Entenda como fazer cobrança de multa e juros em boleto bancário

Escrito em 10 de Março de 2020 por Redação iugu

Atualizado em 24 de Agosto de 2023

Entender como fazer cobrança de multa e juros em boleto bancário é uma dúvida bastante comum entre os empresários.

Afinal, em um mercado tão competitivo, diversificar os meios de pagamento é uma boa estratégia. Nesse cenário, o boleto bancário se destaca por ser uma forma de pagamento democrática e uma das preferidas entre os brasileiros. 

A definição de multa de atraso em boleto bancário e juros legais  é de responsabilidade da empresa que emite o título, não do banco.

Dessa forma, conhecer os percentuais permitidos de acordo com a lei e outros dados, como juros de boleto vencido e limite de juros por atraso, é uma prática fundamental para quem não deseja que o seu fluxo de caixa seja prejudicado. 

Para saber, em detalhes, quanto cobrar de multa e juros em boleto bancário e outros tópicos relacionados a esse tema, basta ler este post até o fim!

Quanto cobrar de multa e juros em boleto bancário: entenda o contexto e a legislação

Antes de saber quanto cobrar de multa e juros de boleto bancário, é importante conhecer o contexto e legislação para, posteriormente, compreender como acontece esse cálculo.

O que você precisa saber em primeiro lugar é que se um cliente não efetua o pagamento do título na data estipulada, ele se torna inadimplente.

Diante disso, você fica respaldo pela lei para aplicar a multa e os juros do boleto em atraso. 

No entanto, é essencial ficar atento a este processo, uma vez que caso a sua empresa, por algum motivo, atrase para emitir o documento, o seu cliente é prejudicado.

Afinal, o tempo hábil para ele realizar o pagamento diminui, certo? Dessa forma, a lei ampara o consumidor, não o seu negócio. 

Nesse cenário, é essencial destacar que o artigo 42 do Código Consumidor determina que caso o seu cliente seja cobrado com quantia indevida, ele tem direito à repetição do indébito, por valor duas vezes superior ao que foi pago em excesso. Acrescente a essa conta a correção monetária e os juros. 

Nesse quadro, se o correio ou o banco entrar em greve e o título ainda não tiver sido quitado, você tem o direito de aplicar a multa.

Contudo, se o cliente em questão o contatar e acusar o não recebimento da fatura, a sua empresa é obrigada, por lei, a emitir uma segunda via do título ou então, propor uma nova opção de pagamento a ele. 

Nesse contexto, as medidas podem ser bastante simples, como o oferecimento do envio do título por e-mail, por exemplo. 

Dessa forma, você fortalecerá seus laços com o cliente e poderá, futuramente, oferecer outras vantagens para ele, como ofertar descontos caso ele antecipe o pagamento. Ou seja, desse modo, ambos os lados acabam ganhando. 

Continue lendo para descobrir quanto cobrar de multa e juros em boleto bancário e qual é o limite de juros por atraso. 

Saiba como calcular juros e multa em boleto bancário

Diante dos dados expostos, você ficou sabendo que, em caso de inadimplência, a sua empresa está amparada por lei a cobrar os juros devidos.

Porém, é preciso considerar outros fatores nesse processo, como a sua relação com seu cliente. Isto é, apesar de contar com a lei, é essencial que o seu cliente seja informado sobre os valores aplicados no caso da não quitação do título.

Outra prática importante é avaliar o histórico do cliente devedor.

Afinal, ele apenas pode ter se esquecido de realizar o pagamento ou então está com um problema pontual. Frente a isso, mostrar flexibilidade e, assim, estar aberto a negociações pode ser uma atitude benéfica tanto para o seu negócio como para a experiência do consumidor. 

Ciente do contexto, chegou o momento de descobrir como fazer cobrança de multa e juros em boleto bancário.

Para tanto, é crucial que saiba que no caso de atraso de pagamento do título, você está protegido por lei para cobrar a multa e os juros legais em boleto bancário. Nesse quadro, vale ressaltar que as contas são diferentes. 

Siga com a leitura e descubra como fazer esses cálculos.

Como calcular a multa?

De acordo com o código de Defesa do Consumidor, o valor de cobrança da multa tem o teto de 2%. Ou seja, vamos supor que o valor do boleto seja de R$ 100,00. Dessa forma, o cálculo do atraso resulta em R$ 100,00 + R$ 2,00 (valor da multa). 

No entanto, esse conta não termina aí, porque é preciso calcular, também, a quantidade de dias de inadimplência, um valor relacionado aos juros.

Como calcular os juros? 

O cálculo dos juros varia de acordo com a quantidade de dias de inadimplência. Ou seja, um cliente que atrasou o seu pagamento em 12 dias pagará mais do que um que tenha atrasado apenas 3. 

Nesse quadro, vale destacar que há um limite de juros por atraso, que é o de 1% ao mês.

Porém, esse cálculo varia um pouco, já que os juros em atraso são segmentados diariamente e, assim, cobrados de forma equivalente. Para entender melhor, apresentamos um exemplo baseado em uma suposição. 

Considere o mês comercial de 30 dias. Logo, divide-se o valor máximo, que é o de 1% pelo mês comercial. Isto é, divide-se 1% por 30, o que dá um valor de 0,033%. Em seguida, basta multiplicar 0,033% pelo número de dias de inadimplência (baseado na exemplificação acima, pode ser 12), considerando que o valor do boleto seja de R$ 100,00.

Dessa forma, a conta fica a seguinte:

0,033% x 12 dias de atraso = 0,39%

R$ 100,00 x 0,39% = 0,39

Valor que deve ser cobrado de juros = R$ 0,39

Em seguida, multiplica-se o valor dos juros de 0,39 pelo valor do documento atrasado que, no caso é de R$ 100,00. O cálculo do valor dos juros fica assim:

R$ 100,00 x 0,39% = R$ 0,39

Ou seja, se o atraso registrado for de 12 dias, o cliente pagará de juros um valor de R$ 0,39. 

Assim, o cálculo total, atualizado, deve constar:

R$ 100,00 (valor do boleto) + R$ 2,00 (valor da multa) + R$ 0,39 (valor dos juros) = R$ 102,39.

Isto é, o valor atualizado do boleto fica em R$ 102,39.

Com o boleto registrado da iugu, suas cobranças ficam ainda mais potentes

Agora, você já sabe como fazer a cobrança de multa e juros em boleto bancário, não é mesmo? Logo, percebeu que atualizar esse cálculo não representa um elevado grau de dificuldade.

No entanto, realizá-lo manualmente pode prejudicar a produtividade de sua equipe. Sem falar que, por mais fácil que um cálculo seja, efetuá-lo sempre apresenta uma margem de erro. 

Para que isso não aconteça, você pode optar por uma estratégia que beneficiará muito o seu negócio, que é a de contar com o boleto registrado da iugu

Com ele, você gera boletos registrados de forma simples e rápida e ainda conta com configuração de multas e juras totalmente personalizada.

boleto registrado iugu

Crédito da foto de capa: Vector Stock