Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica, não sejam MEI e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h às 17h. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Indiquei um cliente pelo programa de Afiliados. Como eu posso consultar minha indicação?

Você pode consultar sua indicação no Painel do Indicador.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Quero ser cliente

Métricas para e-commerce: quais devem ser avaliadas?

Descrição do post. Recomendamos que tenha no máximo 212 caracteres.

Escrito em 05 de Março de 2020 por iugu

Analisar o desempenho da loja na plataforma online envolve fatores como a satisfação do cliente, seu valor de vida, a taxa de conversão e o ticket médio, entre outros. As métricas para e-commerce são essenciais às estratégias de quem empreende na modalidade.

Elas traduzem em números, objetiva e diretamente, o sucesso das medidas adotadas pelo administrador para impulsionar as vendas e alavancar os resultados. Mensurar a efetividade das ações aumenta as chances de você acertar na definição das melhores campanhas para o seu negócio, por exemplo.

Continue conosco na leitura e veja quais métricas para e-commerce são úteis a quem empreende na modalidade. Aproveite as dicas para posicionar estrategicamente sua marca no mercado.

Custo de Aquisição do Cliente

Quanto você gasta para conquistar um cliente? O CAC contabiliza na somatória os gastos com marketing e vendas. Entram na categoria despesas com: anúncios e produção de conteúdo, aquisição de licenças, aplicações e ferramentas, treinamento e capacitação dos colaboradores, salário e comissão da equipe comercial.

Então, o investimento total é dividido pelo número de clientes conquistados no período. O CAC precisa ser maior que o ticket médio para não haver prejuízo, afinal, você não deve gastar mais com a conversão do cliente que o retorno que ele lhe dá adquirindo seus bens, serviços e tecnologias. O cálculo é feito da seguinte forma:

CAC = Investimento total / Número de clientes adquiridos

É preciso conhecer profundamente o seu processo de vendas para não deixar nenhum gasto de fora da somatória. Assim, se o investimento em marketing e na área comercial foi de R$ 4,8 mil reais nos últimos 3 meses e 120 novos consumidores passaram a compor sua clientela, o CAC é de R$ 40.

Taxa de conversão

Nem todo usuário que chega à sua loja online vai seguir navegando, percorrer o funil de vendas e efetivamente adquirir o produto. Essa métrica para e-commerce pode ser calculada para verificar quantas pessoas realizam o cadastro, a compra, fazem o download ou a assinatura a partir do número inicial de acessos à sua página eletrônica.

A taxa média de conversão do e-commerce em julho de 2019 é de 2,04%, evidenciando o quanto o empreendedor deve estar atento não só aos canais de comunicação com o público, mas também à experiência do usuário na plataforma de compra. Veja o cálculo:

Taxa de conversão (%) = Quantidade de usuários que compraram/Quantidade total de visitantes x 100

Então, se apenas 800 pessoas dos 6,4 mil visitantes adquiriram seu produto, sua taxa de conversão é de 12,5%. Esse resultado deve ser comparado ao obtido em períodos anteriores para promover otimizações em seu negócio, tais como melhorar a disposição dos produtos em categorias e a navegabilidade na plataforma.

Ticket médio

Essa métrica para e-commerce divide quanto você faturou com todas as vendas pelo número de pedidos. Assim, é possível ter uma ideia de quanto cada cliente adquiriu em bens, produtos e serviços. Confira:

Ticket médio = Receita total das vendas / Quantidade total de pedidos

A forma de fazer o cálculo é a mesma, independentemente da sua loja virtual vender no atacado ou varejo, para empresa ou consumidor final. A diferença é que o ticket médio costuma ser maior no modelo B2B porque as compras são grandes em volume.

É possível fazer a conta inclusive dentro do mix de produtos para ter ideia do desempenho de cada um. Por exemplo, se a sua loja vende roupas e calçados, divida o valor total obtido com a comercialização dos produtos pelo número total de pedidos na categoria. Assim, você obtém o ticket médio das peças de vestuário.

A estratégia ajuda na elaboração de um ótimo plano de vendas e na precificação. De tal forma o empreendedor encontra os produtos em que ele pode ter uma margem de lucro maior, evidenciando uma oportunidade a ser explorada, a de faturar mais.

Valor de vida do cliente

Tão importante quanto conquistar é fidelizar o consumidor para ele continuar adquirindo seus bens, serviços e tecnologias. Essa métrica para e-commerce permite que você faça a estimativa de rendimentos e analise o lucro potencial de cada cliente.

Por isso o valor de vida do cliente é tão essencial na economia da recorrência, marcada por pagamentos geralmente mensais em troca da licença para uso de certificado ou do acesso a um software, por exemplo. O valor real do produto e os gastos para sua manutenção são diluídos em pequenas parcelas.

Valor de vida do cliente = Ticket médio mensal x Tempo médio de retenção de cada cliente

O foco dessa métrica para e-commerce é a relação de longo prazo, não limitada a um ou outro pedido feito na plataforma. O gestor orienta suas ações para fortalecer na memória do consumidor a marca quando fica de olho nesse indicador-chave. Ele tem a possibilidade de desenvolver um programa de fidelidade a partir dos resultados.

Net Promoter Score

Também conhecido como NPS, ele serve para medir o nível de satisfação dos clientes com a loja. Assim, é possível melhorar o atendimento, as funções, usabilidade, acessibilidade e navegabilidade da plataforma para o usuário ter uma experiência de compra ainda melhor. Confira o cálculo:

Net Promoter Score = % Clientes promotores - % Clientes detratores

Os resultados do NPS são obtidos em questionários cujas notas variam de 0 a 10, sendo os entrevistados classificados da seguinte forma:

  • clientes detratores: dão pontuação de 0 a 6, ou seja, estão insatisfeitos com a loja, criticam a empresa e, exceto por alguma excepcionalidade, não voltariam a fazer negócio com você;
  • clientes neutros: dão notas 7 ou 8, o que significa que eles não são reais entusiastas da marca e efetuam as compras apenas em caráter pontual;
  • clientes promotores: alegam que o seu serviço é nota 9 ou 10, elogiam a empresa e a divulgam para colegas e conhecidos, além de serem fiéis à loja.

O NPS não indica apenas o nível de satisfação, mas o crescimento e credibilidade do seu nome no mercado. O consumidor busca boas avaliações de compra para adquirir um produto em ambiente virtual, quer recomendações positivas para se sentir seguro e confiante em fazer um pedido pela internet.

Viu só como as métricas para e-commerce podem melhorar o posicionamento do da sua empresa. Elas admitem monitoramento das medidas adotadas, aprimoramento das ações e dão respaldo para suas decisões serem mais assertivas, mitigando riscos.

Gostou do assunto? Falando em atuar no ambiente virtual, confira agora mesmo este nosso outro post sobre os principais desafios para quem está começando no empreendedorismo digital.