Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Fundraising: os primeiros passos para conquistar um investimento

Quem é empreendedor sabe que a busca por investidores pode ser um grande desafio quando você está iniciando um negócio. Para isso, saber mais sobre fundraising pode fazer toda a diferença no crescimento da sua empresa!

Escrito em 20 de Outubro de 2021 por Carolina Fanin

Atualizado em 08 de Novembro de 2021

Muitas empresas novas surgem todos os anos no Brasil, porém, segundo dados do IBGE, 21% delas fecham logo no primeiro ano de atividade e 60% encerram suas atividades antes mesmo de completar 5 anos de existência.

Sem tempo para ler? Que tal ouvir este conteúdo? Basta apertar o play!

Os motivos são diversos, como: ignorar tecnologias e inovações do mercado, não ter um capital de giro e até negligenciar sua equipe. Entretanto, não possuir a estratégia necessária para realizar um bom fundraising também pode ser definitivo para o fracasso de uma empresa.

Neste artigo falaremos melhor sobre essa metodologia de captação de fundos, quem pode aplicá-la e como colocar em prática!

O que é fundraising?

Ao pé da letra, Fundraising se traduz como levantamento (raise) de fundos (fund), ou seja, a captação de investimentos e recursos para o financiamento ou desenvolvimento de um projeto ou startup.

Trata-se de uma metodologia com processos e ferramentas que são necessários para uma captação de recursos de sucesso e não apenas a captação em si.

Esses processos e ferramentas envolvem todos os times da empresa como marketing, financeiro e jurídico, que trabalham juntos para criar solidez e recorrência na arrecadação de fundos, atraindo mais investidores e, consequentemente, mais fundos para desenvolver o negócio.

Entendendo melhor, você pode até se lembrar do famoso programa de TV Shark Tank, onde empresários levam suas ideias com a esperança de conseguir um investidor que alavancará as vendas do seu produto.

Vamos entender melhor então qual o processo para tornar essa metodologia viável.

Quais são os estágios de um fundraising?

Agora que você já sabe melhor o que é o fundraising, conheça mais a fundo os estágios de investimento que existem e descubra em qual módulo sua empresa se encontra!

Pré Seed

Pré Seed é o estágio inicial de uma startup, quando acontecem os primeiros testes do produto.

Nesta etapa, os investimentos geralmente ficam entre R$100.000 e R$400.000.

Destacam-se neste estágio a ação dos investidores anjos, incubadoras, crowdfunding e doação de pessoas próximas, como família e amigos.

Para conseguir um investimento nesse estágio, é importante que você tenha clara a questão da sustentação do seu negócio, que costuma ser a maior preocupação dos investidores.

Apresente argumentos embasados sobre o público que você atenderá com o seu produto e como sua empresa se manterá no mercado neste primeiro momento.

Seed

Seed é o estágio em que a empresa já tem uma estrutura mais bem definida e já investe em marketing e vendas para acelerar o seu negócio.

Nesse estágio, o produto já passou por testes e está mais maduro, pronto para chegar ao mercado e ser adquirido pelo público.

O investimento fica entre R$400.000 e R$2.000.000 e é destinado para a alavancagem do negócio que já possui a estrutura definida e testada.

O investidor ideal nesse caso são os grupos de anjos e as aceleradoras.

Diferente do Pré Seed onde a preocupação dos investidores está na sustentabilidade do negócio, no estágio Seed os investidores preocupam-se com a projeção da empresa, a capacidade de faturamento e o valor que pode ter no futuro.

Séries A

Este estágio destina-se às empresas que já possuem certo destaque no mercado, mas que precisam de um investimento maior para se tornar um grande player.

Os investimentos nesse estágio giram em torno de R$2.000.000 a R$7.000.000 e os principais autores dessas aplicações são os fundos Venture Capital e Private Equity.

Nesse estágio, já está comprovado que sua empresa é sustentável e possui projeção, então sua apresentação de vendas deve focar no quanto sua empresa ainda pode conquistar do mercado e crescer.

Conhecer esses estágios é essencial para definir o seu planejamento e saber exatamente em qual fase sua empresa está e qual investimento e tipo de investidores você deve buscar.

Qual o processo para um fundraising de sucesso e que empresas podem conseguir?

Startups em geral são as grandes responsáveis pela demanda de fundraising no mercado atual, além claro de organizações sem fins lucrativos (ONGs) que vivem de doações e investimentos para manterem suas ações.

Para startups, especificamente, conseguir fundos pode ser vital para o desenvolvimento de novos produtos e da empresa em si. Entretanto, convencer investidores de que sua equipe tem o que é preciso para conquistar o mercado e conseguir dar o retorno esperado, pode não ser uma tarefa tão simples.

As startups mais bem financiadas sabem que o processo de arrecadação de fundos exige pesquisa e planejamento cuidadosos. A apresentação ao investidor deve demonstrar a proposta de valor exclusiva da startup e como ela está preparada para gerar um retorno positivo sobre o investimento (ROI).

Veja a seguir as etapas a serem seguidas para maximizar o seu potencial de investimento e expandir o seu negócio:

1. Descrever metas e objetivos de financiamento

A primeira etapa do processo de financiamento inicial é definir as metas e objetivos de financiamento.

Normalmente, as metas e objetivos são documentados em um plano de negócios e, posteriormente, na apresentação do argumento de venda para o investidor.

Essas ferramentas servem como um roteiro para escalar rapidamente, permanecer no caminho certo e atingir as metas e objetivos de financiamento inicial.

Além disso, sem esses e outros documentos exigidos, os investidores terão dificuldade em ver exatamente onde esses recursos serão alocados.

Mostre a eles, de forma clara, como seus fundos contribuirão para o sucesso de sua organização. 

De preferência, tenha na ponta da língua as respostas para as seguintes perguntas:

  • O que você planeja fazer com os fundos dos investidores?
  • Onde esses fundos serão aplicados?

As startups mais bem-sucedidas entram em grandes detalhes quando se trata de alocação de recursos. Então, capriche!

2. Crie seu orçamento

Construir um orçamento preciso é uma das etapas mais difíceis de fazer, principalmente para startups em estágio inicial com dados históricos limitados para fazer previsões.

Para criar uma planilha de orçamento e mostrar aos investidores que seu dinheiro será usado de forma adequada, considere as seguintes despesas iniciais:

  • Equipamentos: Dependendo da natureza do seu negócio, os custos com equipamentos podem ser uma das maiores despesas mensais. Certifique-se de fazer um orçamento para computadores, softwares e outros equipamentos tecnológicos diversos;
  • Recursos humanos: em alguns casos, as startups gastam até 25 % da receita total em despesas de recursos humanos, incluindo recrutamento de funcionários, folha de pagamento, treinamento, benefícios e etc. Portanto, não esqueça de incluir estes custos;
  • Jurídico: os custos associados às responsabilidades jurídicas costumam ser esquecidos. Para economizar nessa área, considere as proteções legais essenciais e assessoria jurídica terceirizada, mas não deixe de fora do seu orçamento;
  • Marketing: orçamento para mídia social, desenvolvimento de site, publicidade e muito mais. O marketing é um componente essencial do sucesso empresarial a longo prazo e por isso deve ser incluído no seu orçamento.

3. Pesquisa de Investidores

Agora que você definiu suas metas e objetivos de arrecadação de fundos e criou uma planilha de orçamento que inclui todos os seus custos, é hora de encontrar um investidor qualificado.

Para isso, comece sua busca seguindo estas dicas:

  • Peça referências: Cada investidor tem seus próprios critérios de investimento. No entanto, muitos investidores vão abrir suas carteiras para empresas que vierem por recomendações. Para obter uma boa referência, comece conectando-se com líderes da indústria, mentores, colegas e aqueles que já conhecem bem o mercado de arrecadação de fundos. Networking vale mais que ouro nesse caso!
  • Internet como aliada: Faça pesquisas e estude sobre o mercado de fundraising, existem cursos e vídeos disponíveis que podem te ajudar a conquistar o investidor certo!

4. Aperfeiçoe seu argumento de venda

Depois de encontrar o investidor certo, é hora de aperfeiçoar seu argumento de venda.

Reúna todos os seus documentos - plano de negócios e apresentação do argumento de venda - e mostre aos investidores por que seu negócio é um investimento que vale a pena.

Procure oportunidades para desenhar uma narrativa de marca atraente. Por que vale a pena investir em seu negócio agora - e o que está em jogo se o investidor não o escolher?

É preciso treino e dedicação para realizar uma apresentação de sucesso e atingir o seu objetivo!

Agora que você entende mais sobre o fundraising, conta pra gente em qual estágio sua empresa se encontra e se você já começou o processo para conseguir seu próximo - ou primeiro - investimento!

E fica a nossa dica: nenhum investimento ajudará sua empresa se você não tiver um bom planejamento financeiro! Para saber mais sobre isso, que tal baixar o nosso ebook gratuito sobre Como fazer uma gestão financeira impecável na sua empresa?

gestão financeira ebook