Garanta 30% de desconto para sempre em todas as suas mensalidades.

 
dias
 
horas
 
min
 
seg
Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Social selling: veja como impulsionar suas vendas com essa estratégia

Aprenda a utilizar as redes sociais para criar relacionamentos duradouros com seus clientes e assim vender muito mais!

Escrito em 23 de Dezembro de 2021 por Redação iugu

Atualizado em 25 de Fevereiro de 2022

Você já ouviu falar em Social Selling? Ela é, resumidamente, uma estratégia de marketing que utiliza o poder das redes sociais para aumentar as vendas.

Seu modo de funcionamento, no entanto, não é focado em panfletagem ou oferta de produtos, como ocorre em outras estratégias.

Quando falamos de social selling, o objetivo é construir relacionamentos sólidos e duradouros entre consumidores e empresas, de maneira que as vendas sejam uma consequência dessa relação.

Essa estratégia de vendas ganhou ainda mais relevância nos últimos anos, quando as redes sociais se tornaram mais expressivas e assumiram o papel de conectar empresas e consumidores - transformando-se, inclusive, em canais de atendimento para reclamações e elogios.

Segundo dados de uma pesquisa realizada pelo instituto Ipsos, 43% dos consumidores digitais brasileiros fizeram compras pelas redes sociais em 2019.

Além disso, os brasileiros passam, em média, 3h40 minutos por dia nas redes sociais, sendo o Brasil o terceiro país nesse ranking, atrás apenas das Filipinas e da Colômbia. Esse estudo aponta ainda que a população gasta, em média, R$ 466,00 nessas plataformas.

Com tanto poder de fogo nesses canais, nenhum empreendedor deve desperdiçar essa força, certo? Por isso, veja abaixo algumas dicas para aproveitar melhor o social selling.

Crie conteúdo de qualidade

O primeiro passo para conquistar uma audiência relevante - e ter um relacionamento duradouro com ela - é oferecer algo realmente interessante.

Por isso, pense em como você pode agregar na vida dos seus clientes e, principalmente, o que sua empresa tem a oferecer de maneira única. Quais problemas do seu público você pode ajudar a solucionar?

Veja como criar conteúdos de qualidade:

  • Use dados e pesquisas para embasar as publicações;
  • Evite utilizar mensagens apelativas ou de venda com frequência;
  • Replique conhecimento de líderes de mercado;
  • Aposte em conteúdo original e não faça cópias.

Conheça sua audiência

Para oferecer um conteúdo de qualidade - e que chame a atenção do público - primeiro, você precisa saber exatamente com quem está falando.

Para isso, olhe para a sua base de clientes com atenção e faça um mapeamento de suas características, como idade, gênero, profissão, renda, hábitos de consumo, entre outras questões.

Com esse perfil em mãos, fica mais fácil direcionar o conteúdo que você irá criar.

Uma audiência mais jovem exige uma comunicação diferente de um público mais velho, por exemplo. É preciso saber com quem se está falando para adaptar a linguagem e criar o conteúdo correto.

Falar da maneira certa com seu público gera identificação e ajuda a criar um laço de confiança entre marca e consumidores. De acordo com uma pesquisa da Sprout Social, 88% dos consumidores compram de marcas que eles seguem nas redes sociais.

Por isso, é fundamental que haja essa identificação. 

Crie relacionamentos entre pessoas

As redes sociais têm um poder muito forte para criar conexões. No entanto, esse potencial é desperdiçado por empresas que mantém uma postura fria e distante de seus seguidores. 

Quem deseja utilizar o social selling deve aproveitar essa força e criar conexões humanas.

Por isso, humanizar a sua marca é interessante, você pode inclusive pedir para os colaboradores produzirem conteúdo, afinal pessoas se conectam com pessoas. 

Social Selling B2B

O Social Selling também pode ser utilizado muito bem pelas empresas que têm como foco o relacionamento com outras empresas (B2B). Mudando apenas a estratégia nesse tipo de venda.

O conceito principal do social selling, no entanto, continua: deve-se criar conexões humanas nas redes sociais. Uma boa ideia, por exemplo, é posicionar os colaboradores como especialistas nos assuntos conectados à sua organização.

O Linkedin é uma ótima plataforma para esse objetivo!

Esse posicionamento faz com que potenciais compradores, que estão procurando por fornecedores, encontrem conteúdos especializados e passem a confiar na sua empresa como um parceiro qualificado. 

Faça conexões relevantes

Outra boa estratégia pode ser criar uma rede de conexões confiáveis. Segundo um levantamento realizado pelo IDC, 44% dos compradores responsáveis pela contratação de fornecedores procuram por vendedores em sua rede de amigos no Linkedin.

Por isso, é essencial que o representante da empresa na rede social seja bem relacionado.

Uma boa forma de criar esse tipo de networking é participar de grupos que os executivos fazem parte, agregando valor nessas comunidades. Essas atividades vão gerar um ramo de conexões que podem render negócios no futuro.

Como medir o sucesso 

Existem várias formas de medir o sucesso das campanhas de social selling. As métricas mais utilizadas pelo mercado nessa estratégia são Custo de Aquisição de Clientes (CAC), Lifetime Value (LTV) e Taxa de retenção de clientes.

Conheça melhor cada uma delas:

CAC

O Custo de Aquisição de Clientes é o índice que calcula quanto dinheiro a empresa precisou investir para conquistar cada cliente.

Para chegar a esse resultado, é preciso dividir o investimento em marketing, vendas e operações em geral pela quantidade de clientes conquistados. 

O ideal, aqui, é definir um período de tempo, como um mês, para a medição. No caso do CAC baseado em Social Selling, esse valor tende a diminuir com o tempo, já que o relacionamento entre vendedores/empresas e clientes deve se fortalecer no longo prazo.

LTV

O Lifetime Value serve para medir o valor total que um cliente trouxe de retorno para a companhia durante determinado tempo.

No caso de um e-commerce, por exemplo, é possível saber quantas compras os clientes fizeram em um período de tempo e quanto eles gastaram na plataforma.

Um cliente que fez 3 compras durante um ano, de R$100 cada, e nunca mais voltou a comprar, teve um LTV de R$300 em 12 meses. Fazendo uma média em toda base de clientes, é possível saber o LTV médio da sua empresa e traçar estratégias para aumentá-lo. 

Taxa de retenção

A taxa de retenção pode ser calculada analisando a quantidade de clientes que cancelaram um serviço depois de certo tempo de uso - quanto menos usuários saindo ao final de um ano, por exemplo, melhor. 

O Social Selling pode ser um impulsionador dessa métrica, uma vez que relacionamentos fortes criam confiança e podem colaborar para que os clientes continuem utilizando suas ferramentas por mais tempo.

Além do social selling, existem muitas outras estratégias e ferramentas que podem impulsionar o crescimento e melhorar a gestão da sua empresa.

Quer saber mais sobre este tema? Baixe nosso e-book gratuito: 39 ferramentas importantes para gestão, marketing e vendas no e-commerce!

Nova call to action