Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h às 17h. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Solicitar Contato

Confira o panorama sobre o mercado SaaS no Brasil!

O mercado SaaS no Brasil está em pleno crescimento e merece sua atenção. Encontre nesse artigo o panorama desse setor. Leia na íntegra.

Escrito em 20 de Outubro de 2020 por Renato Ribeiro

O mercado SaaS no Brasil vem ganhando cada vez mais atenção e não é difícil entender o motivo. Segundo o IDC Predictions Brazil 2020, o mercado nacional de tecnologia da informação deve crescer 4,9% neste ano, puxado pela expansão da nuvem e da modalidade SaaS (Software as a Service).

Se, em 2019, o faturamento do setor alcançou a casa dos U$S 86 bilhões, as projeções de um futuro próximo são ainda mais animadoras. O resultado disso, como não poderia deixar de ser, é um aumento do interesse pelo modelo de negócio SaaS — que, por sua vez, traz consigo excelentes perspectivas de lucro.

Neste post, todas as suas perguntas sobre SaaS serão prontamente respondidas. Primeiro, explicaremos quais são as principais características de uma empresa SaaS. Depois disso, navegaremos pelas tendências do setor e pelas melhores práticas operacionais, conhecendo cases de sucesso no Brasil.

Por fim, pontuaremos os principais desafios do Software as a Service sem deixar de evidenciar as grandes oportunidades da inovação SaaS. Preparado? Boa leitura e bons insights!

O que é e como funciona a operação SaaS?

A sigla SaaS, abrevia o conceito de Software as a Service. Trata-se, na prática, de um modelo de negócios baseado na entrega de sistemas e/ou aplicativos por meio da Internet. Ou seja, Software e soluções ofertadas como serviços.

Uma plataforma SaaS, elimina a necessidade de adquirir e manter uma infraestrutura tecnológica. Enquanto o provedor do serviço assume a responsabilidade técnica, a empresa contratante não precisa depender de investimentos volumosos para viabilizar o uso da aplicação. De forma geral, negócios SaaS se encarregam de:

  • equipar e manter toda a infraestrutura de suporte, tais como servidores e banco de dados;
  • garantir a integridade e a segurança dos dados dos clientes, alimentando o fluxo de informações na nuvem;
  • atualizar funcionalidades e administrar acessos remotos;
  • assegurar a disponibilidade e o desempenho da tecnologia na rotina do cliente.

A modalidade SaaS, portanto, abre um novo leque de possibilidades de gestão. Sendo assim, líderes e analistas têm acesso a sistemas de ponta sem comprometer o fluxo de caixa com investimentos pesados.

Quais são as maiores startups do mercado SaaS no Brasil?

A primeira pesquisa sobre o mercado SaaS no Brasil, foi divulgada em 2017 pela SaaSholic. Na época, pelo menos 92% das companhias nacionais já adotavam no mínimo, uma solução em nuvem. Desde então, o número não parou de crescer. O aquecimento do mercado gerou um panorama promissor, arando um terreno sólido para que muitas marcas pudessem crescer e, assim, expandir operações no país.

Entre as empresas SaaS mais relevantes da atualidade, despontam, por exemplo:

  • VTEX, que foca no desenvolvimento de plataformas para e-commerce em nuvem e atende organizações como Ambev, Walmart e Bosch;
  • TOTVS, que comercializa sistemas integrados de gestão (ERP) via cloud computing, facilitando o acesso remoto aos dados corporativos;
  • Olist, que opera uma espécie de loja de departamentos dentro dos marketplaces brasileiros, descomplicando a operação do lojista;
  • Rock Content, que entrega soluções de marketing de conteúdo por meio de Softwares em nuvem.

Juntam-se a elas mais uma série de organizações que mantêm milhares de clientes e faturam, no mínimo, R$ 15 milhões por ano com a tecnologia SaaS. Além disso, o levantamento da SaaSholic, indica que metade das companhias que adotam o modelo cloud também apostam na recorrência, priorizando contratos mensais (50%) em detrimento de negociações anuais ou vitalícias (34,3% e 5,1% respectivamente).

Quais são os principais desafios das empresas SaaS?

Um relatório da FinancesOnline estimou que, de 2016 a 2020, o modelo SaaS cresceria cerca de 22%, se posicionando como uma das maiores oportunidades de mercado às empresas de tecnologia.

Os números se provaram coerentes e, ainda hoje, sinalizam uma forte tendência. A perspectiva de prosperidade, porém, não elimina os desafios do negócio — e eles exigem, de fato, toda a atenção por parte dos empreendedores.

Há, por exemplo, a necessidade de lidar com a relação entre o custo e benefício da solução. De modo a validar a eficiência do Software e a justificar o valor cobrado, (mensal ou anualmente), é preciso evidenciar os diferenciais do produto e focar na solução do problema enfrentado pelo cliente.

A redução dos custos do processo comercial na modalidade SaaS também representa um aspecto desafiador. Além de monitorar as despesas envolvidas no desenvolvimento tecnológico, é preciso investir em estratégias — de marketing, principalmente — para disseminar o conhecimento a respeito do Software, educando o usuário desde o primeiro contato.

Uma vez conquistado, o cliente precisa ser mantido. Por isso, a maximização do LTV (Lifetime Value, ou “valor do tempo de vida do cliente”, em tradução livre) deve ser uma preocupação constante. A lógica é clara: quanto mais tempo um cliente permanece utilizando a plataforma, menor é o custo de aquisição (CAC) e maior a rentabilidade do usuário.

Em resumo, alguns dos principais desafios dos empreendedores SaaS, no Brasil e no mundo, estão relacionados à:

  • eficiência do controle das métricas essenciais, tais como LTV, CAC e churn (cancelamento);
  • urgência de otimizar processos e recursos, investindo em áreas e/ou canais de máximo resultado;
  • fidelização do cliente, garantindo a entrega de soluções aderentes e alinhadas às demandas de cada usuário.

A boa notícia é que, apesar dos obstáculos inerentes ao mercado de Software as a Service, os retornos do segmento tendem a ser, também eles, bastante expressivos. As maiores companhias brasileiras faturam mais de R$ 1 milhão ao mês e têm planos ambiciosos de expansão e desenvolvimento.

A Mutant, por exemplo, se ampara na comercialização de plataformas SaaS e planeja crescer 35% em 2020. Mais um indício de que a temperatura continua quente entre as empresas que optaram pelo modelo de negócios.

Diante disso, fica fácil perceber que o mercado SaaS no Brasil é, sem dúvidas, muito promissor. Não é difícil entender o motivo, pois a solução é prática, acessível e assegura excelente custo-benefício — tanto para o fornecedor quanto para o cliente. Vale explorar!

Para ficar sempre por dentro das novidades do universo SaaS, recebendo conteúdos valiosos ao desenvolvimento da operação, siga nossa página no Facebook, no Instagram, no Youtube e no Twitter.