Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Você sabe o que é conciliação bancária? Veja!

Escrito em 30 de Janeiro de 2020 por Patrick Negri

Atualizado em 07 de Dezembro de 2020

A conciliação bancária é uma das atividades mais importantes dentro do departamento financeiro e, por vezes, é realizada de forma incorreta pela equipe. A conferência diária é fundamental para gerar informações reais e verdadeiras.

Uma boa gestão financeira depende do processo de conciliação para acompanhar os saldos e identificar se os números estão positivos ou negativos. Quando se fala em controle, esse é um procedimento que deve encabeçar a lista de tarefas da rotina.

Nosso objetivo neste post é conceituar a conciliação bancária demonstrando o quanto ela é importante para o bom desempenho do negócio e apresentar um passo a passo de como criar uma prática cotidiana segura e eficiente!

O que é conciliação bancária?

Todos os valores que entram ou saem da empresa têm origem e destino, sendo necessária a comparação entre eles para facilitar a identificação e a confirmação do saldo em caixa — a esse processo damos o nome de conciliação.

A conciliação bancária promove esse encontro de contas considerando os pagamentos e recebimentos com verificação dos valores em movimento nos bancos e nas instituições financeiras.

A empresa que disponibiliza meios de pagamentos diversos — cartão de crédito, boleto bancário, débito em conta — são as que mais devem se preocupar em realizar uma rigorosa conciliação financeira.

Um erro de identificação ou um pagamento despercebido pode acarretar uma série de eventos e esbarrar no cliente, gerando transtorno para ambas as partes — desde uma cobrança indevida até o crescimento da inadimplência.

Como funcionam os pagamentos

Os pagamentos podem ser realizados por meio físico (dinheiro) ou virtual (cartão de crédito, boleto bancário, transferência, débito em conta) e é por meio da conciliação bancária que será possível saber o que há disponível no caixa e nas contas bancárias.

Quando a conciliação falha ou não acontece diariamente, a gestão tende à vulnerabilidade e ao comprometimento da tomada de decisão. A empresa pode, inclusive, perder oportunidades de investimento ou expansão por não apresentar a real disponibilidade financeira.

Todos os dias o profissional ou equipe financeira deve emitir o extrato bancário e confrontar as informações com o movimento do dia anterior. Dessa forma, todas as receitas e despesas serão apuradas, conciliadas e baixadas adequadamente.

A conciliação bancária costuma apontar valores de taxas e tarifas praticadas pelos bancos que podem ser negociadas para redução das despesas. Apontamentos possíveis depois de todos os valores identificados.

Durante muito tempo o processo da conciliação foi realizado manualmente e seguindo utilizando planilhas eletrônicas. A inovação tecnológica trouxe os sistemas de pagamento online que permitem a integração e a conciliação automática — um processo dinâmico que facilita o trabalho e minimiza os riscos de erros.

Quais são os principais passos para realizar uma conciliação bancária efetiva?

Embora a conciliação pareça um processo simples de identificação de valores, toda a memória financeira tem base nos exercícios mensais que devem ser resguardados, para consultas posteriores ou sempre que necessário.

Como o movimento de caixa é cíclico, constante e com perspectiva verticalizada, algumas medidas devem ser adotadas no processo atual da conciliação bancária para assegurar a localização de todos os registros ao longo do tempo.

Arquive toda a documentação do processo

É comum nas empresas surgir a necessidade de comprovação de um pagamento ou verificação sobre uma venda. Manter a documentação arquivada em local adequado possibilita pesquisa, localização e identificação rápidas de um processo.

Outro fator importante é que o setor financeiro alimenta as informações de áreas como Contabilidade e Fiscal — mais uma razão para criar um arquivo organizado e completo.

Monitore os fluxos

O olhar atento e perspicaz de quem é responsável pela conciliação bancária faz toda a diferença e contribui para a saúde financeira do negócio. Há fluxos, que podem ser de caixa, bancário, de vendas, de compras, de cobrança que perpassam o processo de conciliação.

Pagamentos em duplicidade exigem estornos, logo, em um mês, por exemplo, o cenário pode mudar muitas vezes até que a conciliação encerre o exercício definitivamente.

Ações como descontos concedidos pela equipe de vendas ou juros pagos por atraso são recorrentes e alteram o cenário inicial dos títulos, o que só será identificado posteriormente, durante a conciliação.

Evite erros recorrentes

A equipe financeira que cuida da conciliação bancária deve ter capacidade de análise e de atenção focada para evitar que os erros aconteçam. Um dos mais comuns é acumular a conciliação.

São diversos os motivos — volume baixo de títulos para conciliar, prioridade de outras atividades, preferência por uma conciliação periódica. Caso um pagamento seja realizado de forma indevida, o financeiro demorará a perceber e tomar as providências em tempo hábil.

Vamos imaginar o pagamento de recorrência realizado por meio do cartão de crédito, ou seja, todos os meses o cliente será cobrado por essa opção. Pode ser que em determinado mês, por algum motivo, a operadora do cartão não realize a operação.

Esse cliente ficará inadimplente até regularizar a situação ou permitir outra forma de cobrança. Até lá, se a conciliação não for realizada, sua empresa não saberá da condição de inadimplente e continuará disponibilizando o produto ou serviço ao cliente, mesmo devedor.

Como cobrar um cliente se a empresa falhou em identificar que um título não foi pago e manteve a oferta de serviços? Certamente a cobrança será efetivada para reverter o prejuízo, mas com um risco de perder o cliente e ser conceituada por ele de forma negativa no mercado.

Aprenda a interpretar os dados de uma conciliação bancária

Os números não mentem, mas exigem um acompanhamento constante para que a interpretação dos dados seja eficiente. Há lançamentos divergentes do conceito de débito e crédito que exigem um olhar apurado que somente a prática diária pode desenvolver.

Com o tempo, o responsável pela conciliação bancária terá expertise para identificar um erro ou um lançamento indevido na primeira leitura. Dessa forma, dificilmente o fluxo de caixa será afetado pela incoerência nas informações.

Quais são as vantagens de realizar a conciliação?

Se existe um processo financeiro que gera melhor controle e gerenciamento das informações, a empresa só pode se beneficiar em utilizá-lo. É assim que a conciliação bancária deve ser vista dentro da gestão financeira — uma aliada poderosa e de fácil implantação.

O resultado financeiro depende de uma série de fatores, inclusive alheios ao planejamento da empresa, mas um bom controle vai ajudar a manter o equilíbrio e compensar todos os esforços para aumentar as vendas, ganhar visibilidade no mercado e vantagem competitiva.

Perceba o quanto a conciliação bancária é essencial para uma empresa. Sua função é, acima de tudo, demonstrar a realidade financeira e antecipar os possíveis erros e desequilíbrio das finanças para garantir a competitividade do negócio.

Se você gostou deste post, será importante conhecer mais sobre os principais erros cometidos na gestão de pagamentos recorrentes para manter a empresa em uma jornada progressiva e cada vez mais produtiva! Acesse o link e confira!

Imagem de capa: Designed by studiogstock / Freepik