Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica, não sejam MEI e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h às 17h. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Indiquei um cliente pelo programa de Afiliados. Como eu posso consultar minha indicação?

Você pode consultar sua indicação no Painel do Indicador.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Quero ser cliente

Servidor cloud x data center: qual o melhor para sua empresa? Explicamos!

Escrito em 15 de Maio de 2020 por Patrick Negri

A sua empresa investe em um servidor cloud? Hoje, muitos negócios mantêm soluções de TI integradas às suas rotinas que demandam muito poder de processamento. Nesse cenário, muitas empresas estão migrando para essa solução e abandonando o uso de um data center.

Os motivos estão ligados, principalmente, ao retorno obtido com o investimento em um servidor cloud. Ele auxilia a empresa a ter um maior ganho de mobilidade, agilidade e flexibilidade operacional. Além disso, as equipes podem manter-se integradas mesmo quando há pessoas atuando com alta mobilidade.

Para ajudar você a entender como o uso de cada uma dessas soluções pode afetar seu dia a dia, preparei este post. Continue a leitura e veja como investir em um servidor cloud ou em um data center pode tornar sua empresa mais eficaz!

O que é um data center?

O data center é, em poucas palavras, o resultado da união do poder computacional de um grande número de servidores. Ele geralmente é localizado em um grande espaço e conta com uma equipe focada na sua gestão. Desse modo, a empresa pode maximizar a disponibilidade dos recursos, a confiabilidade e a performance da infraestrutura.

O uso de data centers geralmente é feito por empresas que precisam de uma infraestrutura de TI privada com alto poder computacional para rotinas como as de análise de dados. Elas se dispõem, portanto, a pagar um valor mais alto do que o da nuvem para conseguir um grande controle sobre seus processos. Porém, acabam perdendo flexibilidade em relação a outros modelos.

O que é um servidor cloud?

O servidor cloud é um computador virtual de alta capacidade de processamento que é executado em uma estrutura de cloud computing. Ou seja, ele é um software que simula todas as atividades e os processos de um servidor físico, porém dentro de uma máquina que é capaz de distribuir para vários usuários outras instâncias do mesmo serviço.

Os servidores cloud podem ser locais ou remotos, ou seja, geridos por uma empresa de tecnologia. No primeiro caso, a empresa faz a contratação e a gestão de toda a infraestrutura de TI. Apesar de essa opção não ter a mesma flexibilidade da computação em nuvem pública, ela dá mais controle para o negócio (a um custo inicial e de manutenção, em geral, mais alto).

Como essas soluções se diferenciam?

Para entender melhor como as soluções podem afetar o seu dia a dia, é importante identificar suas diferenças. Confira, a seguir, como o servidor cloud diferencia-se do data center em vários aspectos da rotina diária de uma empresa!

Escalabilidade

O servidor cloud tem alta escalabilidade. Como a infraestrutura está em um ambiente virtual, o gestor pode mudar aspectos com alguns cliques. Como consequência, em alguns instantes, ele terá um equipamento com mais poder de armazenamento de dados ou processamento de informações.

Já a escalabilidade de um data center depende da capacidade de a empresa ter uma infraestrutura ociosa ou adquirir novos equipamentos rapidamente. Diante disso, muitas vezes, um data center com alta demanda pode apresentar gargalos. Afinal, o tempo necessário para adquirir e instalar novos dispositivos pode ser elevado.

Custo-benefício

No data center, a empresa paga pela gestão e a atualização de toda a infraestrutura, inclusive a ociosa. Como consequência, o negócio pode ter um custo que não corresponde ao tanto de poder computacional que é utilizado a cada mês.

Já o servidor cloud tem um custo que é diretamente proporcional ao valor gasto pela empresa em cada mês. Isso torna os custos mais precisos e previsíveis. Afinal, a empresa não terá que direcionar parte do seu orçamento para infraestrutura subutilizada.

Mobilidade

No servidor cloud, ter rotinas com alta mobilidade é algo muito mais simples. A infraestrutura de cloud computing é moldada para ter um fluxo de trabalho que pode ser executado em qualquer lugar. Como consequência, o negócio pode manter rotinas de trabalho flexíveis com menos riscos e problemas.

O data center também é acessado remotamente, mas exige algumas adaptações em alguns casos. Isso ocorre, especialmente, nos cenários em que ele é projetado originalmente para uso interno. Nesses casos, o negócio deve realizar um investimento para evitar riscos.

Manutenção de boa performance

A manutenção de uma performance contínua é algo crítico para o uso da tecnologia. Afinal, negócios competitivos são aqueles que podem manter a qualidade de seu trabalho o tempo inteiro. Mas isso só é possível se há um conjunto de boas ferramentas em mãos.

O data center pode entregar uma qualidade de performance contínua. Porém, como ele é menos escalável, isso nem sempre ocorre. Afinal, gargalos podem acontecer, se a demanda crescer rapidamente.

Por outro lado, a escalabilidade da infraestrutura do servidor cloud evita esse cenário. O negócio poderá mudar seus recursos a qualquer instante. Desse modo, os usuários terão sempre boa disponibilidade e performance para o uso de seus recursos.

Qual é a melhor escolha para sua empresa?

Investir em novas tecnologias é um processo tão complexo quanto migrar para elas. Por isso, antes de fazer uma mudança, você deve avaliar todos os fatores e garantir que fez uma escolha robusta. Ou seja, precisa definir demandas, riscos e pontos que merecem atenção para conseguir o máximo de retorno sobre seu investimento.

Nesse sentido, o investimento em um data center, muitas vezes, é justificado pela grande necessidade de controle sobre cada aspecto da infraestrutura de TI. Porém, o negócio deve estar atento ao custo e à perda de flexibilidade que esse modelo traz. Afinal de contas, ele exige uma equipe focada na gestão dos dispositivos, políticas de segurança e outros aspectos relacionados ao uso diário dos serviços.

Já o servidor cloud traz toda a flexibilidade que negócios precisam para lidar com processos do dia a dia. Ou seja, ele garante que a companhia tenha mais bases para um processo integrado, dinâmico, robusto e inovador. Todos os times poderão trabalhar colaborando entre si, com mobilidade e foco nas demandas de clientes.

Em resumo, em um cenário de alta competitividade, em que negócios se desdobram para serem flexíveis e com alta produtividade, investir em um servidor cloud pode ser uma ótima escolha. Isso permitirá à empresa atingir suas metas de médio e longo prazos, de um modo mais eficiente – afinal, a marca se posicionará com facilidade à frente de concorrentes. Por isso, não deixe de considerar essa opção entre seus investimentos futuros!

Curtiu esta dica? Então assine gratuitamente a newsletter para receber outras novidades do blog em primeira mão!