamento, por exemplo, as estratégias mais comuns são o adiantamento de parcelas e redução de valores.

No primeiro caso, o contratante paga um determinado valor para conseguir reduzir o número de parcelas totais que deverá pagar.  

Logo, se um financiamento levar 86 parcelas para ser quitado, o pagamento da amortização pode ser feito para diminuir esse  tempo e ser concluído antes do prazo. 

No segundo caso, o objetivo é diminuir o valor pago a cada parcela. Desse modo, se o financiamento foi feito com parcelas de R$700,00 mensais, é possível recorrer a amortização para diminuir o valor e as parcelas restantes. 

Assim, podemos afirmar que, em ambos os cenários, a amortização serve para facilitar o pagamento dos seus débitos e diminuir o valor total da dívida. 

Amortização financeira x amortização contábil: qual é a diferença?

Antes de seguirmos falando sobre o funcionamento da amortização,  é importante estabelecer a diferença entre amortização financeira e amortização contábil. 

Como você viu até aqui, a amortização financeira refere-se à redução do valor total de um determinado débito. 

A amortização contábil, por outro lado, diz respeito ao registro da perda de valor de bens intangíveis em documentos oficiais na DRE (Demonstração de Resultados de Exercício) da empresa.

Os bens intangíveis são todos aqueles que não possuem existência física, como, por exemplo, as marcas, os pontos comerciais e até mesmo licenças de softwares

Ainda que não existam materialmente, a perda de valor desses bens é estipulada com base em diferentes indicadores financeiros. Assim, o processo de compra e venda de bens intangíveis é guiado a partir de tais valores. 

A amortização é para todos?

De forma geral, a amortização pode ser feita por qualquer pessoa ou empresa, desde que ela tenha recursos para quitar as dívidas e evitar o acúmulo de juros.

Sendo assim, é necessário avaliar os critérios com muito cuidado. Se você possui alguma dívida ativa e gostaria de amortizar o seu saldo devedor, é importante se informar sobre as opções disponíveis e qual delas é a melhor escolha para o seu caso. 

Por isso, não deixe de entrar em contato com o seu banco ou instituição financeira e se informar sobre as possibilidades. Mas lembre-se de ficar atento a todas as condições para a amortização.

Como calcular a amortização?

Para calcular a amortização, os passos são simples. Primeiro, é preciso levar em consideração o tempo de vida útil do bem e o valor do investimento. 

Então, imagine o seguinte caso: o investimento em um novo software custou 15 mil reais para a sua empresa, e possui um tempo de amortização de 6 meses. 

Logo, a amortização calculada consistirá no valor do investimento, que é de R $15 mil reais, dividido pelo tempo, que é de  6 meses. Isso significa que a empresa deverá guardar cerca de R $2,5 mil reais por mês para quitar o saldo devedor.

Quais são as vantagens e desvantagens da amortização?

Um levantamento feito pelo Centro de Estudos de Mercado de Capitais da Fipe (Cemec-Fipe) apontou que a pandemia de COVID-19 aumentou o endividamento das empresas, subindo para 61,7% do PIB, o maior percentual da década.

Além disso, a alta da inflação nos últimos dois anos também tem impactado significativamente os rendimentos dos negócios.

Em momentos como esse, é comum que muitos empreendedores se perguntem o que fazer diante de tantas dívidas. Nesse sentido, a amortização figura como um dos caminhos para resolvê-las, e oferece diversas vantagens, como: 

  • Redução do valor das prestações;
  • Possibilidade de adiantamento de parcelas;
  • Mais segurança e controle financeiro;
  • Reduz o tempo de pagamento;
  • Redução de juros e parcelas;

Mas, antes de optar por esse recurso, você precisa saber que também há algumas desvantagens da amortização:

  • Em alguns sistemas, como o SAC, as primeiras parcelas possuem um valor maior;
  • No sistema Price, as prestações aumentam com o tempo, o que dificulta o pagamento acelerado;
  • O cuidado com o financeiro deve ser redobrado, já que há o risco de aumento da dívida.

Por esse motivo, saber o que é amortização e as suas vantagens e desvantagens  pode te ajudar a ter uma maior segurança na hora de navegar por períodos de turbulência financeira e saber o que fazer para se proteger. 

Quais são os principais tipos de amortização?

Se você leu até aqui, já deve ter entendido que a amortização pode ser um auxílio para lidar com dívidas financeiras. Agora, é hora de conhecer os principais sistemas de amortização e características de cada um. Veja só.

  • Sistema Americano de Amortização (SAA): os juros do empréstimo são pagos de maneira periódica. No entanto, a quitação ocorre através de uma única parcela, que deve ser paga no final do contrato;
  • Sistema de Amortização Constante (SAC): nesse modelo, a amortização é feita a partir de parcelas decrescentes. Ele é um modelo bastante utilizado em empréstimos de longo prazo, como o  financiamento de imóveis;
  • Sistema de pagamento único ou variável: aqui, o pagamento é feito em uma única parcela ao final do contrato, e o cálculo é feito com base na amortização da dívida somada aos juros;
  • Tabela Price: permite que você comece a pagar o financiamento com menos juros, que vão aumentando até o final do contrato. Nele, as primeiras prestações são formadas apenas por juros e taxas;
  • Sistema de Amortização Misto (SAM): é uma junção do sistema SAC e Price. Assim, os cálculos são feitos a partir da média da soma das parcelas do SAC e da Tabela Price; 
  • Sistema alemão: nesse sistema, a dívida é liquidada a partir do pagamento antecipado de juros em prestações iguais;
  • Sistema bullet: assim como no sistema de pagamento único, no bullet, o pagamento é feito através de uma única parcela no final do contrato, mas os juros são pagos periodicamente ao longo do contrato

Como escolher a melhor opção de amortização?

Como você deve ter notado, escolher o melhor sistema de amortização irá depender de uma análise profunda do caso em específico.

Só assim, será possível determinar a melhor estratégia e optar por sistemas como o SAC, tabela price ou misto. 

No entanto, há alguns questionamentos que podem ajudá-lo na hora de  escolher um sistema de amortização financeira

  1. Qual sistema faz mais sentido para a minha situação financeira atual? 
  2. Possuo confiança e conhecimento em qual sistema? 
  3. Quais são as condições de aquisição da dívida? Elas são se adequam a minha situação?  

Ao responder essas perguntas, será mais fácil escolher um sistema de amortização que faça sentido com a sua realidade e desafios.

iugu: o financeiro ainda mais potente!

Se você gostou de entender o que é amortização e como ela funciona, que tal aprofundar os seus conhecimentos e potencializar os resultados do seu negócio?

Baixe gratuitamente o E-book de Gestão Financeira Impecável e leve a sua empresa ainda mais longe!

Ebook Gestão Financeira