Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica, não sejam MEI e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h às 17h. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Indiquei um cliente pelo programa de Afiliados. Como eu posso consultar minha indicação?

Você pode consultar sua indicação no Painel do Indicador.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Quero ser cliente

O que é token? Entenda esse sistema de segurança

Quer entender o que é token? Explicamos detalhadamente como funciona essa tecnologia e como ela pode ajudar a sua empresa.

Escrito em 30 de Maio de 2020 por Patrick Negri

Você sabe o que é token? Esse dispositivo de segurança ficou bem conhecido quando começou a ser distribuído por instituições bancárias aos seus correntistas (aquela ferramenta que oferece uma nova senha a cada operação que você utiliza no banco).

Mas esse dispositivo se popularizou muito. Hoje, é usado em outras aplicações, sempre com o objetivo de aumentar a segurança no acesso de dados.

Neste post, vou explicar melhor como funciona essa tecnologia e como ela pode ajudar a sua empresa. Ficou curioso? Então, continue a leitura!

O que é token?

O token é um dispositivo físico que gera uma senha temporária para que o usuário possa realizar movimentações financeiras com maior segurança e tranquilidade. Ao fazer a conta bancária, por exemplo, o cliente recebe uma espécie de chaveiro, que gera uma combinação de números, solicitada para concluir as transações.

Essa combinação é mudada em um período curto de tempo (geralmente, segundos), o que impede o uso pela memorização. Ou seja, para usar o token, você precisa tê-lo em mãos.

Com o avanço da tecnologia, esses tokens podem ser gerados pelo próprio aparelho celular ou, até mesmo, ser enviados pelo SMS ou por WhatsApp.

Mas isso é realmente necessário?

Muitas vezes, nos deparamos com essa pergunta: já não tenho senhas suficientes para garantir minha segurança? Antigamente, bastava ter o número da agência, conta bancária e uma senha para realizar as movimentações.

Mas, com o desenvolvimento da tecnologia, também surgiram novas maneiras de fraudar os clientes. Isso exigiu das instituições financeiras outras soluções que garantam a comprovação da identidade do correntista.

Principalmente para quem usa o internet banking, esses mecanismos de segurança são fundamentais. Afinal, a grande quantidade de invasões faz com que o roubo de dados seja um risco comum e que pode afetar grande parte dos titulares das contas. A principal questão é que essa proteção é de responsabilidade das empresas, e não dos usuários.

Como o token funciona?

As autenticações se encaixam em três categorias: baseada no conhecimento (senhas e informações pessoais, por exemplo), propriedade (objeto físico) e característica (identificação por sistemas biométricos, como o reconhecimento da impressão digital).

O token pode ser enquadrado na categoria “o que se tem”, pois se trata de um dispositivo físico sincronizado no tempo. Ele gera senhas randômicas, que são atualizadas em intervalos de segundos, e não podem ser reutilizadas.

Cada token está atrelado a uma conta-corrente e tem um similar no banco, sincronizado no mesmo horário. Assim, ele muda a senha ao mesmo tempo em que o seu token pessoal.

Quando você vai autenticar alguma dessas transações, o sistema de segurança cruza os dados informados por você com os que foram gerados pelo banco. Quando as senhas são compatíveis, o acesso é liberado.

Tão conhecido por seu uso nos bancos, o token também pode ser aproveitado em diversas abordagens, como o acesso ao certificado digital e para a emissão da NFC-e.

Qual a diferença entre token e código de verificação?

Muitas pessoas confundem o token com o código de verificação, mas a verdade é que são dois números diferentes. Embora colaborem para aumentar a segurança nas transações bancárias, têm usos distintos.

Se você pegar o seu cartão de crédito ou débito, verá que, atrás, tem três números. Esse é o código de verificação, também conhecido como CVV (Card Verification Value).

Geralmente, ele é solicitado para compras em alguns e-commerces. Na hora de cadastrar o cartão para aprovar a compra, os números são pedidos para confirmação ― é uma maneira de mostrar que você está com o cartão em mãos.

Já o token é obtido pelo dispositivo móvel, seja o chaveiro dado pelos bancos, seja o código gerado pelo aplicativo ou enviado como SMS para o celular. Ele não é solicitado para compras na internet, mas sim, para transações como pagamento de boletos e transferências.

Qual a importância dessas informações para o seu negócio?

Saber exatamente como funciona o token e sua diferença para o código de verificação é importante para a compreensão de todos os sistemas de segurança dentro dos meios de pagamento. Assim, há mais maior transparência e confiança para administrar esses processos e, até mesmo, para prestar um melhor atendimento ao cliente.

Todo empresário precisa entender minimamente como funcionam essas autorizações, mesmo que a intermediação de pagamentos seja feita por outra empresa. Conhecimentos como esse são essenciais para uma boa administração do negócio e ajudam a manter a confiabilidade nas transações.

Quanto mais você souber sobre esses dispositivos, mais condições terá de escolher e aplicar as proteções necessárias ao seu negócio. Assim, garante a segurança dos dados dos clientes, além da imagem e, até mesmo, do patrimônio da empresa.

Quais são as vantagens de adotar o token?

Ao adotar o uso do token como método de verificação, é possível alcançar diversas vantagens que vão passar uma imagem extremamente positiva da empresa, além de deixar os clientes mais tranquilos. Conheça melhor alguns desses benefícios.

Aumento da segurança

Como citamos acima, o roubo de informações é cada vez mais fácil. As pessoas usam a internet para todos os tipos de negociações, deixando seus dados cada vez mais vulneráveis.

Ao oferecer o token, você aumenta a segurança dessas informações e dá muito mais tranquilidade para o cliente. Além disso, se resguarda de possíveis processos ou perdas causadas pelo roubo de dados. Afinal, a segurança fica a cargo da empresa.

Atração de clientes

Os consumidores sabem que estão suscetíveis a fraudes e evitam fazer negócios quando percebem que o site não parece confiável ou se não sentem a segurança necessária. Oferecer o token é uma maneira de atrair esses clientes mais receosos e deixá-los tranquilos para realizar as transações necessárias.

Maior credibilidade

Ao adotar o token em suas transações, sua empresa tem um grande ganho de credibilidade no mercado. Isso ajuda não só na imagem para os clientes, como também, influencia a percepção dos concorrentes e de futuros investidores.

Agora que você viu comigo o que é token, como ele funciona e como pode ajudar a sua organização a ter mais segurança nas negociações, pode começar a pensar em oferecer essa segurança a mais aos seus clientes. O ganho em credibilidade será imenso!

Se você precisa de uma solução para pagamentos, a iugu conta com integrações e check out pronto, que vão ajudar na transparência e aumentar a proteção dos dados. Entre em contato conosco e conheça todos os nossos serviços!