Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Pix x boleto: quais as principais diferenças e vantagens?​

Com a chegada do Pix e, posteriormente, do Pix Cobrança, muitas pessoas ficaram na dúvida sobre as diferenças entre ele e o boleto bancário. Veja quais são as principais diferenças e vantagens de cada um destes meios de pagamento.

Escrito em 29 de Setembro de 2021 por Carolina Fanin

Atualizado em 07 de Outubro de 2021

Prestes a completar um ano de seu lançamento, o Pix hoje já não é mais novidade para os mais de 100 milhões de usuários - número atingido em setembro de 2021 - e também para as mais de 7 milhões de empresas que o utilizam.

Sem tempo para ler? Que tal ouvir este conteúdo? Aperte o play!

Isso significa mais de 60% das pessoas bancarizadas no Brasil, afirmando o sucesso da nova funcionalidade lançada pelo Banco Central em novembro de 2020.

Do outro lado do ringue, temos o conhecido boleto bancário, cujas emissões chegam a 3,5 bilhões ao ano, segundo dados da Febraban, e que é um dos meios de pagamento mais utilizados pelas empresas.

Ambos oferecem o pagamento à vista e facilidade de pagamento aos usuários. Mas afinal, quais as principais diferenças e vantagens desses dois meios de pagamento?

Veja neste artigo tudo o que você precisa saber sobre eles!

Pix e Pix Cobrança

Primeiramente, é importante distinguir Pix e “Pix Cobrança”. O Pix que realizamos ao fazer compras e transferências é diferente do Pix Cobrança, funcionalidade liberada apenas para empresas cobrarem seus clientes.

Com a introdução do Pix Cobrança pelo Banco Central, agora os pagamentos via Pix também podem conter os mesmos dados do boleto como valor, data de vencimento, descontos e multas.

O Pix não tem custo para pessoas físicas e MEI, porém podem ter tarifas em dois casos, se utilizado para fins comerciais:

  • Recebimento de recursos por QR Code Dinâmico (Pix Cobrança);
  • Recebimento de mais de 30 transações com Pix no mês, por conta, por meio de QR Code estático, chave Pix ou inserção manual dos dados. Neste caso, a tarifa pode ser praticada a partir da 31ª transação.

De acordo com o Banco Central, o custo do Pix Cobrança para as instituições financeiras é de R$0,01 a cada dez transações, mas elas podem definir livremente qual taxa vão repassar aos clientes finais.

Semelhanças entre Pix e Boleto Bancário

Como dissemos, existem semelhanças entre estes serviços, como por exemplo, o fato de ambos cumprirem a mesma função: enviar um documento de cobrança ao cliente, para que determinado pagamento seja efetuado.

Mas, além disso, ambos permitem que os clientes, através de um código (QR Code ou Código de Barras), realizem o pagamento através do internet banking ou de sua instituição de pagamento.

O destino final do pagamento de ambos os meios de pagamento, também é o mesmo: a conta do recebedor.

Diferenças entre Pix e Boleto

Apesar de essencialmente parecerem muito semelhantes, Pix e Boleto possuem alguns pontos distintos  que podem fazer toda a diferença para quem está cobrando.

Vamos, agora, analisar as principais diferenças entre Pix e Boleto.

Tempo de compensação

O tempo de compensação do boleto bancário é de, geralmente, 1 a 3 dias úteis (média praticada pelo mercado), até que o mesmo seja liquidado e o valor disponibilizado na conta do recebedor.

Importante frisar também que são dias úteis. Ou seja, o tempo não conta em sábados, domingos e feriados, podendo adiar ainda mais o tempo de compensação.

Já pelo Pix, o tempo de compensação é totalmente eliminado. Ao realizar um pagamento pelo Pix, o valor é disponibilizado em até 10 segundos na conta do recebedor. Sendo válido em qualquer dia do ano e horário, incluindo finais de semana e feriados.

Custos envolvidos

O custo de um boleto hoje, para a maioria das empresas, fica entre R$ 3,00 e R$ 8,00 por emissão, além de outros custos envolvidos na operação: como baixas, cancelamentos e alterações.

O Pix é um meio de pagamento digital, feito para ter um baixo custo operacional para instituições financeiras. Porém, como qualquer produto ou serviço, a precificação do Pix para o usuário final pode variar de acordo com a sua instituição de relacionamento. As taxas médias do Pix no mercado são percentuais sobre as vendas realizadas, partindo de 0,99% (como na iugu), até 2 a 3% em bancos e fintechs. Vale pesquisar se a sua loja virtual possui parcerias com Pix grátis.

Ou seja, o Pix possui um custo muito menor quando comparamos à emissão de boletos e por isso, com o tempo, é provável que muitas empresas comecem a optar pela utilização da nova funcionalidade financeira, no lugar do boleto.

Conciliação

Para que exista a conciliação de pagamentos por boletos, é necessária uma troca de arquivos entre bancos e empresas e, como você já deve saber, esse processo pode se tornar um tanto quanto complicado.

O Pix elimina esse processo burocrático com os bancos e IPs, uma vez que tudo fica mais acessível para o gestor.

Para uma gestão financeira ainda melhor, o uso de uma plataforma de pagamentos pode ser essencial. Um painel onde é possível enxergar todas as entradas e saídas faz toda a diferença para uma gestão mais ágil e assertiva!

A confirmação do pagamento pelo Pix estará, literalmente, na palma da mão, pela tela do celular, no mesmo momento em que for realizada pelo cliente.

Registro

Desde que boletos registrados se tornaram obrigatórios, os estabelecimentos não conseguem emitir boletos de forma imediata para os clientes.

A emissão da cobrança por Pix poderá ser realizada tanto por computador quanto por qualquer smartphone com acesso à internet e ao aplicativo de uma fintech,  instituição financeira ou de pagamentos credenciada ao Pix.

Essa facilidade permite até que o Pix Cobrança seja utilizado em pagamentos presenciais nos caixas das lojas, algo não usual para o boleto, que é mais usado no e-commerce.

Dessa forma podemos entender que o Pix é muito mais ágil para quem cobra e para quem paga!

Acessibilidade

Apesar de todas as vantagens do Pix, não podemos ignorar o fato de que existem pessoas que não possuem acesso a um smartphone próprio ou mesmo à uma conta bancária e por isso precisam de maior acessibilidade no pagamento.

Segundo um estudo realizado em janeiro de 2021, no Brasil ainda existem cerca de 34 milhões de adultos desbancarizados.

Pensando por este lado, o boleto pode ser pago, além da forma online, também em caixas eletrônicos e lotéricas, tornando seu uso mais democrático.

Afinal, quem vence a batalha?

De maneira geral, o Pix já é muito bem aceito pela maioria da população, tanto física quanto jurídica, e por isso tem tudo para se tornar o meio de pagamento mais utilizado do Brasil nos próximos anos. Mas, isso não significa exatamente que o boleto será extinto e que outras formas de pagamento deixarão de ser usadas.

O fato é que, para as empresas, quanto mais opções de meios de pagamento elas oferecerem aos seus clientes, maiores serão as chances de vendas.

Por isso é importante buscar uma solução de pagamento que te permita oferecer essa variedade, com facilidade para você e seus consumidores.

Uma plataforma de pagamentos pode ser a solução que você buscava para tornar o seu checkout mais transparente e eficiente, além de poder contar com um painel onde você encontra todas as suas movimentações, facilitando a sua gestão financeira.

Conheça a iugu e veja como cobrar por Pix e Boleto de forma simplificada para você e seus clientes!

Quer saber mais sobre como utilizar o Pix para cobrar seus clientes? Acesse nosso material gratuito!

Nova call to action