Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Lifelong Learning: o conceito e a importância para a carreira

Fundamental para a competitividade, o lifelong learning já é considerado um diferencial pelo mercado

Escrito em 05 de Setembro de 2022 por Thainara Carvalho

Atualizado em 12 de Setembro de 2022

Nos últimos dez anos, a tecnologia avançou a passos largos, transformando diretamente a vida em sociedade e, consequentemente, as exigências do mercado profissional. Com as demandas cada vez mais complexas de um mundo em constante transformação, muitos profissionais tiveram que se adaptar ao lifelong learning.

O termo, que significa “aprendizagem ao longo da vida”, tem como objetivo transformar a ideia de que o aprendizado termina quando saímos da escola ou recebemos um diploma universitário.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura e descubra o que é lifelong learning e todas as vantagens de adotar essa abordagem educacional!

O que é lifelong learning?

O lifelong learning é o aprendizado contínuo e o desenvolvimento de habilidades mesmo após a conclusão da educação formal.

Em outras palavras, ele pode ser definido como um aprimoramento contínuo, voluntário e automotivado de habilidades ao longo de toda a vida, seja no âmbito acadêmico, profissional ou pessoal.

Apesar de ser amplamente difundido na atualidade frente aos avanços tecnológicos e a digitalização, o conceito surgiu ainda na década de 70, quando a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento (OCDE) lançou o manifesto Recurrent Education: A Strategy of Lifelong Learning, para incentivar a educação continuada ao longo da vida.

De lá para cá, muita coisa mudou, mas a busca pelo aprendizado constante  por meio de diferentes fontes continua sendo fundamental para a sobrevivência em uma sociedade em transformação.

Qual é a importância do lifelong learning?

Aquilo que aprendemos ao longo da vida nas salas de aula se torna, a cada ano, mais defasado. 

O relatório Learning and Earning, realizado pela The Economist, mostrou que, enquanto o ensino superior ainda é considerado importante para muitas atividades, os empregadores tendem a não confiar somente em um diploma. 

Segundo o material, o desenvolvimento de experiências e a vontade de desenvolver novas habilidades são cada vez mais importantes na contratação de profissionais. 

E essa preocupação com a educação contínua já aparece nas pesquisas. De acordo com uma pesquisa realizada pela Pew Research Center, 73% dos americanos se consideram aprendizes para a vida toda.

Diante desse cenário, não dá para ficar para trás. 

Além de maiores chances de empregabilidade, o conceito de  lifelong learning também traz benefícios para a vida pessoal, expandindo os horizontes daqueles que adotam esse método de aprendizagem e garantindo que estejam sempre atualizados com as novas tecnologias.

Para as empresas, isso representa colaboradores mais criativos, inovadores, preparados para os desafios e com diferentes fontes de conhecimento – habilidades que podem ser aplicadas às diferentes áreas da empresa e proporcionam crescimento e competitividade nos negócios.

Os 4 pilares do lifelong learning: veja quais são

De acordo com a Lifelong Learning Council Queensland (LLCQ), organização que representa o conceito ao redor do mundo, os pilares do lifelong learning são os seguintes:

  • Aprender a conhecer: o primeiro pilar refere-se a obtenção do conhecimento a partir de uma postura questionadora, pautada no pensamento crítico e na reflexão sobre os temas;
  • Aprender a fazer: é o aprendizado “mão na massa”, com desenvolvimento de habilidades como o trabalho em equipe, a boa comunicação, a proatividade e desafios;
  • Aprender a conviver: o terceiro pilar diz respeito ao desenvolvimento da empatia e da interação com o próxima como forma de troca de conhecimento;
  • Aprender a ser: como o nome sugere, é o aprendizado focado no modo de agir. Aqui, preza-se pelo desenvolvimento da autonomia para o aprendizado, assim como o da responsabilidade sobre a própria educação.

Lifelong learning na prática: 5 dicas para aplicar a metodologia

Até aqui, conhecemos a importância do lifelong learning e os benefícios para profissionais e empresas. Agora, é hora de conhecer algumas dicas para aplicar essa metodologia na prática. Confira.

1. Qualifique-se e mantenha-se atualizado

Como mencionamos logo no início do texto, o ensino adquirido durante a graduação se torna defasado ao longo do tempo, principalmente frente às inovações do mercado.

Sendo assim, é preciso aprofundar os conhecimentos e criar bases sólidas na educação. Para atingir esse objetivo, busque por cursos de qualificação e participação em palestras. 

A partir disso, você pode melhorar as habilidades que já têm, adquirir novas e ainda trocar conhecimentos com pessoas diferentes.

2. Pense fora da caixa

Há quem pense que o lifelong learning só pode ser praticado a partir da compra de cursos caros. Mas isso não poderia estar mais longe da verdade.

Afinal, o aprendizado não está restrito apenas às certificações, mas sim a postura voltada ao estudo, e esta pode ser exercitada de diferentes formas: livros, conversas entre amigos e colegas, webinars e podcasts são só alguns exemplos de como praticar a aprendizagem.

3. Identifique pontos de melhorias

Todos nós possuímos pontos fracos e fortes. Mas para traçar uma estratégia de aprendizagem contínua e melhorias de habilidades, é preciso conhecer, a fundo, quais são eles. 

A partir dessas informações, você poderá se conhecer melhor, saber o que pode ser aprimorado e criar um caminho assertivo para alcançar tais objetivos.

4. De olho nas tendências

Como você deve saber, as transformações não param, e é fundamental estar sempre por dentro das principais tendências do mercado a fim de se manter competitivo.

Por isso, tente conversar com especialistas da sua área, ficar por dentro de pesquisas e aprender novas habilidades para melhorar os insights, como a análise de dados.

5. Crie uma rotina

A palavra rotina pode despertar calafrios em algumas pessoas. Afinal, é comum que ela seja associada à mesmice e ao tédio.

No entanto, a rotina é algo extremamente vantajoso para o bem-estar e o crescimento pessoal e profissional.

Portanto, a dica é criar um compromisso diário com o lifelong learning. Estabeleça os dias e horários, assim como os tópicos a serem estudados. 

Dessa forma, será muito mais fácil manter-se motivado. Se precisar de variedade, você pode testar formas ou lugares diferentes para estudar, como, por exemplo:

  • Estudar em parques;
  • Estudar em bibliotecas;
  • Estudar com amigos e colegas de trabalho;
  • Utilizar a gamificação nos estudos.

Com a tecnologia, você vai mais longe

O lifelong learning é uma postura fundamental para quem deseja sair na frente em um mundo competitivo e repleto de inovações tecnológicas que se multiplicam a cada ano. 

E como a aprendizagem e a tecnologia caminham juntas, não há nada melhor do que contar com a ajuda do digital para aprofundar os conhecimentos e aprender de formas diferentes, certo?

Confira o que são EdTechs e descubra como elas estão mudando o futuro da educação!

E para ficar por dentro das novidades sobre mercado financeiro, tecnologia e meios de pagamento, basta assinar a newsletter da iugu!

Nova call to action