Indicador de fluxo de caixa: confira os 5 mais importantes

Escrito em 02 de Maio de 2024 por Lidiane Oliveira

Escolher os melhores indicadores de fluxo de caixa ajuda a enxergar a saúde financeira de forma sistêmica, tomar decisões melhor embasadas e até prever e solucionar crises antecipadamente. Entenda como medir.

Gerenciar recebimentos, fazer pagamentos, organizar o setor, promover treinamentos para manter o time alinhado, buscar boas ferramentas de apoio: sim, gerenciar a área financeira de um negócio não é fácil. Porém, dentre as (muitas) demandas do gestor, a análise de indicadores de fluxo de caixa pode tornar o processo mais fluido e orientado.

Isso porque, com os dados, é possível entender a saúde financeira da empresa e direcionar ações de forma que não prejudiquem o andamento do negócio — evitando, inclusive, seu fechamento precoce. 

De acordo com o Sebrae, a falta de planejamento financeiro e as falhas na gestão ocupam segundo e terceiro lugar na lista de motivos para o fechamento de micro e pequenas empresas no país em até 5 anos após a abertura, atrás apenas da falta de preparo pessoal. 

Para te ajudar a escapar da estatística e zelar pela longevidade do seu negócio, neste artigo, te mostramos os 5 principais indicadores de fluxo de caixa, incluindo os caminhos para obter os índices e analisá-los. 

Aproveite! 

O que é um indicador de fluxo de caixa?

Um indicador de fluxo de caixa, também conhecido como KPI (Key Performance Indicator, ou indicador-chave de performance), é uma métrica de acompanhamento da gestão de entradas e saídas da empresa. Por meio do indicador, é possível acompanhar movimentações, observar padrões, criar projeções e antecipar eventuais crises financeiras.  

Por exemplo: a avaliação do fluxo de caixa pode indicar a possibilidade de fazer investimentos e até pensar na expansão do negócio. Por outro lado, aponta quando há a necessidade de observar de perto a relação entre gastos e ganhos e buscar saídas para reverter um cenário de crise.

Qual a importância do indicador de fluxo de caixa? 

Analisar um bom indicador de fluxo de caixa (ou uma série combinada de indicadores) é fundamental para uma visão sistêmica da saúde financeira do negócio. 

Isso porque a avaliação permite observar a relação entre gastos e ganhos de forma detalhada, tornando o planejamento financeiro mais rico em dados.

Alguns dos pontos positivos de se fazer a análise do fluxo de caixa por meio de indicadores são: 

  • previsibilidade de caixa;
  • compreensão do cenário da empresa;
  • tomadas de decisão melhor embasadas;
  • antecipação de crises..

Veja mais sobre cada um a seguir.

Previsibilidade de caixa

Ao avaliar um indicador de fluxo de caixa consistente, você compreende as movimentações da empresa e, sobretudo, como elas impactam o andamento do negócio. 

A partir da análise comparativa da performance da empresa no indicador por determinados períodos, é possível antever tendências e estruturar uma previsibilidade para o caixa. 

Em resumo, a análise das métricas de fluxo de caixa ajuda a antecipar cenários considerando futuras entradas e saídas financeiras e o comportamento da empresa em cenários semelhantes no passado. 

Compreensão do cenário da empresa

Adicionalmente, o controle de fluxo de caixa com base em indicadores fornece uma visão muito mais acurada sobre o real cenário da empresa. 

Afinal, guardar informações financeiras e acompanhar minuciosamente a entrada e a saída de valores no caixa é importante, mas, mais ainda, é saber como usar as informações coletadas para obter um diagnóstico da saúde financeira do negócio. E este é exatamente o papel de um bom indicador.

EXTRA: aumente a compreensão do cenário da sua empresa com a ajuda da conciliação financeira, que permite conferir de perto as operações realizadas, atestando sua efetividade e prevenindo prejuízos! 

Tomadas de decisão melhor embasadas

Sente que é o momento de expandir, abrindo uma nova filial, mas não tem certeza se o negócio já é escalável? A análise de indicadores pode te dar uma base sólida para tomar a decisão. 

Com as métricas, é possível determinar tendências de crescimento ou identificar potencial de expansão com base na performance pregressa da empresa. 

Antecipação de crises

De igual maneira, ter acesso a métricas de fluxo de caixa ajuda a observar antecipadamente quebras nos padrões de crescimento e até antecipar crises. 

Se um indicador que sempre performa positivamente começa a cair, é hora de acender o alerta, observar o cenário e traçar um plano de contingência. 

Quais os 5 indicadores de fluxo de caixa mais importantes? 

Agora que você já conhece a importância, que tal conhecer nossa seleção com os 5 principais indicadores de fluxo de caixa? Veja abaixo! 

1. ROI


Também conhecido como Retorno sobre o Investimento, o ROI é um dos mais usados indicadores de fluxo de caixa. Como o nome diz, a métrica ajuda a compreender se o valor investido em estratégias de vendas, marketing ou operação foi convertido em ganhos — ou seja, se houve retorno ou lucro. 

O cálculo do ROI é simples, e se aplica a projetos, iniciativas e investimentos em períodos determinados. Basta seguir a fórmula: 

ROI = ((receita - custo) x 100) / custo

A análise do resultado do ROI depende da consideração de fatores como a natureza do negócio, a sazonalidade e o tipo de investimento realizado. 

No entanto, em linhas gerais, podemos dizer que, um resultado acima de zero na fórmula aponta que não houve prejuízo para a empresa. Já quando o ROI é menor do que zero, a indicação é de que a receita gerada não superou o valor investido. 

2. Ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio é um indicador de fluxo de caixa que ajuda a balizar o cenário financeiro da empresa. Em resumo, ele ajuda a compreender, com base em dados, o quanto o negócio precisa vender para para pagar as despesas e obter a margem predeterminada de lucro. 

Além de ser uma métrica orientativa, é, também, um recurso de segurança, uma vez que informa a empresa sobre movimentações necessárias para evitar cair “no vermelho”. 

Seu cálculo é feito a partir da fórmula: custo fixo / margem de contribuição

Para obter a margem de contribuição do negócio, por sua vez, é preciso subtrair o valor do custo variável da receita. 

3. Capital de Giro


Outro indicador de segurança, o capital de giro avalia a liquidez da empresa, ou seja, qual valor deve estar constantemente disponível para quitar débitos, garantindo a capacidade de pagamento do negócio,  e manter a operação em dia. 

Para calculá-lo, é preciso usar a fórmula: capital de giro = (contas a receber + valores do estoque) – (contas a pagar + despesas).

4. Resultado Operacional de Caixa

Também conhecido como Fluxo de Caixa Operacional (FCO), este indicador ajuda a analisar a performance do negócio como um todo, avaliando a relação entre as entradas e saídas necessárias para a manutenção da empresa. 

Para calculá-lo, é preciso ter em mãos o DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) — para acessar as informações sobre o lucro antes dos impostos) e usar a fórmula: 

FCO = lucro antes dos impostos - impostos + depreciação

Para te ajudar a entender melhor o cálculo, o lucro antes dos impostos (também conhecido como EBIT), indica o resultado operacional da empresa a partir da subtração dos custos operacionais e das despesas das receitas operacionais.

Os impostos correspondem às taxas e emolumentos pagos pelo negócio, e a depreciação, equivale à perda de valor de um bem ou ativo ao longo de sua vida útil. 

5. CAPEX e OPEX

O CAPEX (Capital Expenditure) representa as despesas de capital da empresa. Em resumo, diz respeito à parte do fluxo de caixa direcionada à aquisição de equipamentos ou bens que contribuem para o crescimento da empresa.

Já o OPEX (Operational Expenditure), equivale às despesas operacionais do negócio, ou seja, investimentos em manutenção e mão de obra. 

Para observar CAPEX e OPEX como indicadores de fluxo de caixa, é preciso fazer o levantamento periódico dos investimentos em capital e operação e estabelecer a comparação entre os valores ao longo do tempo. 

Conhecer os melhores indicadores de fluxo de caixa é um passo essencial para manter a saúde do seu negócio, mas não é o único! 

Para te ajudar a criar estratégias de gestão adequadas à realidade da sua empresa, maximizando os lucros e minimizando os custos, preparamos um kit completo sobre Gestão Financeira Inteligente.

Neste material exclusivo e gratuito, você tem acesso a: 

  • Práticas de gestão em um contexto de incerteza de crédito; 
  • Otimização de processos financeiros dentro das empresas;
  • Caso de sucesso Ingresso Prime: aumento de mais de 80% na conversão de pagamentos
  • E muito mais!

Posts relacionados