Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

6 dicas essenciais para fazer a gestão financeira da sua loja virtual

Escrito em 26 de Setembro de 2019 por Marcos Madureira

Atualizado em 02 de Fevereiro de 2021

A gestão financeira é um desafio para qualquer empresa e segmento, mas, em um e-commerce, o controle e o acompanhamento diário são fundamentais para garantir a excelência no atendimento ao cliente e manter a rentabilidade do negócio.

A previsibilidade financeira de uma loja virtual é diferente de uma loja física pois, nessa última, o vendedor tem a chance de reverter um possível quadro de desistência aplicando técnicas de convencimento no atendimento corpo a corpo.

Neste post falamos sobre a importância da gestão financeira para um e-commerce e trazemos 6 dicas sobre como cuidar das finanças para manter a rentabilidade da loja virtual e, consequentemente, o lucro!

Importância da boa gestão financeira para o sucesso de um e-commerce

A missão da gestão financeira é manter o equilíbrio entre receitas e despesas, gerenciando as contas que estão relacionadas às compras, ao estoque ativo e parado, às vendas e ao custo sobre cada uma delas.

Os números não mentem, mas uma gestão inadequada é capaz de gerar resultados equivocados, que culminam em decisões arriscadas — reposição indevida de estoque, ações promocionais que ao final geram prejuízo, entre outras.

Se as atividades financeiras forem executadas manualmente, o risco de erros e falhas processuais é ainda maior. O ideal é contar com um sistema de gestão integrado por API que canalize todas as informações para um só ambiente e forneça informações fidedignas.

6 dicas importantes para uma gestão financeira confiável e transparente

Para melhorar ainda mais os resultados do seu e-commerce e otimizar os processos da gestão financeira, elaboramos 6 dicas que vão direcionar o trabalho da equipe e estimular o controle de modo geral.

1.Planejamento constante

O planejamento é como um mantra — deve ser repetido e repassado inúmeras vezes para que os erros não ocorram e permitam que o negócio cresça saudável e livre de variações numéricas com saldo negativo.

É a primeira estratégia a ser pensada quando um negócio está prestes a ser inaugurado, mas se você saltou essa etapa ou elaborou um planejamento que permitiu falhas, revise todo o passo a passo para recuperar as finanças do seu negócio.

Planejar é importante, pois, direciona não só as atividades, mas o comportamento da equipe sobre o que a empresa deseja alcançar, além de ampliar os horizontes e apresentar um cenário mais completo que embase as decisões de investimento.

Como o ambiente de vendas virtuais é uma caixinha de surpresas, quanto mais atual e completo for o planejamento, maiores as chances de o e-commerce atravessar qualquer período de oscilação econômica, de forma mais consciente e fortalecida.

Dentro do planejamento é importante conter informações sobre o tipo de negócio, o público-alvo, a previsão de vendas e gestão do estoque e os custos. Para isso, você vai precisar de números e indicadores.

Apenas visualizar o dinheiro em caixa e pagar as contas em dia não é o suficiente para determinar se o seu e-commerce está no caminho certo. Utilize alguns indicadores para ajudar a planejar melhor em médio e longo prazo.

  • ROI – retorno do investimento;
  • taxas de chargeback;
  • ticket médio;
  • taxa de conversão;
  • volume de inadimplência;
  • CAC – Custo por aquisição do cliente;
  • abandono do carrinho.

Os dados filtrados são fontes reais de informação e requerem muito cuidado ao serem inseridos para não produzir conteúdo que não reflita a realidade do e-commerce. Alimentar planilhas e sistemas, além de revisar o planejamento de periodicamente sinônimo de controle e maturidade da gestão.

2.Controle de custos

Você sabe ao certo quanto custa manter um produto no estoque ou enviá-lo a um cliente? É possível afirmar que o preço de vendas está cobrindo as despesas, os custos e ainda produzindo lucro?

Por mais que o negócio apresente boa rentabilidade, sempre verifique e compare os custos para assegurar um controle efetivo. Quanto menor o custo de um produto, maior a receita sobre a venda.

3.Monitoramento de estoque

O estoque existe para garantir que o consumidor receba seu produto no endereço e prazo determinado no ato da compra, ou seja, para atender às demandas que surgem a partir das compras realizadas no ambiente virtual da loja.

O monitoramento deve existir para equilibrar o estoque, levando em conta os produtos com maior volume de vendas, o armazenamento, a logística interna e externa, o estoque parado, entre outros.

Todos esses aspectos impactam e comprometem o orçamento, por isso, quanto maior o controle, mais enxuto será o estoque e você terá uma estratégia de reposição e vendas sem surpresas ou riscos de transtornos para os clientes.

4.Manutenção da adimplência

Como seu e-commerce atua com vendas é possível dimensionar o quanto a inadimplência pode afetar as finanças de uma empresa. Não é fácil manter um negócio com saúde financeira se houver um percentual alto de títulos não quitados.

Visualizando esse cenário devastador, procure manter as contas do seu e-commerce em dia. Primeiro, pague todas as dívidas e só depois pense no lucro — além de manter as portas abertas com fornecedores e parceiros, você evitará grandes problemas no futuro.

5.Emissão de relatórios

Por incrível que pareça, você não precisa de uma infinidade de relatórios para manter o controle financeiro do seu e-commerce. As informações mais importantes devem estar essencialmente atreladas à entrada e saída de dinheiro da sua loja.

A produção de relatórios grandes e repletos de informações desencontradas não é mais uma prática saudável, por isso, o ideal é gerar informações que reflitam o exato cenário de finanças da loja.

Lembra-se dos indicadores que falamos no início deste post? Eles são um canal de informação e vão municiar a gestão de resultados reais, mas, para isso, não se esqueça de que é fundamental alimentar as planilhas ou sistema com as informações verdadeiras.

6.Contratação de uma plataforma de gestão de pagamentos e receitas

Se você deseja profissionalizar o seu e-commerce, mas ainda não aderiu a um bom sistema de automação, que contemple a concentração dos dados e o fornecimento de informações confiáveis chegou a hora de repensar os rumos do seu negócio.

Uma boa plataforma de gestão vai proporcionar a você e sua equipe uma segurança maior quanto aos recebimentos por diversos meios de pagamento — cartão de créditoboleto bancário, débito em conta — e realizar a conciliação financeira automática.

Growth hacking para e-commerces

Talvez você não tenha ainda ouvido falar sobre esse termo e ele não tem uma tradução específica, mas podemos entender growth hacking como uma forma de encontrar gatilhos e oportunidades para incentivar e acelerar o crescimento do negócio.

São técnicas que, quando aplicadas de forma consciente e planejada, ajudam na escalabilidade e consolidação da marca no mercado. Algumas ações de marketing diferenciadas podem ter um efeito positivo e alavancar as vendas em pouco tempo.

Encontre as que melhor se aplicam ao seu tipo de negócio e implemente o que ofereça ao cliente um serviço diferenciado e inovador — certamente o aumento e a celeridade das vendas vai apresentar eficiência na gestão financeira.

Curtiu este post? As oportunidades existem e você já está em busca delas, por isso utilizar um sistema de gestão financeira é o melhor caminho para um e-commerce crescer alicerçado. Entre em contato com a gente para conhecer nossa solução e todos os serviços agregados a ela!