Tipos de cobrança: quais são e como escolher a melhor para sua empresa

Escrito em 04 de Abril de 2024 por Lidiane Oliveira

Atualizado em 23 de Abril de 2024

Os principais tipos de cobrança são carta, e-mail, SMS, WhatsApp, notificação judicial, telefone e cobrança terceirizada. Com um sistema automatizado, é possível integrar canais e simplificar a gestão da inadimplência. Veja como!

Você sabia que, no Brasil, o número de inadimplentes superou os 72 milhões em fevereiro de 2024? Em um cenário como este, conhecer diferentes tipos de cobrança é fundamental para reduzir o índice no seu negócio, seja qual for o meio de pagamento escolhido.

Os dados acima, apresentados pelo Serasa, somados aos da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), evidenciam a importância de entender seu negócio e identificar ações de cobrança que sejam verdadeiramente efetivas.  

A Peic mostrou que as duas principais fontes de endividamento do brasileiro são o cartão de crédito (86,9%) e os carnês (15,8%) — duas modalidades bastante populares na compra de produtos ou serviços. 

Para te ajudar a entender melhor os tipos de cobrança e identificar aqueles que podem reduzir a inadimplência na sua empresa, preparamos  este artigo. 

Conheça as opções! 

Quais os principais tipos de cobrança?

As principais formas de cobrança usadas para alertar aos clientes sobre prazos, vencimentos e demais compromissos com o fornecedor são: 

  1. telefone;
  2. carta;
  3. cobrança terceirizada;
  4. SMS;
  5. e-mail;
  6. WhatsApp;
  7. notificação judicial;
  8. sistema de cobrança automatizado. 

A seguir, explicamos em detalhes como usar cada tipo de cobrança.

1. Telefone

Um dos mais tradicionais métodos de cobrança, usado desde muito antes da era digital, o telefone segue sendo um aliado de empresas que buscam fazer a cobrança de forma próxima e individualizada. 

Neste caso, as ligações podem ser feitas de forma preventiva (quando têm o objetivo de recordar sobre a proximidade de um prazo de vencimento) ou reativa (quando o consumidor perdeu a data de já se tornou um devedor). 

A grande questão é que, com o passar dos anos, o método se tornou “visado” por muitos inadimplentes, que rejeitam deliberadamente as chamadas ou evitam atendê-las. 

2. Carta

Outro método antigo, mas ainda usado por muitas instituições é a correspondência via carta. Neste caso, sua empresa pode estruturar um cronograma de envios, considerando diferentes cenários: 

  • envio do boleto para pagamento (quando a data de vencimento está relativamente distante);
  • lembrete de pagamento (quando o vencimento está próximo);
  • cobrança (quando o prazo venceu). 

3. Cobrança terceirizada

Negócios que desejam evitar a inadimplência, mas não têm braço interno para viabilizar as estratégias de cobrança, podem terceirizar o processo ao contratar uma empresa especializada. 

Esta pode tanto atuar apenas como cobradora, quanto adquirir as dívidas da empresa contratante como suas. 

4. SMS

Em um país digitalizado como o nosso, no qual o uso de aparelhos móveis é altamente difundido (para você ter uma ideia, em 2022, o número de smartphones ativos superou o número de habitantes no país!), o SMS é um tipo de cobrança bastante funcional.

Neste caso, o fluxo de cobranças antes realizado via carta, por exemplo, pode ser transposto para este canal de comunicação — cujo envio é muito mais ágil e econômico. 

Adicionalmente, o SMS permite a análise de aberturas e interações com eventuais links, o que facilita a gestão de métricas de inadimplência (sobre as quais falamos a seguir!) 

5. E-mail

Assim como o SMS, o e-mail permite enviar mensagens em diferentes etapas do processo, podendo, inclusive, ser automatizado com a criação de réguas de cobrança em plataformas especializadas (também falaremos sobre elas adiante!). 

Outra vantagem do canal é que o processo se dá de forma privada sem que haja nenhum tipo de constrangimento do cliente, que recebe a mensagem diretamente em sua caixa de entrada. 

6. WhatsApp

O WhatsApp traz agilidade e proximidade para a cobrança, sobretudo por ser um aplicativo popular, que permite a troca instantânea de mensagens e oferece mecanismos de acompanhamento de recebimento e leitura.

Vale destacar que, para implementar o canal (bem como os outros meios digitais apontados nesta lista) como um tipo de cobrança, é preciso ter, antes, a permissão para uso dos dados dos clientes, mantendo a empresa em conformidade com a LGPD

7. Notificação judicial

Quando as alternativas anteriores não surtem efeito e o cliente segue inadimplente, pode ser preciso recorrer a vias judiciais para a cobrança. 

Neste  caso, a empresa aciona a justiça, que faz as notificações diretamente ao cliente, sob o risco de penalizações sobre o não pagamento. 

8. Sistema de cobrança automatizado

Por fim, para simplificar o trabalho e integrar os diferentes tipos de cobrança citados neste artigo, sua empresa pode optar por um sistema automatizado. 

A ferramenta de gestão de cobrança automatizada possibilita a configuração prévia de diferentes condicionantes para as solicitações de pagamento, bem como a elaboração de réguas de cobrança que indicam os momentos ideais para o envio de mensagens. 

Adicionalmente, fornece relatórios e métricas que ajudam a acompanhar a performance e o progresso das iniciativas. 

Quais os principais indicadores de cobrança? 

Você viu nos tópicos anteriores que tão importante quanto conhecer tipos de cobrança efetivos é saber como mensurar seu desempenho, certo? Por isso, lembre-se de associar indicadores de cobrança a cada método escolhido.

Os índices ajudam a entender em que medida as mensagens enviadas são eficazes, qual a porcentagem de clientes que, de fato, lê a cobrança ou considera as condições oferecidas e, destes, quantos, de fato, quitam suas dívidas. 

Alguns indicadores-chave no processo são: 

  • taxa de conversão, que analisa a relação entre os valores recuperados e o número de contatos feitos;
  • taxa de inadimplência, que avalia a proporção de dívidas não pagas em relação ao total de vendas;
  • abertura de mensagens (via e-mail, SMS e WhatsApp);
  • volume de descontos e juros aplicados.

Quais as principais estratégias para evitar a inadimplência? 

É preciso ter em mente que as principais estratégias são aquelas que envolvem organização e consistência. Afinal, as chances de sucesso reduzem consideravelmente quando as mensagens são enviadas de forma isolada, sem continuidade ou acompanhamento. 

Neste caso, um sistema de cobrança automatizado, como o que citamos anteriormente, é um aliado poderoso, uma vez que possibilita um controle efetivo dos inadimplentes. 

Aliado a análises preditivas (que indicam quais clientes têm mais chance de perderem os prazos de pagamento) e de sazonalidade (em que épocas os índices de não pagamento são mais altos), o sistema permite uma atuação preventiva. 

A prática é possível com o envio automático de lembretes e o estímulo à adimplência com a cessão de descontos e condições personalizadas de pagamento. 

Como escolher o melhor tipo de cobrança?

A escolha do melhor método de cobrança deve considerar a realidade do negócio, bem como o perfil do seu cliente e os canais mais usados por ele. 

De toda forma, contar com a ajuda da tecnologia para simplificar processos pode ser o diferencial para a sua gestão de inadimplências, seja qual for o método escolhido. 

Isso porque o sistema de cobranças (sejam elas recorrentes ou pontuais) integra canais de contato, automatiza o envio de mensagens e ainda fornece dados ricos para embasar tomadas de decisão e a construção de padrões comportamentais. 

Antes de seguir em frente, leia também: como cobrar cobranças recorrentes?

Como fazer cobranças mais efetivas?

Com a iugu, você personaliza suas cobranças e constroi réguas de envios de mensagens automatizadas, liberando tempo do seu time para focar em atividades estratégicas. 

Em nosso sistema, é possível, dentre (muitas) outras funcionalidades: 

  • determinar multas e juros​ de mora para faturas não pagas até a data de vencimento;
  • inserir desconto em faturas​ por meio de itens de cobrança com valor negativo em cobranças avulsas ou recorrentes;
  • agendar faturas​ adaptadas às suas necessidades, podendo ser enviadas ao cliente no futuro em até 48 meses;
  • parcelar cobranças via boleto em até 24x com o carnê iugu, sem custos extras na operação.

Dê o play no vídeo abaixo e conheça a funcionalidade iugu Cobrança: 

Encontre o plano adequado à necessidade da sua empresa e potencialize sua gestão de cobranças com a iugu. Fale agora mesmo com um de nossos especialistas

Posts relacionados