Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Conheça 6 maneiras para reduzir impostos em sua empresa

Escrito em 01 de Junho de 2020 por Renato Ribeiro

Atualizado em 15 de Dezembro de 2020

Opa! Vai dizer que é possível fazer isso sem ser chamado por aí de corrupto? Sim, é exatamente isso que estou querendo mostrar ao trazer para você 6 dicas para reduzir impostos.

Afinal, o Brasil é o país com a maior alíquota de tributos cobrados de empresas no mundo. Essa é uma triste realidade para quem quer começar o próprio negócio — e também para quem já está no mercado há um bom tempo.

Bom, mas se não dá para vencê-los, junte-se a eles, não é o que dizem? A ideia é que, se não dá para fugir do problema, possamos estudar maneiras de reduzir impostos para que esse impacto não seja tão grande.

Neste post, vou apresentar algumas maneiras de reduzir a cobrança de taxas da sua empresa, mantendo as obrigações em dia e sem sonegar. Quer saber como? Continue a leitura!

Como gastar menos com a minha empresa? Milagre?

Calma, não é nenhum milagre nem será preciso tirar um coelho da cartola. Sim, é possível fazer esse reajuste sem precisar mexer no fornecedor ou, até mesmo, reduzir a qualidade dos produtos ou serviços que você oferece.

Embora nosso país tenha uma alta taxa de tributação, também conta com diversos regimes e ajustes que podem ser feitos para que o seu negócio consiga melhores condições. E isso é feito dentro da lei, sem nenhum problema futuro.

O grande segredo é que essas cobranças são cheias de nuances e detalhes, que muitas vezes, passam despercebidos dos empresários. A solução para isso é contar com a ajuda de um excelente contador, que conheça bem os regimes de tributação e possa oferecer opções.

Estou gostando da ideia! Como fazer essa redução?

Bom, para começar o processo, trouxe aqui algumas dicas que vão ajudar você a readequar a sua empresa e pagar menos impostos.

1. Contar com um bom planejamento tributário

O planejamento tributário pode fazer toda a diferença na hora de prestar contas ao leão. Considerando a expectativa de faturamento, as despesas operacionais e a margem de lucro, é possível encaixar a empresa em um enquadramento que fique menos oneroso.

Desse jeito, você mantém a prestação de contas dentro do que é estipulado por lei, mas consegue pagar menos impostos para realizar a mesma atividade.

2. Ajustar a empresa adequadamente

Ainda dentro do planejamento tributário, há várias possibilidades de enquadramento fiscal vigentes. Basta, com a ajuda de um contador, entender qual é a mais adequada e barata para o seu negócio. Basicamente, são três regimes de tributação possíveis.

Simples Nacional

Indicado para empresas pequenas, o enquadramento pelo Simples Nacional prevê uma alíquota menor de impostos, pagos com apenas uma guia conhecida como DAS. Além de mais barato, é mais fácil — o que justifica esse nome.

As empresas no Simples Nacional podem ter um faturamento de no máximo R$3,6 milhões por ano. Se começar a faturar um valor maior, precisa ser enquadrada em outra categoria de arrecadação.

Lucro Presumido

A margem de lucro para empresas que contribuem pelo Lucro Presumido já é determinada por lei. Nesse caso, os impostos cobrados são o Imposto de Renda Pessoa Jurídica e a Contribuição Social sobre Lucro Líquido, calculados sobre a parcela compreendida como lucro pela legislação.

Lucro Real

Organizações enquadradas no Lucro Real têm os impostos cobrados sobre o valor de lucro, e não de faturamento. Dependendo da parcela de lucro e da atividade exercida, pode ser um regime mais vantajoso.

3. Ter uma rotina fiscal bem organizada

Para reduzir ao máximo o pagamento de tributos, é importante que toda a papelada da sua empresa esteja muito bem organizada. As guias de recolhimento, as notas fiscais de entrada e saída, as autorizações, tudo deve estar regularizado e de fácil consulta.

Atrasos ou irregularidades podem levar a multas, algumas até bem salgadas. Além disso, com tudo organizado, você evita pagar impostos em duplicidade.

4. Preste atenção aos benefícios fiscais

Os empresários que fizerem investimentos em determinados setores ou participarem de programas do governo contam com a isenção ou a diminuição de alguns impostos. Pode valer a pena destinar parte da verba para participar de ações que tenham ligação com o ramo da sua empresa e até apoiar algumas iniciativas.

Só é importante tomar cuidado para checar se o seu negócio pode aderir a esses benefícios, já que eles estão destinados apenas a alguns regimes de tributação.

5. Reduza o pró-labore

Como assim? Vou ganhar menos? Calma! O pró-labore é uma espécie de “salário” que o empreendedor tira todo mês do rendimento da sua empresa. Claro que é importante que você tenha o seu valor fixo todos os meses para manter a sua vida e pagar as contas.

Mas tem uma grande sacada que pode fazer toda a diferença no quanto a sua empresa paga de imposto: sobre o valor do pró-labore, há cobrança do Imposto de Renda e da contribuição previdenciária.

A melhor maneira de driblar isso é reduzir o pró-labore para que a contribuição seja menor. Você pode compensar esse valor aumentando a divisão de lucros. Isso é completamente viável e legal. Converse com o seu contador e avalie as possibilidades para reduzir a incidência de impostos sobre o seu dinheiro.

6. Terceirize algumas atividades

Algumas atividades não essenciais podem estar onerando o seu caixa. Elas podem ser terceirizadas para que você não precise contratar tantas pessoas. Talvez você consiga até um nível de qualidade maior nessas tarefas.

Entre os serviços que podem ser terceirizados são a contabilidade, a limpeza e manutenção do espaço, a parte jurídica da empresa, apenas para citar alguns. Com essa mudança, já é possível fazer uma boa economia nos custos que envolvem as contratações.

Dica bônus: adote as soluções disponíveis no mercado

A tecnologia ajuda vários aspectos da nossa vida e na gestão da empresa. Isso vale também na hora de diminuir ao máximo a cobrança de impostos.

Com a solução da iugu, é possível fazer cobranças, emitir e cancelar boletos gratuitamente, diminuindo as taxas que o seu negócio precisa arcar para lidar com algo tão essencial, como o meio de pagamento dos seus clientes.

Além disso, oferece alguns serviços para que você não precise contratar uma equipe só para cuidar desse processo. Um deles é a integração de plataformas de pagamento e, até mesmo, o envio de emails já programado com alertas sobre atraso na fatura. Uma mão na roda, certo?

Trouxe aqui 6 dicas e mais uma especial para você reduzir impostos da sua empresa e conseguir aproveitar melhor o lucro. Agora, é só fazer o seu negócio crescer e começar a ver o seu patrimônio pessoal ficar ainda maior.

Quer saber como a iugu pode ajudar? Entre em contato e conheça essa solução de perto!