Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h às 17h. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Solicitar Contato

Plataform as a Service: o que é PAAS e como funciona na prática?

PAAS: o modelo de computação em nuvem que oferece um ambiente para desenvolvimento de aplicações com mais vantagens.

Escrito em 15 de Abril de 2021 por Patrick Negri

A Cloud Computing, ou computação em nuvem, vem promovendo uma série de mudanças no setor empresarial e nos hábitos de consumo, e neste sentido precisamos ter ideia do que é e qual a importância de um PaaS. Aqui, nuvem diz respeito à própria Internet, e os negócios que operam por meio desse recurso tecnológico mantém seus dados nessa nuvem.

A depender do tipo de ferramenta de computação em nuvem, diferentes tarefas podem ser executadas de forma totalmente remota. Uma vez que não é preciso instalar diversos programas nos computadores corporativos, as atividades contempladas pela ferramenta podem ser feitas por meio de qualquer dispositivo eletrônico com acesso à internet.

Consequentemente, a computação em nuvem traz diversos benefícios aos negócios, e também aos clientes. Esse mercado já está estabelecido e se mantém em ascensão. Grandes empresas, como o Facebook e o Gmail, mostram que esse tipo de serviço também faz sucesso entre os usuários.

O PaaS, ou Platform as a Service, é uma dessas modalidades de computação em nuvem que oferece um sistema flexível e completo. Com ele, os funcionários de um negócio podem acessar uma variedade de recursos tecnológicos sem a necessidade de implementar e manter sistemas operacionais.

Nesse artigo, vamos mostrar o que é PaaS, as vantagens desse modelo de cloud computing e como ele atua no dia a dia das empresas. Acompanhe a leitura e confira! 

Como funciona o PaaS?

Agora que você já sabe o que é PaaS, vamos entender como essa solução funciona.

O PaaS é uma solução tecnológica implementada completamente na nuvem, cujos recursos podem ser acessados somente por uma conexão segura de Internet. Graças a essa tecnologia, as empresas podem executar as atividades com agilidade e sem grandes gastos.

Isso ocorre porque o PaaS permite a flexibilização e adaptação de infraestruturas prontas para usá-las conforme desejado. Com isso, é possível desenvolver aplicativos de diferentes finalidades sem a necessidade de contratar profissionais especializados para criar sistemas próprios para cada aplicação, neste processo é crucial a presença de Desenvolvedores.

Quanto à contratação de um PaaS,  é importante saber que ela procede a  partir da assinatura de um plano de serviços, que são comercializados por provedores de serviços em nuvem. O pagamento é mensal e as empresas só pagam pelos recursos que utilizam.

Então, o provedor oferece um ambiente digital para o desenvolvimento, implementação e administração dos recursos necessários para criar suas aplicações. Logo, a empresa tem controle absoluto dos programas implementados e das configurações de hospedagem.

No entanto, a infraestrutura na qual se baseia o PaaS — desde rede, servidores e sistemas operacionais — é de responsabilidade da provedora. Assim, a contratante só tem acesso às funcionalidades que garantem o desenvolvimento das aplicações, excluindo gastos de manutenção dessa estrutura digital.

Além de entender o que é PaaS e como ele funciona, é importante saber que seu funcionamento também depende de seu modelo, que pode ser:

  • Pública;
  • Privada;
  • Híbrida. 

PaaS pública 

Recomendada para empresas que utilizam redes públicas de internet, essa modalidade é menos segura, mas possui capacidade infinita.

PaaS privada 

Com a mesma agilidade que a PaaS pública, a privada oferece mais segurança, custos mais baixos e pode ser implementada em qualquer tipo de infraestrutura.

PaaS híbrida 

Uma combinação entre as duas modalidades, que oferece a capacidade infinita do PaaS público e os menores custos da privada.

Essa escolha deve considerar fatores como custo-benefício, as normas de segurança da empresa, além das atividades executadas no negócio. 

Agora que você sabe o que é PaaS e como funciona essa tecnologia, entenda os casos em que é recomendável contratar o serviço.

Quando aplicar o PaaS na sua empresa?

Já sabemos como funciona o PaaS, mas como saber quando é o momento ideal de aplicá-lo na empresa?

Embora a aplicação de um PaaS ofereça vantagens para todo tipo de negócio, em alguns casos ela é fundamental. 

O caso mais comum é de empresas que prestam serviços online, pois os consumidores buscam agilidade e eficiência no atendimento, e o PaaS oferece, dentre outros benefícios, exatamente isso.

A contratação de uma dessas plataformas também é fundamental para empresas que precisam otimizar suas operações. Nesse sentido, o PaaS é responsável por melhorar a comunicação interna da empresa e pela automatização de vários processos. 

Com isso, os erros operacionais reduzem bastante, aumentando a produtividade e otimizando as operações.

Empresas que precisam desenvolver e gerenciar aplicações com eficiência também devem implementar um PaaS. Isso porque, é a partir deles que as empresas conseguem fazer tudo isso com segurança e agilidade.

Você já sabe como funciona o PaaS, agora conheça as principais vantagens que a sua implementação pode oferecer ao seu negócio.

Vantagens da aplicação de um PaaS

O PaaS é uma solução tecnológica que reúne diversos recursos em nuvem que auxiliam nas operações empresariais. Desde a entrega de serviços até a comunicação organizacional, várias atividades são potencializadas pela adoção de um PaaS.

Continue a leitura e confira as principais vantagens da aplicação no seu negócio.

Redução de custos

Como já foi abordado, o PaaS é um modelo de computação em nuvem e, por isso, tem toda a sua estrutura hospedada em nuvem. Com isso, os gastos com infraestrutura física diminuem consideravelmente.

Dentre os custos que são eliminados estão:

  • Gastos com servidores;
  • Espaço de armazenamento;
  • Equipamentos de refrigeração;

Entre outros. 

Além disso, deve-se considerar que uma estrutura física exige manutenção frequente. Assim, diminuem também os gastos com uma equipe dedicada a isso.

Melhora a comunicação interna

O PaaS concentra diversos recursos em um ambiente, o que permite que as atividades sejam executadas de forma mais prática e eficiente. E, dessa forma, a comunicação organizacional também se aproveita disso.

Um PaaS apresenta recursos que possibilitam centralizar a comunicação das equipes em um único espaço. Desse modo, é possível solucionar problemas de forma ágil e traçar estratégias com mais eficácia.

Proporciona mobilidade

 

Graças à infraestrutura em nuvem, os colaboradores podem se conectar à plataforma da empresa de qualquer lugar. Com isso, é possível executar diversas tarefas por meio de qualquer dispositivo, desde que haja conexão de Internet. 

Esse é um benefício muito importante nos dias de hoje. Com a popularização do trabalho em regime home office, o PaaS se torna fundamental.

Promove a escalabilidade

Uma das grandes vantagens do PaaS é sua flexibilidade. Graças a ela, é possível ampliar a atuação do negócio em momentos de pico de acesso ou retrair, quando a demanda for menor.

Uma vez que você paga apenas pelos recursos que utilizar, a implementação do PaaS permite que seu negócio cresça sem a necessidade de grandes investimentos. 

Além disso, por executar tudo de forma automatizada, o investimento em mão-de-obra também é reduzido sem afetar os processos da empresa.

PaaS, IaaS, SaaS: conheça as diferenças

Como você viu, o PaaS tem diversas funcionalidades para garantir a eficiência e crescimento dos negócios. Ele é o modelo ideal para empresas que desejam uma boa plataforma de desenvolvimento e gerenciamento de aplicações.

No entanto, as possibilidades da computação em nuvem são inúmeras e, por isso, as soluções tecnológicas de cloud computing compreendem outras duas categorias:

  1. IaaS (Infraestrutura como Serviço);
  2. SaaS (Software como Serviço).

Infrastructure as a Service (IaaS)

A Infraestrutura como Serviço é um modelo de cloud computing em que todos os recursos são configuráveis. Diferentemente do PaaS, em que a infraestrutura já vem pronta, a IaaS oferece controle total de todos os recursos.

Assim, a empresa contratante é responsável por tudo e, portanto, pode configurar recursos como armazenamento e servidores conforme suas necessidades. Por ter controle de toda a estrutura, entretanto, os gestores devem contratar profissionais de TI especializados para gerir o sistema.

Software as a Service (SaaS)

O Software como Serviço, por sua vez, é um modelo que permite aos usuários acessar o software via web ou por meio de APIs disponibilizadas pela provedora, sem necessidade de instalação. Assim, toda a infraestrutura e seus recursos são entregues completamente prontos.

Além disso, os contratantes do serviço não são responsáveis por atualizações ou correções dos aplicativos. Por isso, a SaaS não exige conhecimento técnico ou contratação de equipe especializada, diferente do PaaS, que exige um know-how de como desenvolver e gerenciar aplicações.

Entenda o PaaS na rotina da empresa

Como você já sabe, o PaaS oferece um ambiente de desenvolvimento e gestão de aplicações. Com isso, as empresas têm suporte completo dessa ferramenta de automatização em todas as etapas de criação de um aplicativo web — desde a compilação e testes até a implementação, gerenciamento e atualização.

Desse modo, o processo de desenvolvimento é feito de forma mais rápida, uma vez que não é necessário arquitetar uma infraestrutura para isso. Consequentemente, não é preciso investir em diferentes ferramentas para as etapas da criação e nem alocar funcionários para manuseá-las.

Assim, o PaaS gera diversas vantagens para a rotina da empresa, otimizando vários processos. Confira alguns desses benefícios:

  • Permite o início imediato de projetos, uma vez que os recursos são virtualizados e, por isso, sempre disponíveis;
  • Estimula o foco no core business, já que não há preocupações com a infraestrutura da plataforma;
  • Otimiza o tempo através da automatização de várias tarefas;
  • Melhora o controle de custos, ajudando a reduzi-los, uma vez que são pagos apenas os recursos utilizados. 

Dificuldades para adotar PaaS

Entendemos o que é PaaS, como ele funciona e vimos que, com a agilidade das operações, com a redução de custos ou com o potencial de escalabilidade, as empresas se beneficiam muito das possibilidades que o PaaS oferece. 

No entanto, a implementação dessas plataformas ainda enfrenta algumas dificuldades dentro das empresas. Confira as principais:

Cultura organizacional

O PaaS é extremamente estratégico, mas também promove grandes mudanças na gestão dos processos. Por isso, é preciso adaptar todos os setores da empresa, especialmente porque o PaaS oferece soluções unificadas; 

Segurança dos dados

Muitos gestores ainda não confiam totalmente no nível de segurança oferecido pelos serviços de computação em nuvem. Por isso, elas optam por infraestruturas físicas, ainda que sejam menos ágeis e o custo seja maior;

Sistemas integrados

Muitos vêem dificuldades na adoção do PaaS pela integração com outros sistemas. Mas, ao contrário do que pensam, os trabalhos não se tornam mais complexos. Na verdade, a automatização facilita muitos processos.

Neste artigo, abordamos como funciona o PaaS e as vantagens que ela proporciona ao seu negócio. Além disso, ressaltamos a importância de sua implementação ao negócio a fim de proporcionar maior agilidade e segurança aos processos do seu empreendimento.

Sabendo da importância do PaaS, e da integração de uma estrutura tecnológica em cada etapa do negócio, é essencial que conheça como a iugu pode ajudar você nisso. Para saber mais, clique aqui e converse com um dos representantes da iugu.

Fale com nossos consultores