Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

Por que usar influenciadores digitais no live commerce?

Criar conexão sem interromper é um dos principais desafios das marcas atualmente. Veja como fazer isso utilizando a estratégia do live commerce!

Escrito em 01 de Novembro de 2021 por Parceiro iugu

Hoje, um dos principais desafios das marcas é entreter sem interromper e, assim, criar a tão sonhada conexão com o consumidor que está em busca de experiências novas e envolventes. No texto de hoje, falaremos sobre o por que usar influenciadores digitais no live commerce. 

Esse é um novo formato de venda on-line que faz com que a marca consiga entregar uma interação humana que muitos sentem falta ou até preferem.

Aqui no Brasil, ainda não existem dados concretos das vendas no live commerce, já que esses números se misturam com os dados do e-commerce. 

Mas diversas marcas já apostam nesse tipo de comunicação para vender mais, como: a Americanas, Riachuelo, Magazine Luiza e Dengo Chocolates. Além de influenciadores e das diversas lojas online que investem no modelo pelas redes sociais.

Para entendermos melhor o por que usar influenciadores digitais no live commerce, vamos falar sobre o conceito desse formato.

O que é o Live Commerce?

O Live Commerce é um tipo de estratégia de vendas para divulgação de produtos e serviços realizados no ambiente online. Esse formato integra transmissões ao vivo (lives) atrelado aos objetivos de um e-commerce tradicional. 

O objetivo dessas lives é esclarecer as dúvidas da audiência em relação a determinado produto e/ou serviço, aumentar a confiança e credibilidade da marca, e elevar significativamente as possibilidades de venda.

Tendo isso em vista, muitas empresas começaram a usar influenciadores digitais no live commerce para impulsionar seus negócios.

Motivos de usar influenciadores digitais no Live Commerce

Assim como nas redes sociais, hoje os consumidores preferem uma recomendação de um influenciador conhecido, que em tese, tem credibilidade para influenciá-lo no processo de compra. 

Por isso, selecionamos motivos do por que você pode investir em influenciadores digitais no live commerce, confere aqui:

  • Os influenciadores conseguem aumentar a audiência da marca;
  • Ocorre interação e o afeto com o público;
  • A propaganda da sua marca é feita de forma imersiva, mas ao mesmo tempo orgânica;
  • Aumento das vendas do empreendimento, visto que suas recomendações têm um grande peso na decisão de compra dos consumidores;
  • Trás o cliente para perto sem que ele se canse do conteúdo, e claro fazendo ele comprar;
  • Além do retorno financeiro, esse tipo de ação interfere diretamente na percepção de posicionamento da marca. 

Para isso, é preciso identificar um influenciador comunicativo, conectado com sua marca e o seu público-alvo, dando assim, uma oportunidade para sua equipe observar e aprender de que forma os consumidores se comportam nessa mídia;

De onde vem o conceito do Live Commerce com influenciadores digitais

O modelo foi importado da China, berço do live commerce, e hoje conta com influenciadores que vendem bilhões por mês.

Entre eles, os mais famosos são a Viya e o Austin Li, com resultados surpreendentes como o de setembro de 2020, onde juntos eles arrecadaram cerca de R$ 3,2 bilhões (respectivamente R$ 2,2 bi e R$ 1,09 bi). Número que vem se repetindo conforme os meses.

Com usar influenciadores digitais no Live Commerce

Assim como em uma campanha publicitária, é preciso ter uma organização de como realizar a live commerce com um ou mais influenciadores, pois muitos deles nunca fizeram ativações antes e sua marca deve ter muito cuidado com os passos que iremos abordar. 

Confira aqui as etapas/dicas para que dê tudo certo:

  • Fazer uma reunião de briefing com o influenciador, explicando como sua live commerce vai acontecer, objetivos, valores, comissões, e metas;
  • Elaborar um contrato individual com cada influenciador contendo tudo que foi abordado na reunião de briefing (uma dica é usar alguma plataforma de assinatura digital, para o processo ser mais rápido), não esqueça também de incluir prazo de pagamento de cada etapa negociada;
  • Enviar todas as informações discutidas na reunião por e-mail e se possível por WhatsApp. É importante que o contratado tenha todas as informações em mãos;
  • Fazer uma lista de Dos e Don’t, sendo o Dos tudo que o influenciador vai poder falar, vender e discutir na live, e o Don’t tudo que ele não pode fazer ou falar. Aqui, o ideal é criar uma apresentação ilustrativa com todo o material, inclusive com as regras da marca;
  • Seja muito claro com os influenciadores, afinal, ele estará ao vivo com clientes e potenciais clientes da sua marca. Aqui a dica é criar um grupo no Whatsapp ou Telegram para comunicação em tempo real;
  • Combinar quais serão os CTA’s usados na live (escassez, descontos, etc);
  • Criar metas para o influenciador referente as suas vendas, e claro bonificá-lo após conferir os seus resultados;
  • É importante que você tenha um sistema de acompanhamento de vendas bem definido, isso envolve a equipe, estoque de produtos e planejamento financeiro.

Explicando melhor como fazer os CTA's com influenciadores digitais no Live Commerce:

Esse é um tópico que fizemos questão de aprofundar, pois o Call to Action (CTA) fará toda a diferença na hora da live, já que é exatamente o que fará o cliente comprar um produto ou serviço.

A compra por impulso começa com alguma dessas variáveis: 

  • Escassez: se a pessoa não comprar naquele momento pode acabar o estoque (ou a quantidade destinada para a ação);
  • Tempo: outro fator além do acaba rápido, é o tempo limitado para a compra… então a promoção deve valer enquanto a live está acontecendo;
  • Exclusividade: essa promoção, esse desconto, é algo único que só acontece de vez em quando, ou seja, é hora de aproveitar.

Tudo isso deve ser muito bem trabalhado durante a live, para que o espectador sinta que está fazendo um ótimo negócio e fique feliz com a compra realizada.

E depois do Live Commerce o que fazer?

É importante lembrar que as vendas feitas pelos influenciadores digitais no live commerce é de impulso, mas o que vai fazer a fidelização da marca com esse novo "comprador" é justamente a experiência pós compra, sendo ela:

  • Contato em menos de 24 horas sobre o processamento do pedido;
  • Produto comprado embalado carinhosamente, se puder, escrever uma carta (pode ser impressa), agradecendo a compra. Nesse momento, você já pode enviar um promocode exclusivo, com por exemplo, um prazo de 30 dias para ser usado;
  • E-mail completo com dados de faturamento, previsão de entrega;
  • Acompanhamento da experiência do cliente em todo o processo;
  • Follow up do recebimento do produto;
  • Pesquisa de satisfação.

Perspectiva de venda global do Live Commerce

Na China, o formato rendeu mais de US$ 200 bilhões em 2020, tendo 400 milhões de espectadores on-line por dia.

Segundo estimativa da Research and Markets, a indústria global do "e-commerce social" vai faturar US$ 600 bilhões até 2027.

Ainda não existem dados concretos das vendas em diversos países, já que as vendas do live commerce se misturam com os dados de e-commerce tradicionais.

E você? Já utiliza essa estratégia na sua empresa? Conta pra gente!

Este texto foi produzido pela equipe WorkStars.

O portal surgiu com o nome StartupsStars em 2012, nossa fundadora Talita Lombardi começou a criar conteúdo e entrevistar startups, dando visibilidade para quem não tinha. Ficamos muito orgulhosos de ver os primeiros passos de empresas como Meliuz, Getninjas, Qranio, entre outras, mais de mil foram entrevistadas.

Sempre focados em empreendedorismo, marketing digital, tecnologia, startups, e agora games e negócios. Em 2021, houve uma fusão em entre marcas Menina Executiva e StartupStars, e nasceu o WorkStars.