Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica, não sejam MEI e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h às 17h. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Indiquei um cliente pelo programa de Afiliados. Como eu posso consultar minha indicação?

Você pode consultar sua indicação no Painel do Indicador.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Quero ser cliente

Conheça as 6 melhores práticas de gestão financeira para marketplaces

Escrito em 18 de Abril de 2019 por Renato Ribeiro

A gestão financeira é fundamental para o bom andamento de um negócio. Sem ela, uma empresa, por mais bem posicionada que esteja no mercado, corre sérios riscos de sofrer abalos que comprometam o crescimento saudável e sustentável.

Para os marketplaces, controlar as finanças é ainda mais importante, pois as vendas estão conectadas a diversos fornecedores — sellers —, e a distribuição correta do  mantém a confiança e a permanência da parceria.comissionamento

Neste post vamos falar da importância da gestão financeira para as empresas de negócio online. Também vamos disponibilizar dicas com as 6 melhores práticas para marketplaces visando à otimização dos processos e maior confiabilidade corporativa!

O que é a gestão financeira?

O marketplace tem uma atmosfera interativa e conectada a diversas mídias para acompanhar as impressões deixadas pelos consumidores que podem se tornar clientes no futuro. Por isso, o ambiente é dinâmico, com um diálogo leve e sugestivo.

Para que esse universo envolva o consumidor e ofereça uma experiência agradável de compras, por trás age o departamento de finanças. É esse setor que controla e administra todos os recursos empregados para fazer a engrenagem girar.

A gestão financeira é, portanto, a capacidade que uma empresa tem de analisar as contas de entrada e saída. Além disso, vê a necessidade de investimentos ou financiamentos para subsidiar as vendas e garantir o giro do negócio e um bom faturamento.

Com acesso a dados reais das transações e movimento do fluxo de caixa, será mais fácil tomar decisões sobre as políticas de cobrança, por exemplo. O cenário financeiro e as prospecções de vendas, bem como a origem do quantitativo de faturamento, vão dar embasamento para a implantação de novas soluções financeiras.

6 práticas financeiras para marketplaces

1. Definir um orçamento de gastos

Quanto sua empresa pretende gastar em um determinado período? Não só as despesas propriamente ditas devem ser alvo de análise: aquilo que ainda não foi realizado, mas que pode ser previsto, deve ocupar um lugar preventivo.

Há despesas com a compra de mercadorias — taxas e tarifas — que devem compor a precificação do produto para não surpreender na hora de fechar a conta e avaliar o saldo do resultado. Conhecendo a média de gastos, dá para saber se o caixa comporta qualquer oscilação futura.

2. Fazer o controle de fluxo de caixa diariamente

É muito fácil perder o controle financeiro se não houver acompanhamento diário de entrada e saída do dinheiro. Os títulos a pagar e a receber são o termômetro da gestão. Outro fator importante é ter o fluxo de caixa em dia, beneficiando a conciliação financeira.

3. Definir e mensurar os indicadores de performance constantemente

Se o que você deseja medir impacta a gestão financeira, proponha a todo o time uma reestruturação dos valores e ressignificação do negócio. Dessa maneira, é possível enxergar possibilidades de expansão ou estratégias de aumento das vendas.

Alguns indicadores são indispensáveis para a avaliação do desempenho e do posicionamento mercadológico do marketplace! Veja quais são:

Ticket médio

Quanto o cliente desembolsa, em média, no site da loja e quais produtos ele mais consome.

Custo de aquisição de clientes (CAC)

Qual foi o investimento empregado para encantar e fidelizar o cliente? As ações de marketing, as despesas com material gráfico promocional e até mesmo brindes devem ser avaliados pela métrica.

Reclamações no SAC

O volume de reclamações dita o tom da preocupação sobre o número de clientes insatisfeitos com o seu negócio. O indicador serve para estabelecer critérios de retorno quanto às providências tomadas.

Itens mais vendidos

Como o marketplace atua com diversos fornecedores e uma gama de produtos, saber quais são os itens mais vendidos permite melhor negociação de compra e maior investimento em divulgação de venda.

Retorno de investimento

Procure saber o prazo de retorno de investimentos e prospecte a recuperação em médio e longo prazo, sem deixar de trabalhar no presente para sanar de vez as dívidas.

Grau de satisfação do cliente

Pode ser que o cliente reclame, mas pode ser que ele seja só elogios. Clientes virtuais tendem a usar a web para desabafar sobre algo que o desagrade ou tecer elogios quando for bem atendido.

Precificação

Quanto vale os produtos que sua loja comercializa? Para muitos produtos, o mercado estabelece um preço tabelado, mas para outros é possível precificar pautando nas análises internas.

Taxa de conversão

Compare o total de vendas com o total de visitas no marketplace e você terá um percentual aproximado da taxa de conversão. É uma métrica importante para segmentar o próprio site e sugestionar a compra do cliente.

4. Utilizar as ferramentas de gestão adequadas

Podemos chamar de ferramentas de gestão um bom sistema que produza informações parametrizadas sobre a performance do negócio. Dá para imaginar a facilidade do cruzamento das informações extraídas das métricas para entender melhor o cenário.

As plataformas de pagamento online, além de favorecer a compra do cliente, dispõem de recursos para gerar relatórios diversos e soluções práticas para otimizar os processos de gestão financeira.

A integração sistêmica por meio da API é ponto alto em marketplaces, e não só facilita a execução diária de atividades, como melhora a comunicação entre os times e reduz a margem de falhas humanas. Uma boa ferramenta pode ser responsável por pequenas e eficientes ações:

5. Evitar o atraso para pagamento de fornecedores e tributos

Os acordos comerciais precisam ser honrados para se manter saudáveis e permanentes. Independentemente da queda no volume de vendas e do baixo fluxo de caixa, manter as contas e os tributos em dia é sinônimo de responsabilidade e respeito.

Muitas empresas deixam de existir no primeiro triênio por conta da análise equivocada das finanças e da crença que a entrada de dinheiro no caixa significa lucratividade. Os gestores podem gastar um valor destinado a outras contas e depois ter dificuldades para repor o caixa.

Primeiro será preciso pagar todas as dívidas — despesas como folha pagamento, água, luz, telefone, manutenção de estrutura, parcelas de financiamentos e empréstimos, fornecedores, etc., — para só depois pensar em lucro.

6. Melhorar a negociação de prazos com os fornecedores

A maioria dos consumidores brasileiros atua sob o regime CLT e recebe o salário em data próxima ao quinto dia útil, por isso agendam o pagamento das suas contas para o mesmo período.

Observe o período em que há maior movimento em sua loja e se os pagamentos obedecem a um padrão de data, para saber em que momento do mês o saldo do fluxo de caixa estará plenamente positivo.

Assim será possível criar a possibilidade de negociação com os fornecedores, ampliando a capacidade de compra e o aumento nos prazos de pagamento. Negociar prazo ajuda a planejar melhor as vendas do seu marketplace.

A gestão financeira é o elo entre a empresa, o cliente e o fornecedor, perpassando as equipes que atuam de forma integrada. Só será possível obter um bom resultado se utilizar todos os recursos — humanos, de automação e de processos.

Se você gostou deste post com as 6 melhores práticas em gestão financeira para marketplaces, curta a nossa página no Facebook para acompanhar todas as nossas postagens e ficar ainda mais por dentro desse e de outros assuntos!