Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Vendas High Touch: conheça a estratégia e saiba quando usá-la

Veja tudo o que você precisa saber para descobrir se este é o modelo de vendas ideal para o seu negócio e como adotá-lo!

Escrito em 04 de Outubro de 2021 por Carolina Fanin

Atualizado em 08 de Outubro de 2021

Apesar do nome difícil, as “vendas high touch” nada mais são do que o modelo mais tradicional que existe, em que há grande interação entre empresa e consumidor.

Essa estratégia é bastante utilizada por muitas empresas que entendem que seu produto ou serviço demanda uma atenção maior de sua equipe para que a venda, de fato ocorra, ou que querem oferecer atendimento diferenciado aos futuros clientes.

Diferente, por exemplo, das vendas low touch, onde a interação entre as duas partes é mínima, ou até inexistente - e tudo bem!

Para saber se este é o modelo certo de vendas para a sua empresa e quando usá-la, é preciso entender melhor sobre o conceito e sobre algumas variáveis que explicaremos a seguir.

Diferenças entre vendas High Touch e Low Touch

Muitas vezes quando pensamos em vendas high touch e low touch, logo pensamos no conflito entre a comunicação humana e a automatizada.

Porém, isso não é necessariamente verdade. Ambos podem conter traços de automação e tecnologia - e também de interação humana em algum estágio.

A distinção, entretanto, é melhor representada como uma escolha entre o atendimento ao cliente com soluções personalizadas e maior contato; e o fornecimento de recursos que um cliente pode usar por si mesmo.

Veja as principais características de cada modelo:

Vendas High Touch

  • Os clientes possuem suporte em nível humano em vários estágios do processo de compra e do seu ciclo de vida na empresa;
  • Envolve uma participação muito maior, e geralmente depende de um indivíduo ou equipe para manter contato direto, pessoal e frequente com as contas;
  • Geralmente é usada para clientes estratégicos ou de alto valor que, em sua maioria, são mais complexos e exigem assistência individual.

Low touch

  • Há pouca interação humana com os clientes, que são, geralmente, gerenciados através de um software;
  • Se preocupa em oferecer um gerenciamento autoguiado baseado em dados que podem ajudar os clientes a se sentirem valorizados, garantindo que eles saibam onde ir para resolver seus problemas, quando necessário;
  • É frequentemente usada para clientes que, geralmente, têm uma receita recorrente baixa e/ ou implementação descomplicada.

Pelo lado positivo, os humanos buscam interações com outros humanos, portanto, desenvolver uma conexão nas vendas high touch é fundamental para manter seus clientes. 

No entanto, fornecer esse nível de serviço a todos os clientes pode se tornar uma missão quase impossível. Por isso a necessidade de avaliar quais produtos ou serviços permitem o low touch e podem utilizar-se da autocontratação, e quais realmente exigem uma interação maior.

Por outro lado, enquanto o low touch alivia a pressão sobre a interação humana, liberando pessoal para clientes com grandes necessidades ou situações específicas de alto contato, a falta dessa interação pode fazer com que os clientes comecem a ver a empresa como distante.

Para uma venda sem interação humana, é preciso que tudo esteja muito bem explicado e que o processo de contratação seja autoguiado, sem deixar dúvidas para o futuro cliente.

Como identificar a necessidade da venda High Touch?

Agora que você entendeu melhor a diferença entre vendas high touch e low touch, pode ser mais fácil identificar a necessidade da sua empresa e também dos clientes.

Entretanto, existem algumas variáveis que precisam ser levadas em consideração, como por exemplo a persona do seu negócio, o seu funil de vendas e também o tipo de produto ou serviço que você vende.

Vamos entender melhor cada um deles e como eles se relacionam com as vendas High Touch.

Persona

Persona é o perfil ideal do seu público alvo. Caso você ainda não tenha isso definido, é importante que você realize esse estudo e crie a sua persona para conseguir elaborar estratégias mais assertivas para o seu negócio.

Essa definição não será a grande responsável pela identificação da necessidade de uma venda High Touch, porém, ela é extremamente necessária para mapear melhor os passos que essa persona precisa para fechar a compra e definir as estratégias para acompanhá-la neste processo.

Jornada do cliente e Funil de Vendas

Muitas pessoas confundem a jornada do cliente com o funil de vendas. Apesar de estarem ligados, são coisas diferentes e você, como empresa, precisa saber disso.

A jornada do cliente nada mais é do que o caminho que ele percorre em todo o processo de compra, desde o momento de descoberta do problema - o qual o seu produto solucionará - até a ação, o momento da compra - sem nos esquecer do pós-venda, mas falaremos desta etapa mais adiante.

O funil de vendas é o processo que você vai implementar na sua empresa para auxiliar o cliente durante a sua jornada, nutrindo-o em todas as etapas.

funil-completo-BLOG-IUGU

Para saber se a venda High Touch é a melhor estratégia para o seu negócio, é importante conhecer tanto a jornada dos seus clientes, como também o seu próprio funil de vendas.

Você pode se fazer algumas perguntas:

  • Eu conheço todas as etapas da jornada do meu cliente?
  • O meu funil de vendas é bem definido?
  • Existe algum gargalo neste funil que possa ser resolvido com maior interação das equipes de vendas ou de customer success (CS)?

Seu produto ou serviço

Quando falamos em vendas High Touch, existem alguns produtos e serviços que podem facilmente serem comercializados sem muita interação, num modelo de autocontratação, como por exemplo, os softwares.

Entretanto, existem produtos e serviços que requerem maior interação como os que possuem um alto valor agregado, por exemplo: carro, imóvel, móveis planejados, serviços de educação, etc. Nesses casos, as vendas high touchs são, praticamente, obrigatórias. 

Como aplicar as vendas High Touch no seu negócio

Entendendo melhor estas variáveis, é possível definir como o seu time de vendas atuará e como você poderá aplicar o High Touch em cada um dos modelos de vendas, sendo eles: Inside Sales e Field Sales.

Inside Sales

Você já entendeu que quanto maior o custo e a complexidade do seu produto ou serviço, maior será a necessidade do seu cliente de criar uma relação, através de uma maior interação com o seu time de vendas.

Inside Sales é um tipo de venda realizada dentro da empresa, onde o vendedor não se desloca até o cliente e vice-versa.

Se você trabalha com o modelo de Inside Sales, a interação com o cliente se dará a partir de pontos de contato como e-mail, telefone e reuniões online, sempre que o cliente precisar.

Field Sales

Se você trabalha com o modelo de Field Sales, um e-mail ou telefone será apenas o primeiro passo numa longa caminhada de interação entre a equipe de vendas e os clientes.

Esse modelo é muito utilizado por empresas mais robustas que possuem soluções de altíssimo custo para seus clientes, que requerem diversas reuniões presenciais.

Essas reuniões, entretanto, geralmente englobam um time multidisciplinar. Além das pessoas da área comercial, participam também profissionais com conhecimento técnico no tipo de serviço/produto que o cliente almeja, que sejam capazes de desenhar uma solução personalizada e até mesmo fornecer alguma demonstração in loco.

Veja algumas dicas de como aplicar as vendas High Touch com sucesso:

1. Não seja um robô


Ao concentrar-se no problema do cliente, mais do que na venda em si, o vendedor remove a pressão de um discurso de vendas e conquista a posição de parceiro de negócios.

Estude seu cliente e foque em solucionar a sua dor, dessa forma a conversa seguirá mais fluida e a relação de confiança construída entre as partes será muito maior!

2. Esteja disponível


Dê ao cliente uma pessoa - de fato! - com quem falar.

Comprometa-se a ter um ser humano para atender a chamada (ou retornar prontamente) e trabalhar para atender às necessidades do cliente. Dessa forma, eles se sentirão respeitados como indivíduos e podem, potencialmente, indicar outros novos negócios, caso se sintam engajados.

3. Faça perguntas reais


O trivial “Olá, tudo bem?” não precisa ser retórico. Fazer perguntas reais leva a respostas reais, o que é valioso para ambas as partes. Em outras palavras, ouça.

Até mesmo o simples ato de lembrar um apelido, um aniversário ou preferências específicas permitirá que as pessoas saibam que suas trocas não são superficiais.

4. Inclua um toque pessoal autêntico


Observe como alguns profissionais dão um toque autêntico ao seu atendimento e tente implementar o seu toque pessoal.

Exemplo: as assinaturas de e-mail de alguns profissionais que lidam diretamente com clientes, oferecem características de quem eles são, de forma bem humorada, listando seu cargo, empresa - e seu sorvete favorito!

Isso humaniza ainda mais o atendimento.

Seguindo essas dicas com certeza você estará cada vez mais próximo de seus clientes, construindo uma relação de confiança que, às vezes, só é possível neste modelo de vendas.

High Touch no pós-venda

Falamos muito no High Touch como um modelo de vendas para captar clientes, entretanto, essa estratégia é também uma excelente ferramenta de retenção dos mesmos.

Esquecer seus clientes após a finalização da venda do seu produto ou serviço é a receita ideal para fazer com que eles não voltem.

Uma vez conquistados, é preciso implementar ações para que os clientes continuem fidelizados à sua marca, consumindo seus produtos continuamente e indicando sempre que podem.

Por isso, utilizar o High Touch também nessa etapa da jornada do seu cliente, utilizando a humanização, a personalização e todas as dicas que demos no tópico anterior, pode fazer com que suas métricas como o LTV (Lifetime Value) sejam cada vez melhores!

Quer descobrir outras formas de vender mais e encantar seus clientes? Que tal baixar o nosso Ebook gratuito com 39 ferramentas de gestão, marketing e vendas? Aprenda mais sobre planejamento estratégico, funil de vendas e gestão financeira com a iugu!

Nova call to action