Voltar

FAQ

Quais as formas de pagamento aceitas pelo gateway iugu?

Aceitamos boleto e cartão de crédito nacional (internacional das bandeiras Mastercard, Visa, Amex, Diners e Elo). Cartões de débito não são aceitos por questões de segurança de dados.

Quais são as categorias de negócios aceitas pela iugu?

Aceitamos diversos tipos de negócios, desde que possuam conta jurídica e não estejam classificados na lista de produtos e serviços proibidos.

O que é necessário para começar a usar iugu?

Após o contato com nossos consultores e fechamento de contrato é necessário criar uma conta iugu seguindo nossos requisitos para abertura de contas.

Qual o horário de expediente da iugu?

Nossa plataforma sempre estará no ar, o atendimento ao cliente e os saques de contas ocorrem se segunda a sexta, das 9h30 às 16h30. Entretanto, por dependência de sistemas bancários, os serviços da iugu são interrompidos em feriados. Saiba mais em nossa página de expediente.

Quais são os recursos cobrados pela iugu?

A partir do plano escolhido, os recursos são cobrados em modelo de assinatura e cobranças mensais. Se necessário, somam-se taxas de configuração inicial e tarifas variáveis. Saiba mais sobre as tarifas cobradas clicando aqui.

Em quais moedas a iugu aceita transações?

A iugu aceita transações somente em Real. No caso do uso de cartão de crédito internacional, a cobrança é também é feita em Real e a bandeira do cartão faz o câmbio para a moeda do cliente.

A iugu é homologada pelo Banco Central?

A iugu recebeu a licença do Banco Central que nos autoriza a funcionar como Instituição de Pagamentos. Publicada no Diário Oficial da União no dia 27 de agosto de 2020.

Quais bancos a iugu suporta?

Para receber os pagamentos pela iugu, é preciso possuir uma conta PJ em um dos seguintes bancos: Banco do Brasil, Banco Original, Banestes, Banrisul, Bradesco, BRB, BS2, C6, Caixa Econômica, Inter, Itaú, Mercantil do Brasil,Modal, Neon, Nubank, PagSeguro, Safra, Santander, Sicoob (Bancoob), Sicredi, Unicred e Via Credi.

Posso cancelar a iugu a qualquer momento?

Você deve solicitar o cancelamento da sua conta com 30 (trinta) dias de antecedência.

A plataforma pode ser utilizada por quem não é desenvolvedor?

Sim! Temos um painel facilitado onde é possível realizar a gestão financeira, cobrar seus clientes, controlar as assinaturas e acompanhar o crescimento de sua empresa.

Sua dúvida não está aqui?

Experimente a página de Ajuda e Suporte da iugu.

Voltar

Descomplique processos financeiros com a iugu!

O que é Cross Docking e como funciona a venda sem estoque?

Conheça o sistema de logística que transformou completamente o conceito tradicional de armazenamento de mercadorias.

Escrito em 15 de Novembro de 2021 por Parceiro iugu

Atualizado em 23 de Novembro de 2021

Já pensou em vender sem precisar de estoque próprio? O Cross Docking, além de trabalhar dessa maneira, oferece às empresas uma forma de entrega mais eficiente, capaz de aumentar a satisfação dos clientes.

Durante o seu processo, os itens são enviados pelo fornecedor diretamente para o armazém, sem passar pelo lojista, permitindo vender sem ter um estoque. E, nesse local, os produtos são separados e enviados aos clientes. Raramente os objetos ficam parados, por isso, o seu foco é o fluxo de mercadorias e não a armazenagem. 

Continue lendo para entender quais são as suas vantagens e desvantagens e como implementá-lo!

Como funciona o cross docking?

Um dos problemas mais comuns entre os empreendedores é o controle de estoque. São diversos processos que envolvem esse ponto, como a gestão, organização, embalagem, envio etc. Geralmente, quando um produto não está nas prateleiras ou no catálogo do e-commerce, o negócio tende a perder vendas. 

Por isso, a administração do estoque é fundamental. Nesse momento, há diversos modelos de logística, e o cross docking é um deles. O seu funcionamento é da seguinte maneira:

  • Um usuário faz o pedido na loja virtual;
  • O lojista confere o pagamento e encaminha a ordem para um fornecedor, 
  • O fornecedor envia o produto para um centro de distribuição, onde é embalado, passando pelo próprio processo da empresa;
  • O produto é direcionado para o consumidor final. 

Note que tudo isso acontece sem o item chegar nas mãos do vendedor, ele vai direto para o consumidor. 

Portanto, as mercadorias não ficam armazenadas em um estoque da loja, e o dono do e-commerce não tem a responsabilidade de organizar e gerir diversos artigos. No entanto, ele deve contratar fornecedores confiáveis para garantir a qualidade do envio e do produto.

Tipos de cross docking

Atualmente, há diversas soluções que otimizam o fluxo logísticos das organizações. Você já sabe que o cross docking é uma delas, mas também existe o dropshipping — outro modelo bastante utilizado pelos lojistas. Ambos ganham cada vez mais destaque e popularidade no mundo do e-commerce, pois oferecem uma experiência bem prática e ágil aos vendedores. 

Nesse sentido, conheça os tipos de cross docking e implemente o modelo que mais atende as necessidades da sua empresa. Veja a seguir!

Movimentação contínua

No cross docking de movimentação contínua o objeto solicitado pelo comprador no site é enviado da forma mais rápida possível para o seu endereço. Aqui, o objetivo é receber a mercadoria e despachá-la rapidamente, de preferência assim que ela chegar ao centro de distribuição.

Nesse modelo é possível evitar o acúmulo de produtos em estoque e satisfazer o cliente — que receberá seu item muito mais rápido. 

Movimento de distribuição

Nesse tipo de cross docking, a mercadoria é recebida e separada para ser distribuída em cargas. Esse movimento é muito utilizado no setor B2B, pois possibilita uma entrega mais rápida, além da empresa ter à sua disposição um caminhão inteiro para transportar suas matérias-primas/produtos (FTL - Full Truck Load).

Movimentação híbrida

Essa movimentação também é conhecida como “consolidada”. Ela ocorre quando o centro de distribuição espera diversos produtos de um mesmo cliente para serem enviados em uma única remessa. Desse modo, uma parte dos itens são direcionados para o consumidor e a outra é destinada ao estoque.

Ela também pode acontecer quando há encomendas de diferentes compradores que moram na mesma rota de entrega. 

Vantagens e desvantagens do cross docking

Citamos brevemente que o modelo de cross docking permite otimizar o fluxo de entregas de uma empresa. No entanto, suas vantagens são diversas, mas também há algumas desvantagens. Acompanhe os detalhes de cada uma delas! 

1. Vantagens

Não há falta de produtos 

Como no cross docking o produto só é encomendado após seu pedido no e-commerce, o lojista não enfrenta problemas com a falta de produtos no estoque. Ele dependerá apenas do fornecedor que, geralmente, é quem produz o item e o tem em grandes quantidades.

Com isso, é possível evitar dores de cabeça com a falta de mercadoria, além de não precisar realizar previsões de demanda muito específicas.

Redução de custos 

Sabendo que o vendedor é capaz de trabalhar sem estoque nessa modalidade, ele não terá custos com armazenamento, operações, manutenção e higienização desse processo. Ainda, ele garante flexibilidade para a alocação de recursos e pode direcionar os seus investimentos aos setores que realmente precisam, como o site e marketing.

Agilidade logística 

Como vimos, o cross docking trabalha com o envio dos produtos por um fornecedor a um local de armazenagem, onde é rapidamente enviado ao consumidor final. Por isso, a agilidade é uma característica bastante comum desse modelo. Isso porque há um fluxo único entre o fornecedor e o centro de distribuição, obtendo rotas de entrega otimizadas e envios mais eficientes.

Essa agilidade também contribui para deixar o comprador mais satisfeito, o que favorece a construção de uma boa imagem da marca, boa reputação e a fidelizar o cliente

Baixa chance de furtos 

Outra vantagem de não trabalhar com estoque é que as chances dos produtos da empresa serem roubados são menores. Muitas vezes, é um grande problema quando um item é furtado ou desviado da rota da entrega, pois gera prejuízos, compromete o atendimento ao consumidor e atrapalha as finanças do negócio.

No cross docking, como o tempo de permanência no centro de distribuição é menor, é possível reduzir essas possibilidades. 

Prazos de validade de produtos 

Dependendo do seu tipo de empresa, você pode vender itens que têm validade, como produtos alimentícios. Nesse sentido, se as mercadorias passam do prazo determinado, o vendedor sofre prejuízos, além de ter que descartar o item que ficou parado no estoque. 

No cross docking é possível evitar esse problema, já que os objetos circulam de forma contínua e não ficam armazenados no centro de distribuição por muito tempo. 

2. Desvantagens

Problemas com produtos

Como os itens não passam pelo lojista, ele corre o risco de enviar itens com defeito ou falhas aos seus consumidores. Isso pode prejudicar a imagem do negócio e gerar avaliações ruins na sua plataforma de e-commerce

Por isso, é fundamental selecionar fornecedores de qualidade e confiáveis, a fim de evitar esse problema. Geralmente, você pode pedir para o fornecedor que deseja fazer parceria enviar amostras das suas mercadorias para você conferir sua qualidade e eficiência.

Atrasos 

Se um fornecedor atrasa para enviar um produto ao local de armazenagem, toda a cadeia de logística é afetada. Isso pode provocar o atraso do item ao consumidor, impactando na sua satisfação. 

Localização 

Outro ponto muito importante antes de fazer o cross docking é se atentar para a localização do centro de distribuição. É interessante que ele esteja próximo dos seus clientes, caso contrário, as entregas são mais caras. 

Hoje, um dos critérios para os consumidores não fecharem uma compra é a taxa de entrega. Por isso, é relevante ter um local próximo dos compradores ou oferecer taxas compatíveis com o mercado. Isso ajuda a não perder vendas no seu e-commerce, reduzindo a taxa de abandono do carrinho. 

Como implementar o cross docking na sua empresa

Para o cross docking funcionar de forma eficiente é interessante contar com um sistema de gerenciamento, como um ERP (Sistema Integrado de Gestão Empresarial). Geralmente, ele tem integração com seu negócio e auxilia na sincronização e organização dos pedidos do site e enviados pelo fornecedor.

Também vale a pena fazer testes antes de implementar esse modelo de logística. Você pode simular o processo de entrega, desde o pedido pelo e-commerce até sua entrega, ou começar operando com fornecedores específicos. Dessa forma, é possível garantir um fluxo logístico de qualidade e certeiro para seu empreendimento.

Além disso, escolha os melhores fornecedores do seu segmento, que estejam alinhados com todas as necessidades do seu negócio. Assim, as entregas são mais eficientes, os produtos apresentam menos problemas e você evita custos com falhas nos processos.

Resumo

Após conhecer o que é cross docking, quais são suas vantagens e desvantagens, e aprender como implementá-lo, é possível decidir se vale a pena ou não investir nessa modalidade. Lembre-se que organização e sincronização com as etapas de entrega são fatores essenciais para seu e-commerce funcionar corretamente e garantir a satisfação dos clientes.