Entenda o que é ITP e como a solução acelera a jornada de pagamentos digitais

Parte do Open Finance, o ITP representa mais otimização e agilidade na jornada de compra do consumidor

Escrito em 11 de Novembro de 2022 por Thainara Carvalho

Atualizado em 16 de Novembro de 2022

Você sabe o que é ITP? Parte da fase 3 da implementação do Open Finance no Brasil, essa solução chega para compor o leque de inovações financeiras que garantem mais agilidade nos pagamentos. 

Apesar do nome diferente, o Iniciador de Transações de Pagamento (ITP) promete tornar a jornada de compras ainda mais simples, eliminando etapas e otimizando os fluxos de pagamento.

Para os negócios, a solução representa mais oportunidades e diferencial competitivo.

Quer saber mais? Então, continue a leitura do conteúdo e entenda o que é ITP, como funciona e quais são as vantagens que ele oferece.

O que é ITP?

O Iniciador de Transações de Pagamento (ITP) tem como objetivo iniciar pagamentos ou outras operações financeiras sem que os usuários precisem acessar aplicativos de bancos e instituições financeiras para iniciar o processo.

Dessa forma, o gateway de pagamentos de aplicativos como o WhatsApp, por exemplo, podem se conectar à conta financeira de um consumidor – com a devida autorização e segurança – e efetuar a transação.

Entretanto, de acordo com o Banco Central (BACEN), o ITP pode ser utilizado de diversas maneiras para pagamentos online, como:

  • Pagamentos com Pix;
  • Pagamentos com TED e transferência entre contas na mesma instituição; 
  • Pagamento de boletos; 
  • Pagamentos com débito em conta. 

Vale lembrar que as novas utilizações do ITP serão implementadas de maneira gradual dentro da fase 3 do cronograma do Open Finance, com prazo para o fim de 2022.

Qual é o impacto do ITP na jornada de pagamento?

Cada vez mais, consumidores têm exigido jornadas de pagamento fluidas, ágeis e transparentes. 

Não é à toa que o Pix, rapidamente, se tornou um dos principais meios de pagamento pouco tempo depois de seu lançamento.

A quantidade de chaves Pix cadastradas chegou a 478,3 milhões até 31 de julho de 2022, segundo dados do Banco Central.

Deste número, 457,4 milhões são de pessoas físicas, enquanto 20,9 milhões de chaves correspondem a pessoas jurídicas, número que corresponde a mais que o dobro da população brasileira, com 214,9 milhões. 

Além disso, um estudo da consultoria Gmattos mostrou que o Pix contribui para uma alta de conversão entre 60% e 90% para os lojistas, o que resulta em mais receita do que outras formas de pagamento, como o débito.

Nesse contexto, o ITP representa ainda mais facilidade para consumidores e oportunidade para negócios digitais. 

Isso porque as transações com menos etapas otimizam a jornada de compra e, consequentemente, reduzem as chances de abandono de carrinho.

Entenda a otimização do fluxo:

Mesmo com a facilidade oferecida pelo Pix, o consumidor ainda precisa percorrer uma jornada de pagamento que consiste em 7 passos:

  • Optar pele meio de pagamento Pix no checkout do e-commerce;
  • Copiar o código ou QR Code Pix;
  • Entrar no aplicativo da instituição financeira ou internet banking;
  • Escolher a opção Pix;
  • Escolher o tipo de Pix;
  • Escanear o QR Code ou colar as informações do código;
  • Confirmar o pagamento.

Com o ITP, a jornada é reduzida para 4 etapas:

  • O e-commerce mostra as opções de pagamento e o consumidor escolher o método Pix;
  • É solicitado a confirmação dos dados antes da efetivação da compra e a autorização do ITP;
  • Ao autorizar o uso do ITP, o consumidor é redirecionado para a confirmação do pagamento diretamente no aplicativo do banco. Lá, é possível concluir a transação com senha ou biometria.

Quem pode oferecer o serviço?

Para oferecer o serviço de iniciador de pagamento, a instituição financeira precisa fazer parte do Open Finance e ser autorizada a funcionar como ITP pelo Banco Central.

Dessa forma, um negócio digital que deseja iniciar pagamentos via Open Finance precisará contratar APIs de um Iniciador de Transação de Pagamento autorizado pelo BACEN.

Afinal, quais são as vantagens do ITP?

Como vimos, o ITP é uma funcionalidade inovadora, que promete garantir ainda mais agilidade nas transações financeiras. 

Entretanto, o serviço oferece outras vantagens, como:

  • Redução de custos: com o ITP, os pagamentos acontecem de forma instantânea e diretamente da conta corrente do consumidor, o que reduz a quantidade de intermediários e, consequentemente, de custos atrelados às operações;

  • Redução de fraudes: com a jornada de compra otimizada, a autenticação das transações se dá de forma direta pela interface do app da instituição financeira do consumidor, o que reduz a possibilidade de fraudes;

  • Melhores experiências: com a redução de etapas, há a otimização da jornada de compra, o que se traduz em mais praticidade, agilidade e conversões.

Potencialize o futuro do seu negócio

Parte do Open Finance, o ITP é mais um capítulo da intensa inovação financeira que vem se desenvolvendo nos últimos anos no Brasil. 

Dentro desse panorama complexo e dinâmico, empresas dos mais diferentes portes e segmentos se perguntam sobre os benefícios de aderirem ao sistema financeiro aberto. 

Afinal, como o Open Finance pode contribuir para novas oportunidades de negócios? E quais são suas vantagens competitivas?

Para ficar por dentro do assunto, baixe gratuitamente o infográfico Panorama do Open Finance para Empresas e tire todas as suas dúvidas.

arte de infográfico de panorama open finance