A importância da segurança da informação em apps financeiros

Veja como a segurança da informação pode auxiliar na proteção contra fraudes em apps financeiros

Escrito em 20 de Maio de 2022 por Thainara Carvalho

Atualizado em 27 de Maio de 2022

As fraudes financeiras que derivam do furto de celulares e acesso aos aplicativos bancários têm crescido exponencialmente no Brasil. Nesse contexto, a segurança da informação figura como uma importante ferramenta para a proteção de dados sensíveis.

Uma pesquisa divulgada, em abril, pela empresa de consultoria Mobile Time/Opinion Box, revelou que 35% dos brasileiros já tiveram aparelhos celulares roubados ou furtados pelo menos uma vez.

Com o aumento de roubos e furtos, aumenta também a engenhosidade de criminosos, que  conseguem acessar informações e dados sensíveis de contas bancárias para realizar fraudes, empréstimos e utilizar cartão de crédito para compras online. 

O caso mais recente de um roubo dessa natureza viralizou nas redes sociais, despertando a preocupação de milhares de usuários sobre como se proteger contra fraudes em apps bancários. 

Para te ajudar a entender mais sobre esse tipo de golpe, preparamos um conteúdo com as principais informações e dicas de segurança. Continue com a gente e saiba mais sobre o assunto!

Sem tempo para ler? Experimente o player abaixo.

Roubo de celulares e golpes em apps bancários: entenda a ação dos criminosos

Já há algum tempo, os smartphones têm funcionado quase como uma extensão do nosso próprio corpo. Afinal, passamos boa parte do dia conectados, e costumamos armazenar contatos, e-mails, fotos, vídeos e outras dezenas de informações pessoais em nossos aparelhos.

É também pelos celulares que costumamos realizar compras online. De acordo com a pesquisa Webshoppers realizada pela Nielsen | Ebit, o mobile representou 53% das vendas do e-commerce nacional em 2021, o equivalente a uma receita de R$95,5 bilhões.

Além disso, as movimentações bancárias por apps financeiros também têm disparado. Segundo a Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária, as transações realizadas por aplicativos de banco representaram 51% do total das operações feitas no país.

Como quase todos os aspectos importantes da vida ficam disponíveis em um único aparelho, é justamente quando ele cai em mãos erradas que os problemas começam.

A partir do roubo ou furto, criminosos encontram brechas para acessar e aplicar diferentes golpes financeiros, que vão desde compras com cartão de crédito até empréstimos fraudulentos.

Apesar de diversos mecanismos de segurança, como a criação de senhas, o reconhecimento facial e a biometria, os fraudadores conseguem vasculhar o aparelho em busca de diferentes informações que possibilitam o acesso aos apps, que podem ser:

  • Apps com login e senha salvos;
  • Imagens ou prints de cartão de crédito e documentos;
  • Senhas armazenadas em e-mails, bloco de notas ou aplicativos de mensagens.

Geralmente, os criminosos têm como alvo os aparelhos em uso, já que estão desbloqueados e são simples de entrar. No entanto,  diversas quadrilhas especializadas em roubos de celulares aparentam utilizar técnicas sofisticadas para desbloqueá-los e ter acesso às informações.

O aumento dos roubos de celulares e a importância da segurança da informação

Somente na cidade de São Paulo, um celular é roubado a cada 5 minutos, de acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública

Ainda no início deste mês, a Polícia Civil de São Paulo realizou uma operação contra grupos que utilizam celulares roubados para receber pagamentos via Pix

Nesse contexto, não é difícil de entender a importância da segurança da informação na prevenção de fraudes desse tipo. É ela que age na garantia da confidencialidade, disponibilidade e integridade dos dados, por meio de tecnologia,  pessoas e processos, detectando, prevenindo e respondendo às ameaças digitais.

Por isso, investir em segurança da informação é crucial para bancos e instituições financeiras. Além da questão ética, realizar a proteção de dados é fundamental para evitar prejuízos financeiros e de imagem para os negócios. 

Isso porque, segundo a Súmula 479 do Superior Tribunal de Justiça, no caso de fraudes envolvendo empréstimos, as instituições financeiras têm que responder pelos danos gerados para clientes em suas operações bancárias. 

Em casos como esse, os bancos e instituições devem ressarcir todo o prejuízo causado aos correntistas. Além de também poderem ser condenados pela Justiça a pagar indenização por danos morais, uma vez que houve quebra de confiança entre a empresa e o cliente, que esperava a existência de medidas de segurança.

De acordo com Kenia Carvalho, Gerente de Segurança da Informação e DPO da iugu, é cada vez mais evidente que a criação de novos produtos e serviços financeiros deverão ter, além da funcionalidade, conceitos de segurança e privacidade como parte do projeto.

“É importante manter o investimento contínuo em controles de proteção e detecção. As organizações serão diferenciadas pela velocidade que antecipam e reagem à uma ameaça. Tenho expectativa de que, cada vez mais, a segurança e a privacidade serão parte essencial do escopo de desenvolvimento de produtos.” 

Além disso, Kenia pontua que a segurança em smartphones depende da união entre tecnologia e comportamento. “Toda tecnologia incentiva, de um lado, o progresso, e do outro a responsabilidade digital das empresas e governos, e principalmente a mudança de comportamento social  dos cidadãos, que devem buscar mais conhecimento sobre não só seus direitos e deveres como também das configurações disponíveis para que sua utilização seja segura.” 

Quais são as principais dicas de prevenção em caso de roubo?

Sem dúvidas, a segurança da informação tem um papel importante tanto para as empresas quanto para os usuários. Para aumentar as camadas de proteção no dia a dia, confira as principais dicas para evitar fraudes em apps.

 1.  Conte com cartões virtuais


Os cartões virtuais são meios de pagamento feitos para serem utilizados em compras online e contam com números que mudam com o tempo. Eles são boas alternativas para evitar que os criminosos utilizem os dados do seu cartão para compras em apps.

 2.  Bloqueie a tela do aparelho celular 


O bloqueio de tela é fundamental para proteger o celular contra acessos indevidos. Por isso, configure um travamento automático após poucos segundos de inatividade.

 3.  Faça autenticação de dois fatores


A autenticação de dois fatores é mais uma camada de proteção no momento de acessar os aplicativos. Além da senha ou biometria, os apps pedem um código que será gerado no momento do login. Para isso, você pode utilizar o Google Authenticator.

 4.  Evite deixar senhas salvas


Como vimos no início, as senhas salvas no celular funcionam como brechas para que criminosos consigam acessar e-mails e diferentes aplicativos. Logo, é importante evitar deixá-las salvas em navegadores ou blocos de notas. Em vez disso, conte com um gerenciador de senhas.

O que fazer em caso de roubo ou furto de celular?

Caso tenha o celular roubado ou furtado, é importante seguir um passo a passo a fim de evitar maiores riscos de fraudes. Confira quais são.

 1.  Reporte o caso ao banco ou instituição financeira


Em casos como esse, o primeiro passo é ligar para o banco ou instituição financeira e solicitar o bloqueio da conta. Lembre-se que esse passo deve ser feito com rapidez, já que a ação dos criminosos costuma acontecer em poucos minutos.

 2.  Faça um boletim de ocorrência


O Boletim de Ocorrência formaliza o crime perante a Polícia Civil Estadual. Além de permitir a busca pelos criminosos, ele é um importante registro e auxilia no resguardo dos direitos.

 3.  Bloqueie o aparelho


Depois de comunicar o roubo, o próximo passo é bloquear o aparelho de forma remota. Em Iphones, isso pode ser feito a partir do recurso “encontre meu dispositivo”. Para aparelhos com sistema operacional Android, basta acessar o site Find utilizando a conta Google. 

O bloqueio também pode ser feito usando o código IMEI, um número que identifica o seu celular. Para descobrir o seu, é só abrir as configurações ou discar para o número *#06#. Com o número, você pode ligar para sua operadora e solicitar o bloqueio, que precisa ser feito em até 24h.

iugu: transparência e segurança para a saúde financeira do seu negócio

Para proteger os dados sensíveis dos nossos clientes, a iugu conta com certificado PCI compliance ー uma das maiores certificações de segurança do mundo ー e token triplo, que realiza a identificação do aparelho e da conta para autorizar as movimentações financeiras.

Todos os nossos sistemas garantem muito mais transparência para as transações online. Conheça nossas certificações e saiba como garantimos a segurança da informação.