ISO 20022: como funciona a padronização global da indústria financeira

Saiba como o protocolo pode garantir dados mais estruturados e novas oportunidades de serviços

Escrito em 23 de Novembro de 2022 por Thainara Carvalho

Que o Pix é um sucesso, você já sabe. Mas você conhece uma das principais bases para a criação do sistema de pagamentos instantâneo? O protocolo internacional, chamado de ISO 20022, é o que possibilita o intercâmbio eletrônico de dados.

Presente em mais de 70 países, essa padronização global foi introduzida ainda em 2005 com o objetivo de otimizar a infraestrutura das instituições financeiras a partir da utilização de uma mesma linguagem em toda as comunicações.  

Hoje, o protocolo ISO 20022 já é utilizado ou considerado em quase 200 iniciativas de infraestrutura de mercado.

Ficou curioso? Então, continue a leitura do conteúdo e entenda mais sobre o que é ISO 20022, como funciona e quais são as vantagens da padronização.

Afinal, o que é ISO?

Antes de falarmos sobre o ISO 20022, precisamos definir o que é ISO.

A sigla vem do inglês, e significa International Organization for Standardization ou, em português, Organização Internacional para Padronização.

Como o nome sugere, trata-se de uma organização internacional independente, voltada para a normatização e padronização de comunicações.

Desse modo, o objetivo do ISO é a aplicação de normas e padrões internacionais em todos os campos, como normas técnicas,  procedimentos, processos e classificações de países.

E o padrão ISO 20022?

Agora que você já conhece a definição de ISO, é hora de entendermos mais sobre o padrão 20022.

O ISO 20022 é um padrão global para intercâmbio eletrônico de dados entre instituições financeiras, cobrindo serviços que vão desde pagamentos até negociação de valores imobiliários.

Em 2017, o Banco Central (BACEN), elaborou o documento Estudo de utilização do Padrão ISO 20022 para Transferência de Fundos no âmbito do SPB, que explica os principais domínios do protocolo. Veja só:

  • Pagamentos;
  • Mercado de Capitais;
  • Serviços para Comércio Internacional;
  • Cartões;
  • Câmbio.

O domínio de Pagamentos, por exemplo, é composto pelas áreas: 

  • Gerenciamento de Contas; 
  • Iniciação de Pagamento;
  • Compensação e Liquidação de Pagamentos; 
  • Gerenciamento de Caixa; 
  • Comunicação a Autoridades.

Além disso, as mensagens padrão ISO 20022 precisam atender aos processos de negócios dos mercados financeiros e de capitais internacionais e não a requisitos específicos de sistemas ou infraestruturas proprietárias. 

Dessa maneira, a norma garante que o padrão de comunicação atenda

a todos os mercados de forma igualitária, evitando mensagens distintas para propósitos equivalentes, informações duplicadas ou ambíguas. 

Assim, ele pode ser utilizado por qualquer rede de comunicação, infraestrutura, operações de liquidação financeira ou sistema de registro.

Logo, todas as áreas, processos, etapas, regras de negócio, participantes e papéis desempenhados nos fluxos de troca de informações precisam estar devidamente documentados.

Quais são as vantagens do ISO 20022?

Para as instituições financeiras, o padrão 20022 representa mais competitividade, inovação e aderência ao sistema de pagamento global. 

Isso porque, segundo a Sociedade de Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais (SWIFT),  a norma já é utilizada em mais de 70 países.

De acordo com a instituição,  todos os bancos que usam SWIFT (participantes que enviam e recebem pagamentos por transferência eletrônica)  precisam adotar o ISO 20022 até novembro de 2022 para as transferências recebidas e até 2025 para as transferências enviadas.

Isso significa que, até 2025, quase todas as instituições terão adotado a norma.

Confira abaixo quais são os benefícios do ISO 20022:

1. Dados estruturados

Com o ISO 20022, os dados serão mais estruturados, ricos e detalhados.

2. Melhor experiência de pagamento

Dados melhores geram pagamentos melhores. Com a norma 20022, há mais transparência e qualidade nas informações. Assim, os clientes têm uma melhora na experiência de pagamento.

3. Menos fraudes

A adoção do ISO 20022 também se reflete em menos tentativas de fraudes.

Isso porque os dados padronizados e pagamentos mais granulares podem prover informações para a evolução das detecções de ações fraudulentas, simplificando o processo e reduzindo os crimes financeiros. 

4. Mais automação

A padronização e estruturação dos dados permite que as instituições financeiras automatizem processos de pagamento, o que representa mais agilidade, menos burocracias e processos manuais. 

Como vimos ao longo do artigo, a adoção do ISO 20022 promete ainda mais melhorias e inovações ao universo de pagamentos. 

Junto a iniciativas como o Open Finance, o padrão irá permitir que empresas, governos e bancos ofereçam serviços melhoras, personalizem produtos e obtenham dados ainda mais robustos, o que significa mais competitividade e oportunidade.

Quer saber mais sobre como a tecnologia irá impactar os negócios? Então, baixe gratuitamente o seu Panorama do Open Finance para as empresas e entenda tudo sobre o assunto.

arte de infográfico de panorama open finance