Metacommerce: o que é e como impacta o comércio eletrônico?

Escrito em 16 de Setembro de 2022 por Maria Carolina Rosa

Atualizado em 24 de Agosto de 2023

Imagine que você está passeando pela rua, encontra sua loja favorita e decide fazer algumas compras. No entanto, nenhuma dessas atividades acontece na vida real. Essa é a proposta do metacommerce.

Desde que ganhou os holofotes, o metaverso vem atraindo a atenção de empresas ao redor do mundo, que têm criado diferentes experiências e serviços com a ajuda da tecnologia emergente.

Diante disso, a expectativa é que o e-commerce como conhecemos hoje seja profundamente impactado.

Marcas de luxo, como Gucci e Tommy Hilfinger já investem em coleções, lojas e desfiles na plataforma 3D hiper-realista, abrindo o caminho para que cada vez mais negócios mergulhem profundamente nesse novo universo.

Continue a leitura e saiba mais sobre o que é metacommerce e como ele impacta o comércio eletrônico.

Que tal ouvir esse conteúdo?

Afinal, o que é o metacommerce?

Como o nome sugere, o metacommerce é uma plataforma de comércio proveniente do metaverso – espaço virtual 3D e hiper-realista que funciona como uma extensão do mundo real. 

Devido ao seu caráter disruptivo, há uma grande expectativa sobre os impactos da tecnologia em diferentes âmbitos da sociedade. 

Afinal, o metaverso é um espaço onde usuários podem fazer compras, cultivar relacionamentos, trabalhar e ter momentos de lazer como se estivessem, de fato, na vida real.

E todo esse potencial criativo, é claro, já está na mira das maiores companhias no mundo, que veem nele uma oportunidade de proporcionar experiências lúdicas e imersivas, aumentar as vendas e desenvolver relações ainda mais próximas com os consumidores.

Metacommerce e o varejo: por que as grandes empresas já estão no metaverso?

Como mencionamos logo acima, não é de hoje que as maiores companhias do mundo investem no metacommerce. 

Empresas e marcas famosas, como Adidas, Microsoft, Renner e Gucci são só alguns exemplos de negócios que investiram em um comércio no metaverso

No Brasil, o Boticário e a Havaianas inauguraram suas lojas no Fortnite (jogo baseado no metaverso).

A Lojas Americanas, uma das maiores varejistas do país, também entrou na onda e anunciou sua entrada no metacommerce inaugurando sua loja no MetaEXP – baseado no jogo Grand Theft Auto V (GTA).

A partir de agora, mais de 2 mil pessoas ativas poderão visitar a loja online da Americanas no mapa do jogo.

E a aposta nesse novo universo e suas infinitas possibilidades tem um motivo. 

De acordo com um relatório da empresa Morgan Stanley, estima-se que se essas empresas conseguirem se estabelecer neste ambiente, as vendas em plataformas 3D podem somar 10% às receitas das grifes de luxo até 2030, o que representa € 50 bilhões.

Um novo comércio eletrônico?

Apesar de ter sofrido grandes transformações nos últimos 10 anos, o e-commerce ainda enfrenta alguns desafios diante das tecnologias mais disruptivas: de forma geral, as experiências de compra online tendem a ser pouco interativas ou fluidas

Com isso, e-commerce tem parecido cada vez mais ultrapassado para as gerações Z ou Alpha, que são consideradas “app first”, ou seja, preferem ter contato com produtos ou serviços em aplicativos móveis.

O metacommerce, por sua vez, responde aos anseios da geração mais nova com uma proposta de consumo totalmente imersiva e alinhada aos seus ideais. 

Para além de produtos e serviços diversificados, os usuários podem comprar uma roupa no metaverso e recebê-la em casa. Ou, ainda, viajarem para outro país sem precisar sair do lugar. 

Sem dúvidas, estamos diante de uma transformação que irá impactar profundamente o e-commerce como o conhecemos hoje. 

Essa mudança, é claro, representa um verdadeiro oceano de oportunidades para empresas de diferentes segmentos. 

As pessoas – em especial as novas gerações - devem seguir cada vez mais para o mundo phygital, procurando essas novas tecnologias e experiências. 

Dessa forma, as empresas que querem continuar se relacionando com o seu público precisam abraçar as novas tecnologias e proporcionar experiências que saiam do lugar comum. 

Quais são os desafios do metacommerce?

Não há dúvidas de que o metacommerce representa um enorme salto para o comércio eletrônico, impactando positivamente as empresas que permanecem à frente de inovações e tecnologias. 

No entanto, o metacommerce ainda possui desafios pela frente, como, por exemplo:

  • Altos custos dos recursos necessários para acessar o metaverso, como óculos de VA/VR e controles, tornando o metaverso inacessível para boa parte da população; 

  • As limitações da tecnologia, usabilidade e conhecimento dos usuários;

  • Regulação do metaverso e fiscalização dos usuários;

  • Formalização de negócios.

Sendo assim, a expectativa é que ele só estará totalmente disponível em cinco anos. Afinal, trata-se de um terreno pouco conhecido e completamente diferente daquilo que conhecemos hoje.

Prepare-se para o futuro do seu negócio

Ao longo do artigo, vimos que o metacommerce promete alterar completamente a forma como fazemos compras online.

E diante de um cenário com inovações surgindo a todo mundo, a sua empresa precisa estar preparada e se munir com as melhores ferramentas. Afinal, o futuro já está aqui.

Então, baixe agora o mesmo o seu Kit de Inovação Financeira e conheça as principais tecnologias de pagamento que podem alavancar o seu negócio.

Banner material inovação financeira para SuperApps

 

Posts relacionados