Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Cobrança indevida: como evitar problemas no pagamento?

Cobrança indevida pode ser um dos maiores problemas para o seu negócio. Saiba como evitar com as dicas do nosso artigo!

Escrito em 22 de Junho de 2021 por Rômulo Pereira

Atualizado em 23 de Junho de 2021

Para cerca de 22% dos consumidores de e-commerce, o atendimento que recebem ao longo do processo de compra em uma loja on-line é considerado um ponto de extrema importância na percepção da experiência do cliente, de acordo com dados do Índice Nacional de Satisfação do Varejo (INSV). Contudo, é bastante comum encontrar casos em que os clientes saem insatisfeitos com a empresa depois de receber uma cobrança indevida. 

O setor que mais apresentou reclamações sobre cobrança indevida nos primeiros dez meses do ano de 2020 foi o de energia elétrica, de acordo com os dados obtidos pelo Estadão, registrando cerca de 85.036 queixas no Procon - SP. Porém, casos assim acontecem em qualquer setor.

Esse problema acaba por desgastar a relação com o consumidor, o que pode gerar prejuízos a longo prazo para o negócio. E não é isso que as empresas desejam, certo?

Por isso, vamos dar algumas dicas de como ter mais planejamento para evitar problemas no pagamento de clientes e cobranças indevidas. Acompanhe a leitura até o final para saber como evitar a cobrança indevida na sua empresa de uma vez por todas e melhorar a relação com seus consumidores.

O que é cobrança indevida?

Uma cobrança indevida é o que ocorre quando um débito é repassado a uma pessoa ou empresa sem que tenha sido, de fato, gerado por ela. Ou quando já houve a quitação, mas mesmo assim é cobrado o débito. 

Isso pode acontecer por diversas razões: como falta de controle e de uma administração financeira correta do negócio, problemas no sistema de pagamentos ou, até mesmo, por má fé. 

Esse problema está sujeito a ocorrer em todos os segmentos de mercado, mas é especialmente comum de ser visto em tarifas bancárias excessivas, taxas médicas e de planos de saúde. Além, claro, das cobranças de serviços de telefonia, como citamos na introdução deste artigo. 

Quando isso acontece, os consumidores podem entrar em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) da empresa para tentar resolver a situação de forma amigável. Caso o problema não seja solucionado, é possível entrar com um processo no Juizado Especial Cível.

Vale ressaltar que já existe uma jurisprudência (entendimento e aplicação da lei brasileira) que vê a cobrança indevida como um dano moral ao consumidor, já que ele precisará gastar tempo para resolver um problema que sequer deveria existir. 

O artigo 42 do Código de Defesa do Consumidor (CDC) também dispõe sobre as cobranças indevidas, assinalando que ocorra "repetição do indébito". Ou seja, a empresa deve ser realizada uma restituição em dobro da quantia paga indevidamente, e o valor deve ser  acrescido de correção monetária e juros legais, exceto em caso de engano justificável.

Além disso, em situações mais extremas, o nome pode ser até mesmo negativado, o que traria um prejuízo ainda maior para o indivíduo. Por isso, é essencial se precaver contra a realização de cobranças indevidas para seus clientes. 

Por que acontece uma cobrança indevida?

Um exemplo bem frequente de cobrança indevida acontece quando operadoras de telecomunicações entram em contato com uma pessoa por meio de ligações ou mensagens de texto para cobrar uma conta que já foi paga ou que nem ao menos está sem seu nome. 

Geralmente, esse tipo de cobrança indevida acontece porque a empresa não atualizou o seu banco de dados e um débito incorreto continua constando em nome do cliente. 

Esse tipo de erro ocorre com mais frequência em empreendimentos em que os sistemas não são automatizados e a atualização de planilhas e bancos de dados é feita de forma manual pelos funcionários. 

Muitas vezes parece, mas não é!

Não é incomum ver casos em que um consumidor acredita ter recebido uma cobrança indevida porque acabou não identificando na fatura do cartão, no DDA (Débito Direto Autorizado) ou no boleto qual era a cobrança real. 

Isso porque, muitas vezes, só aparece a identificação do intermediador de pagamento, como, por exemplo, a iugu. 

Mas, então, como descobrir de onde veio essa cobrança? Veja abaixo algumas dicas para descobrir se a cobrança é indevida ou não: 

  • Se a compra foi feita com algum dos clientes iugu, é possível acessar os detalhes através do site: https://faturas.iugu.com/;
  • Verifique se um amigo ou alguém da sua família usou o seu cartão ou o seu CPF para fazer alguma aquisição;
  • Pesquise o nome e CNPJ da empresa para saber de onde veio a cobrança;
  • Busque entrar em contato com a empresa para entender a origem do débito e solucionar a cobrança;
  • Não informe seus dados pessoais ou bancários a outras pessoas;
  • Certifique-se da origem ou veracidade do valor no boleto antes de efetuar o pagamento;
  • No caso de cartão de crédito, caso já tenha entrado em contato com a empresa e a questão não tenha sido resolvida, é possível entrar em contato com a instituição financeira que emitiu o cartão para solicitar que seja feito o chargeback. 

Não sabe o que é chargeback? Logo abaixo a gente te explica!

Chargeback

Chargeback é um termo em inglês que pode ser traduzido como retorno da cobrança, e que se refere ao cancelamento de uma compra feita usando o cartão de crédito. Ou seja, ele acontece quando o cliente ou o sistema da administradora do cartão contesta uma cobrança realizada e o valor da operação é estornado ao pagador.

O não reconhecimento da compra pelo titular do cartão, por algum motivo, é o tipo mais comum de chargeback. Geralmente, ele  acontece quando o nome da empresa que aparece na fatura não é identificado pelo consumidor. 

Existem quatro tipos de chargeback:

  1. Fraude: ocorre quando existem indícios de ataques cibernéticos, roubo, fraude ou estelionato virtual. Nesse caso, que ocorre em compras online, o portador do cartão não fez ou não autorizou a transação e, por isso, solicita o chargeback. Ainda existem 3 tipos de fraudes;
    1. Fraude deliberada: quando o cliente tem seus dados roubados e as compras são feitas sem seu consentimento;
    2. Fraude amiga: quando o cliente realiza a compra e acaba realizando o estorno, apenas porque acabou ficando confuso com a descrição da fatura o acabou se esquecendo dela, após realizar muitas compras;
    3. Autofraude: quando o titular do cartão realiza a compra, usando seus próprios dados. Quando chega a fatura, no entanto, ele solicita o chargeback, prejudicando o lojista, já que a compra foi de fato realizada pelo titular do cartão.

  2. Desacordo comercial: quando o consumidor solicita o estorno da compra alegando problemas durante o processo de compra do produto/serviço, como não recebimento, produto diferente do anunciado, defeitos, devolução, entre outros; 

  3. Erro de processamento: quando há duplicidade na transação ou quando a venda foi transacionada de outra forma;  

  4. Erro no valor cobrado: quando existe diferença entre o valor total ou a parcela cobrada em relação ao que foi acordado na ocasião da venda

Para os empreendedores é muito importante mitigar todo tipo de chargeback/estorno em sua empresa. Mas, será que é possível fazer isso? Claro que sim! E a principal maneira de se precaver contra esse tipo de estorno é investindo em segurança e tecnologia. Confira as dicas a seguir:

  • Ferramenta de automação financeira: tecnologia que integra os pontos de venda e as operações de diferentes adquirentes de cartão, oferecendo aos empreendedores uma visão global dos pagamentos a serem recebidos. Com isso, deixa de ser necessário acessar diversas plataformas para acompanhar os status de cada transação. As operações por cartão também passam a ser conferidas automaticamente pelo sistema, diminuindo os erros nesse processo. 
  • Ferramentas de gestão de risco e prevenção a fraudes: existem sistemas no mercado especializados em detectar e barrar comportamentos de compra suspeitos que possam indicar fraudes. Os softwares antifraude auxiliam no bloqueio de tentativas de compras online com dados falsos, através de comparativos, analisando padrões que sejam suspeitos. Ainda é possível integrar esses sistema com a plataforma de vendas e de pagamentos, neste segundo caso, é possível ter uma plataforma que intermedia pagamentos, automatizando os recebimentos e integrando esses dois sistemas;

  • Uso de intermediadores de pagamento: é possível terceirizar o processamento das compras contratando o serviço de um intermediador de pagamento. Os intermediadores contam com recursos mais avançados para confirmar as operações de pagamentos e evitar a ocorrência de fraudes. 

Como evitar a cobrança indevida na minha empresa?

Como já explicamos ao longo do tempo, ter problemas com cobrança indevida pode ser um ponto bastante negativo para a saúde da marca e da empresa como um todo, já que a imagem do negócio fica prejudicada e isso pode afetar as vendas. 

A presença de uma assessoria jurídica preventiva é um recurso muito recomendado para evitar esse problema e ajudar a lidar com uma cobrança indevida caso ela aconteça.

Para evitar que esse problema ocorra no seu empreendimento, a melhor solução é automatizar esse processo de cobrança. A iugu pode ajudar o seu negócio com produtos que simplificam a gestão financeira. 

Veja abaixo como as nossas soluções podem evitar problemas no pagamento e cobranças indevidas na sua empresa:

  • Automatize cobranças

Experimente a automação financeira de processos de cobranças da iugu para evitar erros manuais na hora de fazer a rotina de revisões dos pagamentos realizados por seus clientes.

Com isso, a sua empresa ganha mais agilidade nos processos, garante uma boa taxa de aprovação das transações, consegue controlar melhor a  inadimplência e ainda acompanha de perto a performance do faturamento por meio das métricas disponibilizadas. 

Ebook Inadimplência

  • Crie cobranças recorrentes

Outra solução interessante é a automação da gestão através da recorrência, modelo de cobrança onde é possível gerenciar o recebimento de pagamentos recorrentes via boleto, cartão e Pix, evitando erros manuais e deixando o processo mais ágil.

Por meio do painel da iugu, é possível realizar os processos de cadastro de clientes com facilidade, podendo personalizar as formas de pagamento disponíveis, réguas de cobrança e a periodicidade dos ciclos de cobrança.

Também existe a opção de integração da base via API, onde você tem toda a comodidade para integrar a plataforma da iugu como preferir.

  • Painel iugu

No painel iugu, o empreendedor consegue consultar, em tempo real, todas as transações realizadas, o que ainda tem para receber, o que já recebeu, se há inadimplência e quem é o cliente. 

Dessa forma, você terá controle sobre seu negócio e uma melhor relação com seus clientes, já que serão evitadas situações em que cobranças indevidas serão feitas a eles. 

Resumindo: tenha uma plataforma parceira para gerenciar os processos de cobrança

Agora que você já sabe o que é cobrança indevida e como a automação é essencial para evitar esse tipo de problema no pagamento, que tal conhecer mais sobre a plataforma da iugu?

A solução da iugu permite que o seu negócio gerencie os processos de cobrança com muito mais facilidade, trazendo mais segurança à empresa, evitando cobranças indevidas e permitindo que o foco da sua atuação seja em outras áreas, já que o controle financeiro estará totalmente automatizado.

Você ainda pode contar com o nosso suporte para quaisquer dúvidas que surgirem, e continuar usando as funcionalidades, evitando cobranças indevidas aos clientes, tudo de forma automatizada e inteligente!

Conheça nossos planos