Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h às 17h. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Up-Sell e Cross-Sell: o que são e como podem aumentar seu faturamento?

Você já ouviu falar em up-sell e cross-sell e para que eles servem? Leia este artigo e veja como eles podem aumentar seu faturamento.

Escrito em 11 de Maio de 2021 por Renato Ribeiro

Atualizado em 12 de Maio de 2021

O mundo dos negócios é desafiado continuamente pela necessidade de mais criatividade e inovação. Por isso, é muito importante conhecer e planejar novos processos na relação com o cliente para mantê-la sempre aquecida. Entre as abordagens atuais, podemos citar as técnicas de Up-sell e Cross-sell.

Notamos que a competitividade não dá trégua e o consumidor está cada dia mais exigente, sem falar na quantidade de opções saltando à nossa frente o tempo todo. Nas vendas online e também nas lojas físicas, isso é muito visível e as técnicas acima mencionadas podem ajudar a dar um “up” nas suas vendas e na fidelização de clientes.

No post de hoje falaremos sobre isso, então, continue com a gente e saiba como essa estratégia pode ser útil para o seu negócio! 

O que é cross-sell?

Cross-sell é uma tática também conhecida como venda cruzada. Ela ocorre toda vez que você oferece um serviço ou um produto que complementa a escolha já feita pelo cliente. Mas, não se engane, pois, não se trata apenas de induzir o consumidor a comprar mais. 

O cross-sell, quando bem usado, pode funcionar como uma forma de proporcionar experiências mais satisfatórias ao cliente, uma vez que ele consegue absorver a escolha inicial melhor e de maneira mais completa.

Vejamos um exemplo: você está em uma loja de produtos esportivos para levar um par de tênis e o vendedor oferece meias adequadas ao produto. Se você opta por uma malha para prática de exercícios físicos, ele sugere acessórios para musculação, e por aí vai. 

A lógica por trás disso é que há sempre algo relacionado a uma intenção de compra, já que os complementos não têm fim.

O que é up-sell?

O up-sell, por sua vez, é parecido com o cross-sell, mas está relacionado a um ganho a mais, e acontece quando o vendedor oferece ao consumidor um “plus” para aperfeiçoar o que já está sendo comprado, com base em uma condição melhor. Em outras palavras, é uma espécie de upgrade.

Por exemplo, se alguém adquire um produto pela internet, antes de finalizar o pedido, aparece um aviso dizendo que, por mais R$ 100 ele pode levar outro modelo com mais funcionalidades ou com atributos melhores. Essa prática é muito comum em vendas de softwares, por exemplo, e fica evidente quando o cliente opta por um plano superior ao que já usava, ou seja, uma versão mais avançada da ferramenta.

No caso de oferta de serviços, o up-sell pode se configurar na contratação de um pacote de atendimento VIP, maior tempo de serviço, escopo mais abrangente, etc.

O que é down-sell?

Aqui, as coisas tomam um rumo contrário. O down-sell é quando é feita uma nova oferta do mesmo produto, só que com um valor menor, de forma que a venda não seja perdida.

Quando isso acontece em negócios que envolvem serviços, o impacto pode significar ainda mais, uma vez que a empresa está contando com o faturamento mensal, que envolve a expectativa do investimento já feito pelo cliente daquele serviço. Sendo assim, é bom se antecipar e pensar em estratégias para evitar essas surpresas desagradáveis ou mesmo o churn.

Downgrade

Aqui, a estratégia é parecida com a down-sell, mas, neste caso, é quando o cliente já contratou um plano e, ao invés de cancelá-lo, ele opta por escolher um de menor valor. 

Como esses processos se relacionam com o cliente?

As modalidades up-sell e cross-sell podem ser excelentes estratégias para aquecer as vendas da sua empresa. No entanto, todo cuidado é pouco na hora de praticá-las, para não passar a impressão de oferta forçada.

É preciso ter em mente que essas técnicas só funcionam quando realmente faz sentido para o cliente adquirir outros produtos, ou optar por algo mais caro. 

No caso do cross-sell, a tática só funciona naturalmente se os produtos realmente se complementam. Assim, o cliente leva o combo quando enxerga mais valor nessa oferta que no produto sozinho. Trata-se de uma geração de valor que precisa ser trabalhada durante a negociação.

Quando a situação envolve up-sell, a necessidade do consumidor deve ser respeitada antes de tudo. Caso ele manifeste satisfação com o produto mais simples e ainda não queira algo mais sofisticado, não há porque forçar. Com o tempo, ele mesmo pode rever suas necessidades e procurar por opções melhores, por sua própria conta.

Qual é o melhor momento para aplicar essas técnicas de vendas?

Estamos falando de estratégias, então, sempre há um momento chave para aplicá-la. A seguir descreveremos algumas sugestões. Acompanhe e fique por dentro!

Mapeando as necessidades do cliente

Qualquer estratégia comercial, incluindo vendas complementares e ações de upgrade, precisam ser orientadas pelas reais necessidades dos consumidores. É o que difere o “empurrar” do “sugerir” um serviço ou produto com valor real para eles. Sabendo disso, oriente-se por dados confiáveis, mapeando o histórico de compras, de atendimento, expectativas e demandas de cada cliente.

Faça sondagens com perguntas investigativas

Durante o processo de mapeamento, a empresa pode usar uma tática de ouro para enriquecer o banco de dados de preferência dos clientes: fazer perguntas investigativas ao longo das tratativas de vendas. Com isso, fica mais fácil e direta a tarefa de descoberta dos anseios de cada cliente.

Fique de olho nas oportunidades

Ao mapear os dados dos clientes, a oportunidade certa para um cross-sell ou up-sell estará mais visível, podendo favorecer a antecipação de ações. Dessa forma, a equipe comercial não pode perder de vista os indícios de possíveis chances de upgrade, mantendo as informações devidamente acessíveis para serem usadas no momento certo.

Construa a jornada do cliente

A construção da jornada do cliente é outra medida que está de mãos dadas com o mapeamento das oportunidades. Ela está atrelada às etapas que o cliente percorre durante sua experiência de compra, desde o primeiro contato até a fase de pós-venda.

Por meio desse acompanhamento é possível saber exatamente quando o cliente estará mais receptivo às abordagens de cross-sell ou up-sell. 

Invista na simplicidade 

Para que essas estratégias funcionem bem, é sempre bom não exagerar nas ofertas, que podem confundir o consumidor em vez de agregar algum valor. Então, procure limitar os esforços às ofertas mais relevantes, principalmente quando se trata de cross-sell.

Comprove o real valor

Os melhores argumentos de venda se baseiam em dados e provas genuínas. Esse é um gatilho mental conhecido de prova social e autoridade

Por isso, quando houver oportunidades para praticar cross-sell e up-sell, não pense duas vezes para usar depoimentos de clientes, cases de sucesso e até mesmo cálculos de ROI para embasar suas vendas. Tudo isso reforça o valor de upgrades e compras adicionais.

Vale lembrar, ainda, que a abordagem de venda consultiva é essencial para validar o real valor. Então, escute o cliente com toda a sua atenção, seja em qual canal for, oferecendo uma autêntica consultoria em torno de suas necessidades. Com isso em mãos, ofereça o máximo de soluções para facilitar sua vida.

Aposte em follow-up

Muitas vezes, as melhores chances de se aplicar as estratégias de venda como up-sell e cross-sell só aparecem depois que o consumidor já testou o produto ou serviço e pode avaliar o resultado.

Por isso, invista em follow-up (acompanhamento de processos após a execução da etapa inicial - no caso, pós-venda) de forma contínua. Durante esse contato, procure sondar o cliente com perguntas pontuais sobre sua experiência até o momento, nível de satisfação, feedbacks e etc. Assim, investigue a atenção dirigida às suas demandas e, na hora certa, faça as ofertas adequadas.

Quais são os impactos que as duas abordagens trazem para os negócios?

A intenção de toda estratégia de vendas é alcançar resultados positivos e que impulsionem os negócios cada vez mais. Assim sendo, vejamos que impactos as duas técnicas podem causar nas suas vendas:

Aumento da fidelidade e da retenção dos clientes

Normalmente, o consumidor procura soluções pontuais para seus problemas. Então, as estratégias de cross-sell e up-sell surgem como uma forma de agregar um valor extra, que pode gerar ainda mais satisfação ao cliente.

Nesse sentido, a ação deve ser muito bem arquitetada e a oferta útil de verdade, senão, o efeito esperado pode ser totalmente contrário. Se bem empregado, são grandes as chances de fortalecer a satisfação do consumidor e fidelizá-lo.

Redução do payback period 

É a diminuição do tempo de recuperação do investimento da empresa e está diretamente relacionado ao Custo de Aquisição do Cliente (CAC). Esse também é um fator importante para se levar em conta, quando se pensa em lucro.

Conhecer o tempo necessário para a recuperação do que foi investido na conquista de um cliente é algo muito estratégico, principalmente em negócios de receita recorrente. 

Sendo assim, quanto mais tempo se leva para recuperar o CAC , mais importante é usar estratégias de retenção de clientes e aumentar a receita. Nesse sentido, o up-sell e o cross-sell são ótimas opções.

Aumento do lifetime value

O Valor do Tempo de Vida do cliente (também conhecido como “lifetime value” ou pela sigla LTV) é capaz de determinar o valor que ele tem para o seu negócio. 

O LTV se trata do quanto o cliente investe em seus serviços/produtos enquanto mantém relações comerciais com a sua empresa.

Então, para compensar esse custo de aquisição ou aumentar os rendimentos, uma boa alternativa é procurar formas de aumentar o LTV, explorando o máximo possível em cada potencial de venda. Mais uma vez, o cross-sell e o up-sell se encaixam bem como estratégias. 

Aumento da receita

O ganho de receita é uma consequência direta das boas práticas anteriormente citadas. Pela lógica, é mais provável conseguir mais vantagens ao vender para clientes que já foram conquistados. 

Além disso, em um estudo da Frost & Sullivan, o consumidor mudou seu comportamento nos últimos anos, tornando-se mais exigentes e fiéis às marcas que estejam de acordo com seus valores, por isso, 95% dos consumidores apontam que a experiência é fundamental para sua lealdade à marca. Diante disso, vale relembrar o que Philip Kotler disse: conquistar um novo cliente é entre 5 e 25 vezes mais caro do que manter um cliente já fiel à marca

Mais indicações e menos churn

Conforme já destacamos, complementos de vendas e upgrades potencializam naturalmente a confiança e a satisfação dos consumidores, quando empregados corretamente. O resultado, portanto, é a ampliação da preferência pela marca, que reduz a taxa de churn (cancelamento de contrato).

Assim, as indicações aumentam, ou seja, consumidores contentes falam bem do seu negócio e o indicam com boa vontade para mais gente. Essa, aliás, é das mais antigas e baratas práticas de marketing.

E, para facilitar ainda mais o foco na fidelização dos seus clientes, por meio de cross-sell e up-sell, com aumento do seu faturamento e redução de inadimplência, vale muito investir em uma plataforma de automação financeira, como a iugu.

Conheça nossos planos

Agora que você sabe o que significa up-sell e cross-Sell, conheça mais estratégias de fidelização de clientes e impulsionamento do seu negócio - entenda como os meios de pagamento para e-commerce podem te ajudar a conquistar mais clientes.