Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Entenda o que significa SLA e veja 4 dicas para criar o seu

Entenda como esse documento pode proteger o seu negócio e veja dicas para criar o seu de forma eficaz

Escrito em 19 de Setembro de 2022 por Thainara Carvalho

Atualizado em 20 de Setembro de 2022

Quem empreende sabe que contratempos e mal entendidos são, infelizmente, comuns na rotina administrativa de um negócio. Contudo, essas situações podem causar diversos prejuízos. Por isso, saber o que significa SLA é fundamental para evitar inúmeras dores de cabeça ao longo do caminho.

Além de auxiliar na organização, definição de métricas, satisfação dos clientes e proteção das partes envolvidas em projetos, o SLA garante que todo o trabalho ocorra de forma correta.

Apesar da importância, algumas empresas ainda têm dificuldades em criá-lo em sua até mesmo de entender a sua importância para a gestão, o que pode gerar impactos negativos à empresa.

No entanto, esse não precisa ser o caso do seu negócio. Para te ajudar a entender o que é SLA e a sua importância, preparamos um conteúdo completo sobre o assunto.

Continue a leitura e saiba mais!

O que significa SLA?

O SLA é a sigla para Service Level Agreement ou, em português, “Acordo de Nível de Serviço”, que nada mais é do que um contrato entre duas partes envolvidas em um projeto ou serviço contratado para firmar as responsabilidades de cada uma.

No documento, a empresa fornecedora e o cliente especificam detalhes do trabalho, como, por exemplo:

  • Tempo de duração;
  • Metas;
  • Qualidade do serviço;
  • Normas;
  • Valores.

Como se trata de um documento complexo e com demandas que variam ao passar do tempo, ele deve ser revisado periodicamente para se encaixar nas definições do momento.

Qual é a importância do SLA?

Além de garantir a organização, o SLA é fundamental para proporcionar segurança ao fornecedor e ao cliente quanto ao serviço contratado, já que contém todas as obrigações que as partes devem cumprir durante o período acordado. 

Dessa forma, as normas do documento precisam ser transparentes e conter todas as informações para que as expectativas sejam correspondidas.

Caso ocorram desentendimentos ou não cumprimento de cláusulas, podem ser aplicadas multas para proteger o fornecedor ou cliente, garantindo que eles não serão lesados durante o acordo.

Dessa forma, o SLA garante que a parte contratante tenha mais segurança na entrega do trabalho, enquanto o contratado possui mais autonomia para desenvolver as tarefas.

Quais são os tipos de SLA?

Como você viu, o SLA é um documento complexo, que abrange tanto a parte do contratante, quanto a do fornecedor. Por esse motivo, ele é dividido em duas categorias:

  • SLA com foco no serviço: voltado apenas para o serviço a ser desenvolvido;
  • SLA com foco no cliente: abrange as demandas do cliente quanto ao serviço contratado.

Enquanto o SLA com foco no serviço tende a ser mais simples, já que abrange somente a lista de tarefas a serem desempenhadas, ele pode ser utilizado em diferentes negociações sem a necessidade de mudanças drásticas.

O SLA com foco no cliente, por outro lado, é mais complexo, uma vez que cada cliente terá demandas específicas. Desse modo, são necessários documentos diferentes para cada um.

SLA e KPI: qual é a diferença?

É comum que muitas pessoas se perguntem qual é a diferença entre SLA e KPI. No entanto, eles possuem diferenças importantes entre si.

Enquanto o SLA é um documento que tem como objetivo estabelecer um contrato entre duas partes, o KPI é um indicador de desempenho, que tem como objetivo analisar a performance das ações já realizadas.

De forma resumida, podemos entender que o SLA busca antecipar acontecimentos e garantir que o trabalho ocorra conforme o que foi previamente definido. O KPI, por sua vez, mede os resultados de todas ações que já aconteceram durante o projeto.

Como fazer um SLA: 4 dicas para um documento preciso

Até aqui, entendemos o significado de SLA e a sua importância para a segurança da empresa. Agora, é hora de entender como criar o seu de forma clara e prática. Vamos lá? 

1. Clareza é a base do sucesso 

Na hora de elaborar um SLA, tenha em mente que esse documento garante a segurança de todas as partes envolvidas em um serviço.

Portanto, ele precisa ser o mais claro possível, sem deixar margens para interpretações. 

Assim, lembre-se de descrever, de forma transparente, todas as atividades que serão e que não serão prestadas pelo fornecedor, a fim de evitar conflitos ou ruídos de comunicação.

2. Estipule os indicadores de resultados

De nada adianta criar um SLA com regras e definições sem uma gestão de desempenho do serviço contratado.

Afinal, é a partir dessas métricas que você saberá se os resultados estão sendo atingidos conforme o acordado. 

Por isso, liste os indicadores para avaliar a performance da companhia ou profissional contratado. Assim, é possível identificar falhas, corrigi-las e manter a qualidade do trabalho.

3. Avalie a capacidade técnica do contratado

Assim como os colaboradores são avaliados previamente pelas suas hard e soft skills, os fornecedores também precisam ser avaliados antes da contratação dos serviços.

Sendo assim, busque contratar profissionais ou empresas com seriedade e competência, que consigam lidar com as demandas do seu negócio e propor soluções de impacto na rotina.

4. Defina os pré-requisitos e as regras

Com as atividades descritas, é hora de definir os pré-requisitos e as metas que devem ser alcançadas durante a execução do trabalho. 

Para isso, estipule as regras para a prestação de serviços. Dessa forma,  as rotinas e o perfil do fornecedor e da empresa ficarão alinhados, o que simplifica o trabalho e otimiza o desempenho.

Com as ferramentas certas, o seu negócio vai mais longe

No post de hoje, vimos o conceito de SLA e para o que ele serve em uma empresa.

E agora que você já sabe como ele pode ajudar na rotina do seu negócio, que tal conhecer outras ferramentas para otimizar ainda mais a sua gestão?

Baixe gratuitamente o seu e-book e conheça 39 ferramentas para gestão, marketing e vendas no e-commerce para potencializar a sua empresa.

Nova call to action