O que é recorrência para foodtechs e quais suas vantagens?

Escrito em 06 de Maio de 2022 por Redação iugu

Atualizado em 24 de Agosto de 2023

De acordo com dados da Foodtech Report 2022, entre os anos de 2010 e 2021, o mercado investiu mais de US$ 1 bilhão em startups de alimentos. Esses números  mostram que não só é importante ter uma ideia inovadora, como também apostar em métodos que tornem um negócio um diferencial. O que, nesse caso, pode ser a recorrência para foodtechs

O iFood, a maior foodtech de delivery do Brasil, tornou-se uma startup unicórnio em pouquíssimo tempo. Outro nome mais recente que ganhou este título foi a Daki, app de entregas de alimentos em apenas 15 minutos, que apresenta projeções bastante positivas para os próximos anos. 

Se você é um empresário que já tem a sua foodtech ou está pretendendo se inserir nesse mercado, continue lendo o post para entender como esse modelo de cobrança e tornar a sua marca uma referência. 

Está sem tempo para ler? Que tal dar um play?

Afinal, o que é foodtech?

Foodtech” trata-se da união da área da tecnologia com o ramo alimentício, otimizando processos com uso de plataformas digitais. 

Isso pode acontecer em diferentes níveis como, por exemplo, a empresa desenvolver um alimento por meio da biotecnologia. Ou, até mesmo, envolver a criação de um aplicativo para comercializar comida.

As foodtechs mais conhecidas no Brasil trabalham com a venda de comida por meio de apps de entrega - e também com a criação de pratos saudáveis. A Fazenda Futuro é uma dessas iniciativas, que têm desenvolvido opções que simulam carne (apenas com vegetais) para vegetarianos e veganos.

Quais as foodtechs mais famosas do Brasil?

No Brasil, o iFood é a foodtech que mais tem se destacado nos últimos anos. Ele está em primeiro lugar entre as empresas que trabalham com tecnologia junto ao ramo alimentício, e perde somente para o Nubank, que pertence a outro segmento. 

Outras marcas que têm ganhado destaque nesse nicho são o LivUp, Fazenda Futuro e Daki. Elas também trabalham com recorrência para a foodtech, atraindo mais assinantes e otimizando a gestão de cobrança

Como os empresários usam recorrência para foodtechs?

O modelo de recorrência para foodtechs pode ser usado de diferentes formas. O iFood, por exemplo, investe em planos mensais em que o consumidor adquire um pacote com cupons de desconto para serem usados no mês. 

Geralmente, as empresas que apostam na recorrência oferecem planos de assinatura com intuito personalizar a experiência de compra do usuário, de acordo com seus hábitos e rotina. Ou, também, para entregar cupons com maior desconto para compras futuras. 

A criação de planos, descontos e outros benefícios conseguem atrair a atenção de mais consumidores. E podem, inclusive, ajudar a fidelizar o cliente.  

A famosa LivUp, foodtech que trabalha com comidas saudáveis congeladas, é uma das empresas que investe na recorrência. No site da marca é possível assinar planos quinzenais ou mensais, permitindo o acúmulo de pontos para os consumidores trocarem por prêmios. 

Resenha B2B

Quais as vantagens de usar recorrência para foodtechs?

A recorrência para foodtech é uma ótima estratégia para manter o consumidor fiel à marca. Isso, além de diminuir a quantidade de inadimplência e erros internos de cobrança.

Geralmente, os planos de assinatura por recorrência oferecem descontos e facilidades na hora de finalizar a compra. O próprio iFood disponibiliza mais cupons, com valores ainda maiores, quando o usuário opta pela compra de pacotes.

Nesse modelo também é possível cobrar através do Pix ou de boleto, além do cartão de crédito. Podendo, assim, gerar mais caixa para a empresa ao oferecer múltiplos métodos de pagamentos para o consumidor.

A diferença é que, através do cartão, a compra é realizada de forma automática durante o período escolhido do plano ou assinatura. Enquanto pelo Pix e boleto o consumidor ainda precisa ter uma ação para que o pagamento seja realizado.

A recorrência em foodtechs também permite que os empresários foquem em outras atividades importantes. Afinal, o sistema emite as faturas de forma automática, excluindo a necessidade de um ou mais funcionários realizarem esse serviço.

Como funciona a recorrência de pagamentos da iugu?

Para utilizar a recorrência em foodtechs é preciso atrelar à empresa uma plataforma de automação financeira que ofereça o serviço de cobrança recorrente, que é responsável pelo sistema de pagamentos. A iugu é uma das alternativas no mercado, que oferece inúmeras vantagens para o empreendedor. 

Para utilizar a recorrência na iugu, o empresário pode escolher entre utilizar o painel iugu - que faz toda a gestão de cobranças do seu negócio - ou optar por fazer a integração via API, direto no seu sistema. 

Ambas as opções oferecem funcionalidades de gerenciamento, como régua ou ciclos de cobrança personalizáveis, criação de planos e assinaturas, upgrade e downgrade de planos, criação de multas e descontos - e muito mais.

Além disso, através de relatórios que a plataforma oferece, também pode acompanhar a performance financeira da empresa, com base nas cobranças já realizadas.

Vale mencionar que o consumidor também sai beneficiado com a recorrência de pagamentos da iugu.

Ele pode fazer mudanças no seu plano, em poucos cliques, sem precisar contactar a empresa para realizar as modificações. 

Um case de sucesso no ramo de foodtechs, que a iugu acreditou desde o início, foi o AppJusto. Para entender mais sobre como começou essa parceria, clique aqui e conheça toda a história!

Ficou interessado em investir no método de recorrência? Então, aproveite para baixar o nosso ebook completo sobre Recorrência na prática e aprenda as melhores técnicas para impulsionar as suas vendas!

recorrencia-na-pratica

 

Posts relacionados

mãos de gestores em relatórios fazendo controle de inadimplência em edtech