Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Community Commerce: o que é e como impacta o e-commerce?

Bastante popular no TikTok, a estratégia já impacta os hábitos de consumo, sobretudo da Geração Z

Escrito em 10 de Agosto de 2022 por Thainara Carvalho

Atualizado em 30 de Agosto de 2022

De maquiagem a itens para casa, as redes sociais têm o poder de "viralizar" produtos e fazê-los esgotar em pouco tempo. A trend TikTok Made Me Buy It, ou "TikTok Me Fez Comprar", por exemplo, já tem 18,6 bilhões de visualizações mundialmente, e revela o poder do Community Commerce.

Para se ter uma ideia da relevância da estratégia - e de como o TikTok é uma ferramenta poderosa para marcas e empresas -, apenas em 2021, os usuários da plataforma gastaram R$ 2,3 bilhões no app, de acordo com dados da Sensor Data.

Mas o que é Community Commerce? Quais são as vantagens dessa estratégia e como utilizá-la a favor do seu negócio? É isso que veremos no post de hoje. Continue a leitura e saiba mais.

Que tal ouvir esse conteúdo?

O que é Community Commerce?

Também caracterizada como uma extensão do Social Commerce, o Community Commerce, ou e-commerce comunitário, em tradução livre, é uma forma de comércio que acontece nas redes sociais – especialmente no TikTok –, e utiliza o famoso marketing boca a boca orientado pelo criador de conteúdo.

Em outras palavras, o Community Commerce é caracterizado pela criação de conteúdo divertido, orgânico e autêntico, que apresenta produtos e marcas a uma comunidade específica.

A partir dessa abordagem, as pessoas passam a criar conteúdo para uma marca ao invés de simplesmente falar sobre ela.

Dessa forma, é possível construir conexões mais profundas com os consumidores a partir dos criadores e das suas comunidades. 

TikTok e Community Commerce: entenda a relação

O Community Commerce não nasceu no TikTok, mas o popular app tem bastante influência no sucesso dessa estratégia.

A plataforma consolidou a sua popularidade em 2020, e passou a ser amplamente utilizada com a chegada da pandemia de Covid-19. De acordo com uma pesquisa da Opinion Box, 72% afirmaram que passaram a utilizar mais o TikTok durante o isolamento social.

Esse tipo de comércio também decolou no início de 2020 com o boom dos cargos de construção de comunidades, mas ganhou maior reconhecimento depois que o TikTok anunciou seu relatório e novos insights sobre community commerce e “Como as plataformas sociais influenciam as decisões de compra”.

A pandemia também foi diretamente responsável por uma drástica mudança nos hábitos de consumo. Segundo um levantamento da SmartHint, os cinco primeiros meses deste ano apresentaram um aumento no faturamento do e-commerce de 785% em relação ao período pré-pandêmico.

O crescimento do e-commerce no período é explicado, entre outros motivos, pela ascensão do social-commerce e as compras em mídias sociais, como o Instagram e o próprio TikTok. 

Segundo dados da plataforma, 25% dos usuários buscam ou compram um produto na internet imediatamente depois de vê-lo no aplicativo.

Diante dessas informações, é possível entender a influência do TikTok para o Community Commerce. 

Devido a sua popularidade e a recursos específicos, o aplicativo consegue potencializar a estratégia de e-commerce comunitário unindo criadores e marcas que querem se destacar e fazer algo novo. 

A importância do Community Commerce para os negócios

Em um cenário de extrema competitividade e constantes inovações, é preciso ir além para se destacar e se conectar com o público.

Nesse sentido, a estratégia do Community Commerce se destaca por permitir que marcas e empresas de diferentes segmentos explorem novas oportunidades de vendas.

Isso porque, ao se infiltrar em  comunidades específicas, as marcas conseguem engajar audiências e oferecer uma troca de valor com os consumidores, colocando-os no centro da história. 

Um estudo do TikTok, em parceria com a Publicis e a WAR, revelou que 80% dos usuários dizem que a plataforma os ajuda a conhecer marcas e produtos que nunca viram antes, e esse benefício extra está acelerando a migração de consumidores online.

Além disso, o levantamento mostrou que mais de 70% dos consumidores afirmaram que as mídias sociais os inspiraram a comprar, mesmo que de forma não planejada.

É aqui que o poder do  do Community Commerce entra em cena, uma vez que ele é uma nova versão do boca-a-boca. 

A partir dele, sentimentos de pertencimento, compartilhamento de informações e demanda por um produto são estimulados pela influência da comunidade, aumentando o engajamento e fornecendo prova social de uma forma que estimula a tomada de decisões. 

Logo,  a construção de um senso de comunidade em torno de um negócio possibilita a abertura para um público muito mais amplo e comprometido com a marca, o que gera mais confiança e, automaticamente, mais vantagens competitivas a empresa

Como utilizar o Community Commerce na sua empresa?

Mas como isso funciona para marcas?

Segundo Danielle Crahim, Industry Lead Performance do TikTok, durante sua palestra no Fórum E-Commerce Brasil 2022, a resposta está em fazer conteúdo de forma inovadora, rasgando os protocolos. “No community commerce a gente promove o casamento entre marcas e criadores, elevando o conteúdo a um próximo nível, no qual as pessoas não vão apenas falar da sua marca, mas criar conteúdo para ela”, diz ela.

Na prática, funciona mais ou menos assim:

  • Spark: Um creator ou marca faz um conteúdo com um produto;
  • Share: Outros TikTokers veem o conteúdo e participam da conversa;
  • Spike: Entusiasmo aumenta em torno do produto da marca e as vendas aumentam;
  • Sustain: A marca continua a engajar com a audiência do TikTok.

Agora que você já sabe o que é Community Commerce e como ele impacta os negócios, é hora de descobrir como implementar a estratégia de vendas na sua empresa. Confira!

1. Autenticidade é a alma do negócio

O Community Commerce funciona a partir do sentimento mútuo de pertencimento e conexão emocional entre consumidores e marcas.

Ao combinar elementos como a conexão e conteúdo autêntico, você pode inspirar a descoberta de produtos mais orgânicos, exclusivos, e influenciar a tomada de decisão.

2. Aposte no poder do entretenimento

Assim como a autenticidade, o entretenimento tem o poder de engajar os consumidores e conectá-los à sua marca. 

Em plataformas como o TikTok, isso é ainda mais relevante, já que os usuários não querem ver anúncios enquanto navegam pelo app.

Em vez disso, os consumidores querem experiências únicas e descobrir conteúdos criativos – que podem conter produtos ou marcas –, desde que seja divertido. 

3. Invista em User-Generated Content

O User-Generated Content, ou Conteúdo Gerado pelo Usuário, em português, é qualquer tipo de mídia que um usuário ou consumidor produz de forma espontânea para uma empresa.

Além de aumentar a autenticidade, esse tipo de estratégia permite a criação de novas comunidades e defensores da marca.

Dicas de Danielle Crahim para TikTok

Para ter sucesso no TikTok, não existe fórmula pronta. Mas a especialista aponta que um bom caminho é ficar ligado nas trends e aproveitar ferramentas que a própria plataforma oferece no Creative Center, onde mostra quais são as hashtags mais interessantes, as músicas que estão bombando e os creators brasileiros que viralizaram.

A chave é seguir princípios criativos que garantam o sucesso das ativações, como manter a autenticidade e honestidade do conteúdo; estar conectado com as tendências; usar linguagens nativas para ser sempre natural; e explorar para gerar um conteúdo divertido e interessante.

iugu: tecnologia que impulsiona o seu negócio

Como vimos ao longo do texto, o Community Commerce veio para ficar, e já causa grandes transformações no e-commerce e nos hábitos de compras dos consumidores.

E para estar sempre à frente das principais tendências de consumo e garantir uma vantagem competitiva, é fundamental apostar em atualizações constantes. 

Então, que tal aprofundar os conhecimentos? Baixe gratuitamente o E-book Do Crédito à Cripto: o papel do varejo na digitalização financeira do consumidor e fique por dentro da digitalização do varejo.

 

Nova call to action