Conteúdo, networking e experiência: confira os principais insights da 2ª edição do iugu Experience

Escrito em 17 de Novembro de 2023 por Lidiane Oliveira

Atualizado em 23 de Maio de 2024

O encontro reuniu grandes executivos do mercado para troca de insights sobre gestão de inadimplência aliado à tecnologia, além de uma deliciosa experiência gastronômica com a chef Izabela Dolabela 

Segundo o Mapa da Inadimplência, levantamento mensal feito pelo Serasa, o mês de setembro de 2023 registrou 71,82 milhões de brasileiros em situação de inadimplência, 83 mil a mais em relação ao mês anterior.

E parte desses dados também se refletem no segmento de educação. Segundo pesquisa da Sponte, a taxa de inadimplência no ensino superior foi de 30,2% em 2022, tendo o maior índice desde 2019. Pegando o recorte da educação privada como um todo, o aumento foi de 17,57% para 19,68% entre dezembro de 2019 e dezembro de 2022. 

Pensando em ações assertivas para combater esse desafio, convidamos Vanessa Takaoka, diretora de Transformação Digital na Ânima Educação, Arsenio Pagliarini Jr, CEO da edunext e Raoni Lapagesse, COO da Lastlink para compartilhar experiências e possíveis alternativas para redução da inadimplência com o apoio da tecnologia. 

Continue lendo o artigo e confira os principais insights! 

Desafios da gestão financeira ligado à inadimplência 

No segmento de educação, a inadimplência acontece de forma involuntária. Isso porque é comum o não pagamento de uma mensalidade ou até mesmo o envio do boleto pela instituição, causando ineficiência no processo de cobrança. 

Quando questionada sobre esse desafio na Ânima Educação, Vanessa defende a digitalização como uma das principais alternativas. Nós acreditamos no poder da digitalização de ponta a ponta, pois nada adianta ter um ótimo ERP se não há um sistema que se comunique bem com o aluno ou candidato”. 

A executiva também reforça a experiência durante toda a jornada. “É fundamental que haja canais de comunicação ágeis para autosserviço e suporte, proporcionando satisfação durante toda a vida acadêmica do aluno”. 

Já para Raoni, COO da Lastlink, plataforma de venda para infoprodutores, a inadimplência surge de outras formas na companhia. “Temos visto uma dor latente dos produtores digitais para acessar outras formas de parcelamento de produtos high ticket. Pensando nisso, têm surgido recursos como o parcelamento inteligente, em que você disponibiliza a parcela mês a mês e não consome o limite do cliente”

Raoni complementa citando o Pix parcelado como outra possibilidade, mas afirma que ambas não são trabalhadas na Lastlink dado os riscos inerentes. “Apesar da demanda latente, não oferecemos nenhuma dessas condições. Falo que ‘deixamos na mesa’ cerca de 30% de volume potencial pela ausência dessas modalidades de pagamento, mas entendemos que não é o momento de entrarmos nessa seara”. 

Para finalizar, o executivo afirma “Enfrentamos vários desafios para fazer a gestão de caixa sem precisar de capital externo, visto que está escasso e muito caro. Então gerenciamos de forma rígida, sempre considerando o que temos de maior controle que, nesse caso, são as despesas.” 

Novos hábitos de consumo como alternativa

Arsenio Pagliarini Jr, CEO da edunext, iniciou sua participação no debate trazendo um contraponto entre a educação tradicional comparada aos dias de hoje. “A Hotmart e outras empresas do nicho trouxeram uma oportunidade para questionarmos o legado do ensino tradicional. Hoje em dia conseguimos encapsular conteúdos de grande valor, sem a necessidade de contar com professores que sejam grandes doutores.”

O executivo prossegue reforçando como o hábito de consumo mudou devido a esse novo movimento. “As pessoas se acostumaram com a explosão de opções educacionais na internet, e passaram a consumir os meios de pagamento e financiamentos de forma que a maioria das licenças do sistema tradicional não oferece.”

Quando questionado a respeito da inadimplência atrelado a nova forma de consumo, Arsenio afirma que esse comportamento também deveria ser visto no ensino tradicional. “Isso vai permitir que mais pessoas tenham acesso de forma mais direta, com meios de pagamento acessíveis e negociáveis, sem ter que levar o boleto na secretaria”. 

O executivo complementa dizendo “Com a LGPD e o Open Banking, por exemplo, temos algoritmos que nos permitem controlar o antes, durante e depois do evento da matrícula. Aproveitar esses dados combinado a tecnologias que nos preparam estratégias de pricing, disponibilizam uma esteira de pagamentos amigável e tenha um acompanhamento tockenizado para soluções personalizadas a cada mensalidade, é o que vai contribuir para combatermos a inadimplência de forma vertiginosa”. 

Meios de pagamento como estratégia de conversão e gestão da inadimplência 

Atualmente, as instituições de ensino conseguem ofertar diversos meios de pagamento para seus alunos e, na Ânima Educação, segundo Vanessa, expandir os métodos de pagamento é a estratégia básica para aquisição de novos alunos e gestão da inadimplência.

Em relação a captação de alunos, Vanessa afirma que “O meio mais estratégico, para ambos os objetivos, é facilitar a entrada do usuário. Na Ânima, inclusive, temos um produto chamado Facilita para que isso aconteça e também trabalhamos com parceiros para atrair um público mais direcionado”. 

Já em relação aos meios de pagamento para combater a inadimplência, Vanessa comprova como o básico bem feito pode responder ao resultado esperado. “A estratégia seria expandir os métodos de pagamento e dar mais opções ao aluno, uma vez que a ausência de um meio preferencial limita o grupo que se deseja atingir. O que temos feito é diversificar os meios de pagamento”. 

Na Lastlink, Raoni compartilha que os meios de pagamento utilizados são o cartão de crédito com 70% de adesão e o restante via Pix. Quando esses dados são cruzados com a assinatura, a inadimplência por Pix ganha e, por essa razão, os infoprodutores preferem que as assinaturas sejam feitas via cartão de crédito para garantir o pagamento.

No entanto, ainda nesse contexto, surge outro impasse para a inadimplência. Raoni relata queO grande desafio para o cartão de crédito é a aprovação do cartão. Ao olhar para os números, serviço que contratamos com a iugu, metade das negativas são por falta de saldo no cartão. A partir disso, buscamos novos meios para a recobrança. 

O executivo continua, compartilhando as ações atuais da companhia. “Nós mantemos o usuário com acesso ao curso, ainda que esteja com a cobrança pendente. Após um mês, caso o pagamento não seja feito, cancelamos a assinatura. Esse processo é 100% automatizado”. 

Reduza a inadimplência com a iugu

A iugu é uma plataforma completa de serviços financeiros para gestão de caixa e automatização dos meios de pagamento. 

Nossas soluções permitem que as empresas façam a gestão financeira em um só lugar, oferecendo diversos meios de pagamento aliado a funcionalidades para redução da inadimplência, como antecipação de recebíveis, réguas de comunicação customizadas, personalização de cobranças e muito mais.

Descubra como as automações da iugu reduziram em até 27% a taxa de inadimplência da Core Soluções, software de gestão para o mercado de clubes. Confira os resultados dessa parceria de sucesso!

Sobre o evento

O iugu eXperience foi criado para fortalecer ainda mais a conexão com os nossos clientes e parceiros, por meio de uma experiência personalizada, proporcionando espaço para troca de conhecimento e networking entre executivos do mercado.

Nessa edição, conectamos grandes players dos segmentos de educação, infoprodutoras e tecnologia para vivenciar uma experiência gastronômica diferente, enquanto descobrem lições valiosas para o tema abordado.

mosaico eventos 2

Posts relacionados

grupo de pessoas discutindo sobre previsibilidade financeira da empresa onde trabalham
mão de homem apontando para notebook e entendendo como escolher o melhor gateway de pagamento