Garanta 30% de desconto para sempre em todas as suas mensalidades.

 
dias
 
horas
 
min
 
seg
Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

SuperApps: o que são e por que o modelo vai pegar?

Os SuperApps são uma grande tendência onde o principal objetivo é centralizar as atividades online e facilitar a vida de seus usuários! Descubra como eles funcionam!

Escrito em 15 de Março de 2022 por Lidiane Oliveira

Atualizado em 29 de Abril de 2022

Um conceito novo na sociedade ocidental, mas já rotineiro em países como a China, Coreia do Sul e Indonésia: os SuperApps prometem centralizar a maior parte (se não o todo) das atividades online de seus usuários.

Você também pode ouvir este artigo por áudio. É só dar o play:

Os Apps permitem que o usuário se comunique com outras pessoas, faça pagamentos, venda e compre produtos e serviços, contrate corridas de táxi e até se consultem com um médico — tudo a partir da mesma plataforma.

Apesar de o conceito ainda estar aterrissado aqui no Brasil, especialistas indicam que a moda pode pegar quando surgirem as primeiras opções interessantes. Continue lendo para entender melhor essa tendência da economia digital.

O que são SuperApps?

Os SuperApps são plataformas (geralmente, aplicativos de smartphones) que oferecem uma variedade de ferramentas e serviços a partir da mesma interface de usuário. A ideia é fornecer soluções para atividades relacionadas ou não, de modo que o usuário economize tempo e armazenamento em seu dispositivo móvel.

Tendo a experiência unificada como principal atrativo, os SuperApps conquistam usuários pela conveniência de ter quase todas as suas necessidades sociais e comerciais atendidas com o mesmo nível de esforço, a mesma conta de usuário e a mesma experiência de uso.

Uma origem bastante comum para um SuperApp é o acúmulo de funcionalidades conforme cresce uma empresa, plataforma ou serviço. Ou seja, tudo começa com um app, que “incorpora” outros apps até se tornar um SuperApp.

Os maiores SuperApps do mundo

A praticidade consolidou plataformas como WeChat, Alipay e Gojek no cotidiano de economias de grande porte, assim como nas emergentes. Em pouco tempo, os usuários tinham quase toda interação do dia a dia mediada por uma dessas plataformas.

Foi assim com o WeChat, SuperApp da holding chinesa Tencent. O serviço surgiu como um aplicativo de mensagens instantâneas, e transformou-se em um ecossistema de integrações extremamente amplo. Além dele, outros dos maiores superapps do mundo são:

  • Paytm (Índia)
  • Grab (Singapura)
  • GoTo (Indonésia)

 

Banner-Full_Resenha-B2B-_copy (3)

SuperApps no Brasil

No Brasil, o smartphone é um dos produtos com maior penetração de mercado. Meio primário de acesso à internet para muitos brasileiros, o celular também é a plataforma que finalmente forneceu acesso a serviços financeiros para populações previamente desbancarizadas.

A partir disso, o smartphone também conectou esse público a novos mercados e evidenciou outras oportunidades de oferta de produtos ou serviços. Estes fatores, especula-se, favorecem o crescimento de plataformas unificadas no mercado brasileiro.

Outro importante evento no mercado consumidor brasileiro foi a rápida adoção de novas tecnologias de comércio, logística e pagamentos. Esse fenômeno resulta da paralisação de atividades presenciais durante a pandemia de Covid-19.

Quem ainda titubeava em experimentar as alternativas digitais para as tarefas do dia a dia, viu-se obrigado a dar uma chance a elas. Com o uso, veio a aceitação, e o hábito se consolida a cada dia no comportamento do público.

Para o comércio, o processo também foi de adaptação a novas tecnologias e formas de operação. Após mais de dois anos na nova rotina, pequenos e grandes negócios percebem a necessidade de estabelecer operações contínuas através de canais digitais.

Com esta mudança nas formas de consumir produtos e serviços, os SuperApps encontram mais um fator para o sucesso no mercado brasileiro.

Uma prova disso são apps como Mercado Livre, Magalu e Rappi, tidos como potenciais SuperApps em um futuro próximo.

Como um app se torna um SuperApp?

Para entender como um aplicativo se torna um SuperApp, primeiro é necessário entender o que os SuperApps têm em comum: eles combinam serviços que estariam normalmente espalhados em diferentes (e inconsistentes) ambientes virtuais.

Usuários são convencidos pela simplicidade de uso: uma única plataforma para realizar uma variedade de operações triviais que, quando executadas em um contexto isolado, caracterizam verdadeiros contratempos no cotidiano.

As integrações oferecidas dentro destas plataformas agilizam ainda mais a realização de tarefas e consomem menos tempo do usuário. Com a redução do número de passos entre encontrar um produto e comprá-lo, por exemplo, o usuário se sente mais inclinado a completar a compra.

Percebendo a oportunidade deste nicho de negócio, empresas de tecnologia do mundo todo estão mobilizando esforços para desenvolver estas plataformas unificadas. Ter um SuperApp é sinônimo de ter um público grande e altamente cativo no ecossistema.

Mas dar origem a um SuperApp é mais difícil do que apenas oferecer uma variedade de serviços na mesma interface. O maior desafio é conquistar a adoção massiva de cada ferramenta pelos usuários. Somente assim o SuperApp terá a tração necessária para oferecer real cobertura dos serviços a seu público.

Além disso, será necessário dar conta de algumas categorias de serviços presentes em quase todos os SuperApps. Conheça quais são elas:

Mídias Sociais

A maioria dos SuperApps oferece serviços de comunicação e compartilhamento de conteúdo entre usuários. Seja por mensagens instantâneas, postagens em feed ou chamadas de voz e vídeo, a comunicação em mídias sociais é uma excelente maneira de construir uma comunidade em torno de um serviço.

E-commerce

As compras online estão mais populares do que nunca. Especialmente após a pandemia, a economia digital viu uma explosão de novos negócios conduzidos através da internet. Mesmo com o retorno às atividades presenciais, o e-commerce está consolidado no Brasil. Logo, é natural que o seja preconizado pelos aspirantes a SuperApps.

Transporte

Outro recurso bastante popular nos SuperApps atuais, os serviços de transporte de mercadorias e passageiros facilitam o dia a dia do usuário e complementam os recursos de e-commerce oferecidos por plataformas multisserviços. Nesta categoria está localizado o Rappi, um potencial SuperApp para o Brasil.

Transações financeiras

Numa plataforma que almeja intermediar relações comerciais de seus usuários com terceiros, uma sólida infraestrutura de pagamentos é essencial. Para contemplar o maior número de usuários, é importante contar com soluções de pagamento que integrem o SuperApp às instituições financeiras e de pagamentos utilizados por seus usuários.

No Brasil, a fintech iugu é referência neste setor, oferecendo soluções de pagamentos simples e recorrentes através dos principais meios de pagamento.

Próximo passo: Inovação Financeira

Dá pra ver que os SuperApps vêm de iniciativas ousadas e inovadoras, que perseguem um objetivo a partir de uma clara visão de negócio.

Se você também quer conquistar seu lugar no mercado, é importante contar com as ferramentas e estratégias certas para realizar seu sonho. Conheça o Kit de Inovação Financeira de iugu e descubra como tirar sua ideia do papel.

Banner material inovação financeira para SuperApps