Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

3 dicas para colocar sua ideia de negócio em prática

Descubra aqui como transformar suas ideias em ações capazes de gerar lucro!

Escrito em 02 de Fevereiro de 2022 por Parceiro iugu

Atualizado em 02 de Março de 2022

Você sabia que em 2021, segundo dados do Governo Federal, cerca de mais de 3.7 milhões de novas empresas foram abertas, e que o setor que mais cresceu foi o de tecnologia?

Uma consultoria do Sebrae revelou que dois ramos de negócio possuem maior probabilidade de crescer em 2022: serviços e produtos para a terceira idade e para pets.

As pesquisas mostram que não faltam oportunidades de começar uma nova empresa ou inovar em novos produtos no mercado. Mas, existem estratégias que devem ser seguidas para que se obtenha êxito com o empreendedorismo.

Visando te auxiliar nessa jornada, trouxemos as principais dicas encontradas no livro Startup: Manual do Empreendedor, uma obra direcionada a quem já tem uma grande ideia, mas está na etapa de identificar oportunidades para ver se seu projeto possui valor no mundo dos negócios.

Steve Blank, desenvolvedor da metodologia Customer Development, e Bob Dorf, um empreendedor em série que já investiu, treinou e aconselhou mais de 24 startups em mais de uma década, fizeram dessa obra um passo a passo para desenvolver sua ideia desde o início.

Vamos conferir essas dicas? 

1. O mundo é o que acontece lá fora 

Você pode estar desenvolvendo o projeto mais sensacional possível, mas sem realizar experimentos com seu público-alvo para coletar feedbacks, as chances de cometer algum erro pequeno que atrapalhe o lançamento são altas.

Dessa forma, vá às ruas com um papel e uma caneta, ou até mesmo com o gravador de seu celular, e registre as sugestões e respostas de seu público da maneira mais fiel possível.

Não se esqueça do poder das redes sociais, através de um formulário Google ou de enquetes realizadas nas devidas plataformas, colete também, de forma virtual, o feedback necessário. Quanto mais respostas sobre seu produto você obtiver, melhor você será capaz de desenvolvê-lo.

Analise as reações e respostas de seu público e considere as alterações que foram sugeridas para seu modelo de negócio. 

2. Implemente metodologias ágeis para não perder tempo 

Já pensou na dificuldade que é ter que fazer um reajuste em seu produto e precisar recomeçar tudo do zero, ou ter que repensar toda uma série de adaptações para fazer uma melhoria?

Bob Dorf e Steve Blank explicam que o processo de desenvolvimento de um produto deve ser flexível, para que melhorias e correções sejam executadas com rapidez e agilidade. Afinal, em todos os projetos de nossa vida, estamos sujeitos a cometer erros, e é através dos erros que aprendemos a aprimorar nossas ideias.

Para auxiliar nesse processo existem diversas metodologias ágeis, como SCRUM, LEAN, KANBAN, SMART etc. Dessa forma, estude-as e decida qual melhor se aplica ao seu modelo de negócio.

Durante o processo de desenvolvimento, faça testes em cada etapa, mas não só realize os testes junto às pessoas que integram a equipe de execução do projeto, como também com quem irá, de fato, se beneficiar de seu produto, ou seja, seus futuros consumidores. 

3. Encontrou o produto perfeito? Invista como se não houvesse amanhã 

A “Startup: Manual do Empreendedor” explica que desenvolver seu produto baseado nos feedbacks é uma forma de preservar seu dinheiro enquanto busca um modelo de negócio ideal, ou seja, aquele em que é possível se estabelecer no mercado e aumentar sua escala de modo reprodutível.

Uma vez que tenha encontrado um modelo de negócio viável e sustentável, invista como se sua vida dependesse disso, até porque, seu negócio depende.

Não poupe na hora de investir na sua ideia, uma vez que já tenha passado por todas as etapas de estudo, teste e melhorias!

Bônus: sua ideia pode ser aquela que vai revolucionar o mercado!

Até o grande Jeff Bezos, fundador da Amazon, já iniciou projetos que, no final, acabaram falhando. Mas, algumas dessas falhas geraram, por exemplo, a tão conhecida e amada “Alexa”.

Porém, o que ninguém te conta, é que os gigantes do mundo dos negócios não investem alto em uma ideia logo de início.

É necessário sempre coletar feedbacks de seus futuros consumidores, estudar se seu produto atende às dores dos clientes, entender a posição dos seus concorrentes no mercado e estudar a aceitabilidade de seu produto no ramo.

Então, está esperando o que para dar o pontapé inicial no seu projeto?

Quem sabe sua ideia não é aquela que irá te colocar entre os gigantes!


 Este post foi produzido pela equipe do PocketBook4You, uma plataforma que oferece centenas de resumos de livros dos maiores autores e best-sellers da atualidade, e tem como principal missão levar conhecimento diversificado que se encaixa no dia a dia de cada um dos seus usuários, ao redor do Brasil e do mundo!